França

Por que Zidane também é genial fora dos gramados

Além de tudo que fez em campo por sua seleção, vencendo Copa do Mundo, Eurocopa e sendo um dos atletas mais geniais do último século, Zinedine Zidane também exerce um papel importante fora dos gramados, sete anos após sua aposentadoria.

Não é raro ver Zizou em partidas beneficentes, amistosos ou reuniões da seleção francesa campeã do mundo em 1998. Mas neste caso específico que iremos contar, sua participação vai além de simplesmente lembrar as jogadas do passado. Principal investidor do Rodez Aveyron, da quarta divisão francesa, Zidane praticamente salvou o clube da falência ao injetar uma importância financeira nos cofres. O apelo para que ele se decidisse por se tornar acionista veio de sua esposa, nascida em Rodez.

Além de fornecer o apoio necessário ao time, Zidane também organizou um amistoso para lotar as arquibancadas do estádio Paul Lignon, com capacidade para cerca de 6000 pessoas. O Rodez enfrentaria alguns dos integrantes da equipe campeã em cima do Brasil em 1998. Entre eles, Fabien Barthez, Laurent Blanc, Bixente Lizarazu, Cristophe Dugarry e Vincent Candela. Detalhe: Barthez jogou na linha.

A partida terminou em 5 a 5 e de acordo com relatos da imprensa francesa, ultrapassou a capacidade máxima do acanhado estádio. É possível ver alguns lances do ex-camisa 10 da França dando bons passes e até cobrando um pênalti.

Auxiliar técnico no Real Madrid, Zizou também é responsável por uma renovação nos bastidores na equipe espanhola. E no futuro pode ter uma função muito mais crucial. De gênio com a bola nos pés a articulador em cargos diretivos, o ex-meia deve se transformar em um dos principais cartolas na Europa nos próximos anos. Pelo menos para os torcedores do Rodez, ele já é um dos melhores.

Mostrar mais

Felipe Portes

Felipe Portes é editor-chefe da Revista Relvado, zagueiro ocasional, ex-jornalista, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo