Copa do MundoCopa do Mundo FemininaFutebol feminino

Lesão tirou Rapinoe da semifinal: “Não tinha condições hoje, mas espero estar na final”

Uma lesão sofrida durante o jogo das quartas de final contra a França tirou a atacante Megan Rapinoe da semifinal da Copa do Mundo nesta terça-feira, contra a Inglaterra. Os Estados Unidos venceram por 2 a 1 sem a presença da atacante, que fez os dois gols contra a França na fase anterior. Um leve estiramento, nas palavras de Rapinoe, a incomodavam e foi tomada a decisão de deixá-la de fora.

[foo_related_posts]

Com a atacante Christen Press no time, as americanas venceram e com um gol justamente de Press, a substituta. Ela é uma das mais rápidas e mais fortes atacantes americanas e conseguiu dar muito trabalho para a principal jogadora adversária, a lateral direita Lucy Bronze. Além do gol, Press teve uma boa atuação ao longo da partida. Rapinoe estava no banco, mas desde o aquecimento algo parecia errado, já que ela sequer participou da atividade – mesmo os reservas costumam aquecer.

“Não é sequer um estiramento”, afirmou Rapinoe quando perguntada sobre a lesão. “Mas eu realmente não estava em condições de jogar hoje. Apenas senti que não ia aguentar. Nós temos falado sobre esta profundidade que nós temos por meses e meses e meses e durante todo o torneio. Isso foi totalmente mostrado hoje”, disse a atacante. “Nós sentimos que essa era a melhor opção, não apenas para mim mesma, mas para o time”.

“Meu posterior é dia a dia, mas eu sinto que eu estarei pronta para a final. Quando você está no banco, você precisa estar empolgada para a equipe e dar a eles energia ter essa vibração”, afirmou Megan Rapinoe à Fox News depois do jogo.

“Nós cavamos fundo novamente. Esta foi o momento que nós mostramos de onde vem a nossa profundidade. Todo mundo se apresentou e elas estavam prontas para o seu momento”, continuou a atacante, autora de cinco gols na Copa até aqui. “Eu espero estar saudável para a final e pronta para jogar”, afirmou Rapinoe na zona mista, em Lyon. “Está melhorando”.

Alex Morgan sobre a goleira Naeher: “Ela salvou nossos rabos hoje”

“Alyssa Naeher, ela deveria ser a jogadora da partida hoje. Ela salvou nossos rabos hoje”, disse a atacante à Fox depois do jogo. “Nós precisávamos manter a nossa defesa no final e nós fizemos isso muito bem. Eu estou orgulhoso de cada jogador que se apresentou hoje. Nosso banco é muito profundo e nós mostramos isso hoje. Como podem vencer isso?”, disse uma confiante Morgan.

Jill Ellis, técnica dos Estados Unidos: “Não posso expressar o quanto estou orgulhosa”

“Eu não posso expressar o quanto eu estou orgulhosa. Foi um grande esforço de todo mundo. Todas se apresentaram”, afirmou a inglesa de nascimento, mas naturalizada americana – ela mora desde 1981 no país. “Eu disse que foi um momento de brilho para Alyssa Naeher. Foi uma defesa, foi inacreditável. Nós temos quatro dias até a final, então isso irá ajudar um pouco”.

Christen Press, a surpresa na escalação

“Foi uma loucura. Foi muito, muito emotivo. Que esforço de time. Para nós permanecermos fortes e com postura e executas e ir até a final é incrível”, disse a atacante, autora do primeiro gol do jogo. “Eu honestamente tenho assistido Carli Lloyd em cabeçadas, então eu canalizei a minha Carli Lloyd interna”, disse Press.

Becky Sauerbrunn sobre o pênalti que cometeu

“Eu acho que houve contato, mas eu também pensei que ela fosse marcar se eu não fizesse contato. Eu não vi a falta, mas obviamente foi marcado o pênalti”, afirmou a zagueira americana. “Realmente não foi um momento ‘ó não’, foi mais como isso é futebol, vamos lidar com isso e seguir em frente”, continuou a defensora. “Quando ela defendeu, eu acho que disse: ‘Eu te amo’”.

A final da Copa do Mundo será no domingo, dia 7, às 12h (horário de Brasíla). A final terá transmissão da Band e do SporTV.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo