FrançaFutebol feminino

PSG quebra hegemonia de 14 anos do Lyon e conquista Campeonato Francês Feminino

Parisienses conquistaram o título pela primeira vez na história tirando o posto do time dominante não só na França, mas na Europa nos últimos anos

O Paris Saint-Germain acabou com uma hegemonia que já durava 14 anos na França. O clube conquistou pela primeira vez o título do Campeonato Francês Feminino e, de quebra, acabou com a sequência de títulos do rival Lyon, campeão seguidamente desde 2007. O último clube a conquistar um título francês sem ser o Lyon tinha sido o FCF Juvisy, em 2006.

O título foi conquistado com uma vitória por 3 a 0 sobre o Dijon, nesta sexta-feira, última rodada da Division 1 – são 12 clubes na liga. Apesar do Lyon ter goleado o Fleury 91 por 8 a 0, não foi o bastante porque era preciso um tropeço das parisienses. Com 62 pontos, o PSG ficou com o título, com o Lyon a um ponto atrás, com 61.

A disputa foi muito quente com um duelo direto entre os dois times na penúltima rodada. O Lyon, que estava atrás na classificação, precisava vencer para chegar à última rodada em vantagem. O time de Paris, porém, conseguiu segurar um 0 a 0 e mantiveram a sua vantagem para uma última rodada que teria os dois ponteiros como favoritos a vencer.

No jogo desta sexta-feira, Sara Däbritz ajudou a acalmar as companheiras ao converter um pênalti para o PSG logo a oito minutos do primeiro tempo. Foi o placar do primeiro tempo. Enquanto isso, o Lyon colocava pressão: empilhava gols, que já garantiam a vitória com folga. No intervalo dos dois jogos, o Lyon já vencia por 3 a 0.

O PSG pôde comemorar quando a defensora Irene Paredes aumentou o placar para 2 a 0 em um escanteio. O gol quer fechou a conta e abriu a festa foi de Jordyn Huitema, já nos acréscimos. Com isso, o PSG termina a campanha como campeão invicto do Campeonato Francês Feminino. Foram 22 jogos, com 20 vitórias e dois empates, 83 gols marcados e apenas quatro gols sofridos.

O elenco do PSG tem nomes importantes, como a goleira chilena Christiane Endler, considerada uma das melhores do mundo. A brasileira Luana é titular no meio-campo e Formiga é reserva do time. Aliás, ela entrou durante a partida e completou, assim, 100 partidas pelo PSG. A brasileira acertou o seu retorno ao São Paulo, segundo o site Dibradoras.

Entre as atacantes, um dos destaques é Nadia Nadim, dinamarquesa. A artilheira da liga foi Marie-Antoinette Katoto, a camisa 9, que fez 21 gols. Kadidiatou Diani marcou 13 gols, enquanto Nadim fez outros 10. No Lyon, a maior artilheira foi a inglesa Nikita Parrtis, com 13 gols.

Em 2018, o PSG já tinha quebrado a hegemonia do Lyon na Copa da França. Mais do que isso, nesta temporada o PGS já tinha conseguido um feito histórico ao eliminar o Lyon na Champions League, quebrando outra hegemonia das lionesas.

Com o título, o PSG entra direto na fase de grupos da Champions League Feminina, enquanto o Lyon e o Bordeaux, segundo e terceiro colocados, respectivamente, entram nas fases preliminares.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo