Champions LeagueCopa do Mundo FemininaFutebol feminino

Barcelona vê sonho mais perto ao alcançar final da Champions League Feminina

O futebol feminino espanhol floresce. Em uma temporada com jogos quebrando recordes de público, a Liga Iberdrola surge como uma das mais promissoras do continente. Para além das suas fronteiras, o Barcelona alcançou neste domingo um feito. Ao vencer o Bayern de Munique pela segunda vez, agora em casa, e novamente por 1 a 0, a equipe catalã assegurou passagem para decidir o título da Champions League Feminina. Será a primeira equipe espanhola nesta fase de competição.

[foo_related_posts]

O Miniestadi recebeu o jogo de volta da semifinal com um Barcelona que sabia o que precisava fazer. Foi a casa que ajudou a formar nomes como Pep Guardiola, Xavi, Andrés Iniesta e Lionel Messi, mas desta vez viu uma jogadora que fez o caminho inverso desses todos: se tornou a melhor do mundo para, então, levar o Barcelona a subir de patamar. Trata-se de Lieke Martens, holandesa de 26 anos, vencedora do prêmio da Fifa de melhor jogadora do mundo em 2017, ano que também conduziu a Holanda ao título da Eurocopa.

Como o próprio nome diz, o Miniestadi é um estádio menor, usado pelo Barcelona B no masculino. Só que o clima de decisão estava presente desta vez. Com capacidade para 15.276 pessoas, o estádio recebeu 12.674 pessoas para a partida de volta da semifinal diante do Bayern, recorde de público do time feminino.

Lieke Martens foi o nome do jogo. Foi fundamental no lance que originou o pênalti, que dele veio o gol de Mariona. Contratada justamente em 2017, a jogadora holandesa representa uma mudança de abordagem do Barcelona. Ela foi contratada por € 100 mil por sua contratação. Também pagou € 50 mil para tirar Mapi León do Atlético de Madrid e leva-la para defender as cores azul e grená do Barça.

O projeto do profissionalismo do futebol feminino do Barcelona começou efetivamente em 2016, ano que a Iberdrola passou a patrocinar a liga espanhola. O objetivo do Barcelona era voltar ao trono de campão espanhol e, então, partir para a conquista continental. O que parecia distante se torna palpável agora.

Se o Barcelona masculino, comandados por Lionel Messi, sonham em chegar ao Wanda Metropolitano para lutar pelo título da Champions League, o time feminino já garantiu a sua passagem para decidir o título contra o Lyon, em Budapeste, no dia 18 de maio. Tentará, assim, fazer história e mais do que chegar à final, algo inédito aos espanhóis, ficar com a taça e leva-la para seus torcedores. Seria um passo importante para o futebol feminino espanhol, que vai se fortalecendo frente a outras ligas que são mais fortes no feminino, como as escandinavas, a alemã e a francesa.

Sempre favorito, Lyon supera Chelsea

So-Yun Ji cobra falta com precisão e marca pelo Chelsea contra o Lyon (Foto: Getty Images)

A vitória em casa contra o Chelsea foi fundamental para o Lyon conseguir a classificação à decisão da Champions League, mais uma vez. O time francês chega para tentar o seu sexto título e o quarto em sequência, depois de conseguir segurar o Chelsea, da cada vez mais forte Inglaterra. Diante de 4.670 pessoas em Kingsmeadow, onde o time feminino joga, o Lyon segurou o empate por 1 a 1 com o Chelsea e se classificou.

Com o 2 a 1 em Lyon, as francesas ampliaram a vantagem com um gol de Eugénie Le Sommer, que chutou, viu o seu chute ser desviado e chegou ao seu 42º gol em competições europeias. O Chelsea não desistiu e teve um pênalti não marcado aos 17 minutos, quando a bola claramente bateu na mão da defensora, em um erro técnico ao tentar dominar. A árbitra mandou o jogo seguir, apesar das reclamações da torcida dos azuis londrinos.

O Chelsea, porém, empatou o jogo com uma cobrança de falta de Ji So-Yun, mas as inglesas, que precisavam de outro gol para levar o jogo ao menos para a prorrogação, não conseguiram outro gol. A liga inglesa feminina, que tem dado passos importantíssimos para se fortalecer, viu um dos seus representantes fazer jogo duro com aquele que é o melhor time da Europa e provavelmente do mundo no momento. Com direito a uma reclamação, justa, de um pênalti não marcado. Certamente veremos mais times ingleses irem longe na Champions League Feminina nos próximos anos.

Teremos uma final europeia com um clube habituado a estar ali e multicampeão, o Lyon, diante de um clube tradicional que busca se estabelecer no cenário europeu, o Barcelona. Tem tudo para ser um duelo interessante no dia 18 de maio, em Budapeste.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo