A Fifa conseguiu o que queria e aprovou um novo formato para o Mundial de Clubes. A partir de 2021, o torneio será realizado em junho e julho, com 24 times e a cada quatro anos. A ECA, Associação de Clubes Europeus, emitiu nota dizendo que seus membros irão boicotar o torneio. A ameaça não impediu a Fifa, que conseguiu levar a proposta adiante.

LEIA TAMBÉM: Denúncia de jornal aponta que o Catar comprou a Copa 2022 – e parece que a Terra é redonda também

 

O Mundial de Clubes passa a ocupar o espaço que era da Copa das Confederações, que deixa de existir. O torneio contará com oito clubes da Europa, seis da América do Sul e as demais vagas divididas entre as demais confederações. Cada confederação definirá como escolherá seus representantes.

“Houve muitas discussões construtivas, com o presidente da Uefa. Estamos avançando nesse assunto. Temos a responsabilidade de tomar decisões, e tomamos a decisão, e nas próximas semanas essas discussões vão dar frutos. Hoje há clubes que representam mais do que uma cidade, um país. Há clubes que são internacionais, têm fãs por todos os lados. Será importante para eles tentar ser campeões mundiais”, disse o presidente da Fifa, Gianni Infantino, na coletiva de imprensa, segundo informa o Globoesporte.com.

A Fifa bateu no peito para enfrentar os europeus. Aposta em um torneio que pode ser lucrativo, se conseguir convencer os europeus a cederem. “Quando a Champios League foi criada, decretaram que seria a morte dos campeonatos nacionais. Hoje todo mundo considera a UCL uma grande ideia. Respeito as ideias contrárias, mas estou otimista”, afirmou ainda Infantino.

A Uefa também é contrária à ideia do novo Mundial de Clubes. Infantino, aparentemente, apoia na própria capacidade de negociação para entrar um acordo. Inclusive com uma proposta robusta financeira para convencer pelos possíveis lucros. Enquanto isso, o Mundial de Clubes no atual formato seguirá sendo disputado em 2019 e 2020. A partir de 2021 o formato passa a ser o aprovado pela Fifa nesta sexta-feira.

A ideia da Fifa é que o Mundial de Clubes tenha a mesma sede da Copa do Mundo do ano seguinte, assim como acontecia com a Copa das Confederações. Porém, a edição de 2021 não seguirá esse padrão, porque a Copa do Mundo será no Catar e o país é quente demais nos meses de junho e julho. A sede do Mundial de 2021 ainda será definida posteriormente.

Copa 2022 com 48 times será definida em junho

A Fifa mantém a ideia de uma Copa do Mundo com 48 seleções já em 2022. Conseguiu a aprovação no Conselho da Fifa em Miami, o que fará com que a proposta vá para votação no Congresso da Fifa, em junho, e que conta com todos os 211 filiados que votarão. É um passo decisivo para que a expansão seja aprovada e, a esta altura, parece difícil que não aconteça.

O grande nó aqui é que os contratos da Copa 2022 estão assinados e, em tese, são de direito do Catar. Segundo a Fifa, para aprovar a expansão da Copa já em 2022 será preciso ao menos mais um país para compartilhar o evento. Considerando que o Catar sofre um bloqueio dos vizinhos, a solução será bastante complicada. O Comitê Organizado do Catar é firmemente contrário à ideia de ter 48 seleções na Copa de 2022, mas esperará pelo Congresso da Fifa em junho para manifestar-se a respeito. Há uma confiança que o país precisará concordar para que a mudança seja efetivada.