Holanda

Antony marca dois belos gols e comanda a goleada do Ajax na Copa da Holanda, apesar da crise institucional

Time do Ajax não se afeta com escândalo de Overmars e atropela o Vitesse nas quartas de final

O Ajax atravessa dias bastante turbulentos, desde a revelação dos casos de assédio envolvendo Marc Overmars, que se demitiu do posto de diretor de futebol. O clube investiga se outros membros tinham conhecimento dos episódios e o assunto segue repercutindo, inclusive nas entrevistas pré-jogo do técnico Erik ten Hag. Dentro de campo, ao menos, os Godenzonen não deixaram o terremoto abalar o ótimo desempenho do time. Pelas quartas de final da Copa da Holanda, os Ajacieden não tomaram conhecimento do Vitesse. Golearam por 5 a 0, com Antony comandando o resultado graças a dois belos gols.

Antony abriu o placar para o Ajax aos 17 minutos. Num contra-ataque, Dusan Tadic acionou o brasileiro com um ótimo lançamento. O ponta carregou por todo o campo de ataque e, na entrada da área, chutou no capricho no cantinho. A vitória se tornou mais confortável aos 30, num passe por elevação de Davy Klaassen para Sébastien Haller, que mandou um foguete para ampliar. No início do segundo tempo, o próprio Haller faria o terceiro, ao completar um cruzamento de Steven Berghuis.

O resultado se sacramentou com outros dois belos gols. Tadic deixou a seu aos seis minutos, numa cobrança de falta impecável, que entrou direto na gaveta. Por fim, Antony fechou a contagem aos 17. Foi um gol ao seu melhor estilo: recebeu na direita, cortou para o meio e desferiu o chute indefensável de canhota, entrando rente à trave. Na reta final, bastou aos Ajacieden pouparem forças.

A rodada das quartas de final da Copa da Holanda está repleta de goleadas. Na terça, o PSV bateu o NAC Breda por 4 a 0. Já nesta quarta, além do Ajax, o AZ aplicou 4 a 0 sobre o RKC Waalwijk. O último semifinalista será definido nesta quinta, com o embate entre NEC Nijmegen e Go Ahead Eagles.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo