EspanhaFrança

Sergio Ramos diz que um dia Mbappé tem que jogar no Real Madrid, mas de preferência não agora, claro

O zagueiro 35 anos assinou com o PSG por duas temporadas após não renovar seu contrato com os merengues

Sergio Ramos sugeriu que um dia Kylian Mbappé precisa jogar pelo Real Madrid, mas não agora, por favor, porque ele acabou de chegar ao Paris Saint-Germain e gostaria de jogar ao lado do craque francês. O zagueiro espanhol assinou por duas temporadas com o clube da capital da França, após não renovar o seu contrato com os merengues.

Em entrevista ao AS, Sergio Ramos falou que todos os grandes jogadores têm que passar pelo Real Madrid, “um dos melhores clubes do mundo e, historicamente, o melhor”, mas, por enquanto, prefere que Mbappé continue no Paris Saint-Germain – claro.

“Quero ganhar e, para isso, quero que os melhores estejam ao meu lado. Eu nunca daria conselhos pessoais. Poderia comentar alguma coisa pela minha experiência, mas o faria no privado. Para mim, como jogador do PSG, gostaria que ficasse. Gosto de jogar com os melhores, e Mbappé é um deles”, afirmou o zagueiro de 35 anos.

Com contrato por mais uma temporada com o Paris Saint-Germain, Mbappé teria dito ao clube que não está disposto a renová-lo, segundo a imprensa francesa. O que Sergio Ramos acha disso? “Não sei. A decisão de ficar ou sair é muito pessoal. No meu caso, a família, o projeto esportivo… não sei o que passa na cabeça de Mbappé. Eu quero que continue aqui porque é muito jovem e faz a diferença. Aqui tem um time muito bom”, disse.

Esse time muito bom foi o principal motivador para que Sergio Ramos, em suas palavras, “saísse da zona de conforto” para trocar o Real Madrid, que defendeu entre 2005 e 2021, pelo PSG. “É triste abandonar uma casa que me deu tanto. Tomei a iniciativa de vir ao PSG, um time com um projeto que é uma realidade. Gosto dos desafios. Eu sigo mantendo a vontade de continuar vencendo. Espero que consiga me dar tão bem aqui quanto em Madri. Sou um aventureiro e minha prioridade foi o projeto esportivo. Estou muito contente pela decisão que tomei”, acrescentou.

Ao anunciar sua saída do Real Madrid, Sergio Ramos deixou claro que se dependesse dele ficaria, mas a proposta que lhe havia sido oferecida foi retirada de cima da mesa. Não expressou rancor na ocasião e manteve a cordialidade com Florentino Pérez. Mas, no geral, disse na entrevista ao AS que as estrelas não são bem tratadas na Espanha.

“Temos um problema como país, a filosofia não muda. Eu vejo a Premier League ou a Itália, com Bonucci e Chiellini, que são heróis. Temos que tentar fazer com que as pessoas admirem aqueles que têm sucesso aqui (na Espanha). A admiração que sentimos pelos de fora falta com os nossos. É triste, mas é a realidade. Não fui o único que sofri, outros jogadores também. Quando temos craques aqui, não os valorizamos. Temos que admirar mais e invejar menos”, afirmou.

Sergio Ramos poderá usar a sua tradicional camisa 4 no Paris Saint-Germain, após o zagueiro Thilo Kehrer, antigo portador do número, liberá-lo para o novo reforço. “Bem-vindo, Sergio Ramos. Pode ficar com o número 4. É bom tê-lo conosco #RESPEITO”, escreveu Kehrer no Instagram, junto com um vídeo em que abraça o zagueiro espanhol.

.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo