Ligue 1

Morte e violência podem levar à decisão radical e futebol francês pode mudar para sempre

Ministra dos Esportes da França dá forte depoimento após morte de torcedor do Nantes e pede reação 'global' contra violência no futebol

O futebol francês registrou mais um triste episódio de violência no último sábado (2). Dessa vez, no entanto, o incidente resultou em morte. Um torcedor do Nantes foi esfaqueado nos arredores do Estádio Beaujoire, após a vitória do time por 1 a 0 sobre o Nice, pela Ligue 1, e acabou não resistindo. Diante da tragédia, o poder público francês se movimenta nos bastidores a fim de evitar novos desastres.

De acordo com a imprensa francesa, a solução discutida é impedir os fãs de viajarem para acompanhar seus times em jogos fora de casa, em partidas consideradas de alto risco, assim como ocorre no futebol argentino. Em entrevista à rádio “France Inter” nesta segunda-feira (4), a ministra dos Esportes da França, Amélie Oudéa-Castéra, falou sobre a necessidade de medidas rápidas e enérgicas.

“Não podemos continuar assim no futebol! Não é possível continuar assim, por isso precisamos de uma iniciativa global, de uma resposta global. Uma situação radical requer medidas radicais.”

A ministra defendeu a ideia de proibir a entrada de torcedores visitantes nos estádios. Para ela, tal medida ajudaria o futebol francês a frear os incidentes violentos, tão comuns nas últimas temporadas.

– Eu penso que sim. Para o momento, poderíamos focar nas viagens dos torcedores (para verem seus times) (…) Quando o jogo apresenta risco, devemos, por enquanto, parar a movimentação de torcedores. Acho que é fundamental ter um tempo para voltar a uma situação de menos violência. Não é possível ter agentes da lei tão sobrecarregados, bens destruídos, carros apedrejados, agora uma pessoa morta. Basta! É o bastante -, concluiu Amélie.

Ministra de Esportes da França, Amélie Oudéa-Castéra (Foto: Icon Sport)

Como se deu a morte do torcedor do Nantes?

O torcedor do Nantes foi assassinado a facadas no sábado (2) em meio a uma briga com adeptos do Nice, horas antes da partida entre os dois times, no Estádio Beaujoire (casa do Nantes), pela Ligue 1. Segundo o jornal francês L'Equipe, a vítima fazia parte do grupo de torcedores organizados do Nantes, chamado Brigada Loire.

A confusão teria sido iniciada pouco antes das 20h, horário local, quando diversos veículos particulares alugados que transportavam torcedores do Nice a caminho do estádio foram atacados por grupos violentos de fãs do Nantes.

Segundo uma fonte próxima do caso, a vítima teria recebido uma facada pelas costas, provavelmente de um dos motoristas atacados. O promotor francês, Renauld Gaudeul, informou ainda que um motorista de 35 anos foi detido na manhã do último domingo (3), após se entregar em uma delegacia de polícia na cidade de Nantes. O Ministério Público do país confirmou que abriu investigação para apurar o assassinato.

Futebol francês vive escalada de violência

O futebol francês definitivamente vive seu pior momento no quesito violência nos estádios. Levando em conta sobretudo as últimas duas temporadas, casos gravíssimos mancharam a reputação da Ligue 1. Em outubro deste ano, em Montpellier, uma partida foi interrompida nos acréscimos após torcedores lançarem fogos de artifício das arquibancadas. Os explosivos acertaram o goleiro senegalês Mory Diaw, do Clermont, que teve de ser retirado de maca.

Poucas semanas depois do incidente citado acima, em Marselha, o ônibus que transportava jogadores do Lyon foi apedrejado por torcedores do lado de fora do Estádio Velodrome, casa do Olympique de Marselha. O então técnico do time, Fabio Grosso, acabou atingido por estilhaços e ficou com o rosto ensanguentado. Ao todo, nove pessoas foram detidas.

Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Apaixonado por futebol, uniu o amor pelo esporte mais popular do mundo ao jornalismo. Carioca da gema e grande entusiasta da Premier League, cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na música, vai de Post Malone a Armandinho. Eclético assim como na área técnica. Afinal, Guardiola e Mourinho são suas referências.
Botão Voltar ao topo