Ligue 1

Lille se reencontra com Galtier e sofre atropelo em casa contra o Nice 

Goleada por 4 a 0 atordoou os atuais campeões franceses

Sábado com sol, muita gente presente no estádio. Clima perfeito para uma boa apresentação, sobretudo quando você é o atual campeão nacional. Meses depois de arrancar para a conquista da Ligue 1, o Lille, que atravessou algumas mudanças importantes recentemente, apanhou do Nice em casa, por 4 a 0, fora o baile.

LEIA MAIS: Dez histórias para acompanhar na nova temporada da Ligue 1

Você pagou com traição…

Não bastasse a dor pela derrota inesperada, o artífice do crime cometido pelos rubro-negros foi Christophe Galtier, técnico que levou os Dogues à glória na temporada passada. Após o anúncio do rompimento da parceria com Galtier, o Lille surpreendeu anunciando Jocelyn Gourvennec, que ocupava o posto de comentarista em transmissões do Canal Plus, da França.

Seu último trabalho havia sido com o rebaixado Guingamp, em 2019. Anos antes, Gourvennec conquistou a Copa da França em 2014. Muito pouco para quem vinha de uma temporada histórica superando os favoritos para ficar com a taça. Além de um mercado tímido e com contratações bastante “low profile”, os atuais campeões franceses também tiveram uma decadência visível no banco de reservas. De maneira destacada, apenas o goleiro Léo Jardim, o zagueiro Adama Soumaoro e o volante Amadou Onana chegaram, sem nenhum alarde.

O Nice parece ter mais claro o seu projeto para o futuro, indicando uma boa decisão por parte de Galtier. Enquanto o Lille, mesmo vivendo um momento de conquista, ainda está saindo de uma turbulência interna por conta de uma mudança na sua alta cúpula, durante a última campanha. 

A surra foi pesada

Cada um colhe o que planta. O efeito colateral das decisões do Lille apareceu rapidamente. Frágil na defesa, saiu para o intervalo já perdendo por 3 a 0, sendo dois desses gols marcados antes mesmo dos cinco minutos. Kasper Dolberg, Hicham Boudaoui e Amini Gouiri marcaram, consolidando o drama para os locais.

Perdidos em campo, os Dogues ainda viram Dolberg ampliar na segunda etapa. O vexame poderia ter sido maior se não fosse o VAR anulando o segundo de Gouiri. O que não muda, evidentemente, a grande atuação do Nice. A superioridade rubro-negra ficou clara também no aproveitamento das finalizações, já que o Lille pouco fez para diminuir o estrago. 

Com a goleada garantida, Galtier, desfalcado de Calvin Stengs e Morgan Schneiderlin, ainda tirou alguns titulares no meio da segunda etapa, como forma de poupá-los. Do outro lado, Gourvennec simplesmente não reagiu ao ritmo do Nice e só tinha o goleador Jonathan David como alternativa no banco. O canadense entrou na vaga de Jonathan Ikoné, mas também não impactou o jogo como se esperava.

Se o Nice vai ocupar um papel de incomodar os protagonistas, não podemos saber tão cedo. Mas o Lille, defensor do título da Ligue 1, já entendeu que muita coisa tem que mudar para que esta temporada seja minimamente positiva. Na estreia, um empate contra o Metz deixou um tom de decepção. Enfraquecer tanto de um ano para o outro deve trazer um dissabor enorme a uma torcida que definitivamente não está acostumada a ocupar o posto de favorita. O tempo dirá qual será o tamanho dessa ressaca…

Mostrar mais

Felipe Portes

Felipe Portes é editor-chefe da Revista Relvado, zagueiro ocasional, ex-jornalista, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo