FrançaInglaterraItália

Giroud: “Ganhei muitas coisas na minha carreira que nunca imaginaria quando comecei”

Campeão do mundo pela França em 2018, Giroud sente abençoado pelo que já fez no futebol e defende suas estatísticas na Inglaterra

Olivier Giroud é um nome dos mais discutidos no talentoso elenco da França. Os Bleus foram campeões do mundo em 2018 e uma das medidas do técnico Didier Deschamps para melhorar o time foi a entrada de Giroud como titular do time. O jogador teve uma carreira de sucesso na Inglaterra, com seis anos no Arsenal, outros três no Chelsea e no começo desta temporada, 2021/22, assinou com o Milan. Aos 35 anos, o francês se diz feliz com a carreira e conta que acha que não é dos atacantes mais habilidosos, mas está feliz com o seu currículo.

LEIA MAIS: Giroud: “O Milan me fez sonhar. Shevchenko era meu jogador favorito na adolescência”

Foram seis anos defendendo o Arsenal, mas sempre sendo questionado se ele estava no nível mais alto. Curiosamente, ele se manteve em clubes de alto nível depois de sair dos Gunners. “É claro que machuca. Sou um ser humano, uma pessoa com emoções e a coisa mais importante é não prestar atenção ao que as pessoas dizem nas redes sociais”, contou Giroud em entrevista ao Mirror.

“Mas minha ficha? Isso não é ruim! Estou muito feliz com isso. A história da minha vida tem sido de pessoas perguntando se sou um pouco subestimado. Acho que também é em parte porque não sou um centroavante com as habilidades que os jovens sonham”, continuou o francês.

“Mas acho que a coisa mais importante é ser muito eficiente, porque como atacante, você é julgado pelas suas estatísticas, quantos gols você marca, estou feliz em fazer a pressão que outros não querem e fazer as coisas que os outros não querem fazer. Mas isso é muito importante para mim”.

“Mas como atacante, você sempre será julgado pelas estatísticas e quando olho para trás, digo a mim mesmo que eu sou muito grato a Deus que eu estou em campo e aproveito minha carreira, ele sempre esteve ao meu lado e me fez tomar as decisões certas. Ganhei muitas coisas na minha carreira que nunca imaginaria quando eu comecei. Quando olho para trás, fico muito orgulhoso”, disse o atacante.

Sobre a Copa: “Melhor sentimento que você pode ter como jogador”

Giroud lembrou também sobre a derrota em casa pela seleção francesa contra Portugal, na Euro 2016, antes de ir para a Copa do Mundo de 2018 e terminar como campeão, com o camisa 9 como titular na maior parte da campanha.

“Aquilo foi parte do sucesso, porque tivemos que lembrar a dor que tivemos ao perder a final para Portugal”, disse Giroud. “Isso nos ajudou a lembrar para nunca sofrer esse momento novamente. Eu não poderia ficar mais feliz do que voltar e ganhar a Copa do Mundo”.

“Você sempre tem que aprender desses momentos dolorosos. Amei a frase de Nelson Mandela quando ele disse: ‘Não me julgue pelo meu sucesso, me julgue em quantas vezes me levantei novamente’. Essa foi a melhor reação que poderíamos mostrar. Você precisa usar essas motivações para ter dias melhores depois”.

“Me sinto abençoado porque você fica no topo do mundo como jogador quando você ganha uma Copa do Mundo. É o melhor sentimento que você pode ter como jogador. Quando você ganha títulos, a Copa do Mundo, isso ajuda a sua confiança e ajuda você a acreditar. Eu nunca fico com excesso de confiança e eu tenho uma personalidade que me faz ter certeza que eu mantenha meus pés no chão. Mas talvez outras pessoas me vejam diferente disso”.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo