Liga Europa

O Arsenal não se cansou de perder gols e acabou cedendo o empate ao Slavia Praga nos acréscimos

Ingleses foram melhores no embate dentro do Emirates, mas o resultado é bastante amargo, até pelas circunstâncias

O Slavia Praga vinha de classificações contra Leicester e Rangers na Liga Europa, com duas vitórias dentro do Reino Unido. Nas quartas de final, os tchecos voltaram à Grã-Bretanha para enfrentar o Arsenal. E se o triunfo não veio desta vez, o saldo aos visitantes foi ótimo com o empate por 1 a 1 no Estádio Emirates. Numa partida abaixo do Slavia, o Arsenal dominou o encontro. Sobretudo no segundo tempo, criou uma série de chances e não se cansou de perder gols. O tento de Nicolas Pépé no fim até parecia fazer jus à superioridade dos londrinos, mas, nos acréscimos, os tchecos buscaram a igualdade e podem decidir a parada dentro de casa.

O Slavia Praga viajou à Inglaterra sem Ondrej Kudela. O zagueiro vem sendo investigado pelas autoridades britânicas por uma acusação de racismo no jogo contra o Rangers e preferiu não entrar no país, sob o risco de ser interrogado pela polícia. Além disso, o defensor foi banido preventivamente por uma partida, enquanto a Uefa realiza a investigação sobre o episódio. Já o goleiro Ondrej Kolar estava de volta, após sofrer uma fratura no rosto diante dos escoceses. No Arsenal, Mikel Arteta mantinha a opção de deixar Pierre-Emerick Aubameyang no banco, com Alexandre Lacazette no comando do ataque.

O primeiro tempo seria morno. O Slavia até parecia mais disposto nos primeiros minutos e teve uma boa oportunidade com Lukás Provod, mas adotava uma postura mais conservadora. Com o passar do tempo, os Gunners começaram a tomar controle do jogo e a encontrar espaços, muito pela boa movimentação puxada por Bukayo Saka. O garoto, aliás, perderia um gol de frente com Kolar aos 29, quando bateu para fora. Já aos 39, o goleiro salvaria os visitantes. Rob Holding acertou uma cabeçada firme e Kolar realizou uma defesaça para mandar a bola para fora.

Durante o segundo tempo, a partida se abriu bem mais ao Arsenal. O Slavia se adiantou em campo, não conseguia proteger sua linha defensiva e as oportunidades passaram a se acumular aos ingleses. O primeiro susto veio aos quatro, quando Willian carimbou a trave numa cobrança de falta. Leno chegou a fazer uma boa defesa contra Jan Boril, mas os espaços eram bem maiores aos Gunners. E um lance inacreditável aconteceu aos 17. Lacazette roubou uma bola no círculo central e arrancou sem nenhum jogador de linha à sua frente no campo ofensivo, só o goleiro. Parecia o lance de Diego Souza no Corinthians x Vasco de 2012. Sozinho diante de Kolar, porém, o francês carimbou a trave.

A partir daquele momento, os gols perdidos começaram a atormentar o Arsenal. Lacazette mandaria uma bola por cima na pequena área, sem chegar a tempo, e Thomas Partey chutou ao lado da trave da entrada da área. Mesmo os jogadores saídos do banco não ajudavam. Aubameyang falhou de frente com o goleiro e Gabriel Martinelli também bateu por cima duas vezes. Diante da massiva pressão, o alívio para o Arsenal veio aos 41,, com seu gol. Auba deu uma excelente enfiada pela direita, onde Pépé disparou. O francês ganhou da marcação na velocidade e deu um toquinho por cima de Kolar.

Contudo, o Arsenal não conseguiu preservar sua vantagem nos minutos restantes. O Slavia pressionou e saiu com o empate nos acréscimos. Leno realizou uma defesaça numa pancada de Provod, em bola que tocou na trave antes de sair. Só que no escanteio seguinte, aos 49, o cruzamento passou por todo mundo e Tomás Holes completou no segundo pau, dando um balde de água fria nos ingleses. Desperdiçar a vantagem que ia sendo construída em casa é péssimo, até pela forma como aconteceu.

O Arsenal joga não apenas a chance de um título europeu após três décadas. Ele também precisa da Liga Europa para seu planejamento, diante da única perspectiva de garantir uma vaga na Champions League. Não dá para criticar a atuação geral do time de Mikel Arteta, mas sim a falta de pontaria e o descuido no fim. A missão será dura na República Tcheca, ainda mais pelo bom nível do Slavia Praga nos torneios continentais. Esta já é a terceira temporada consecutiva que os tchecos batem de frente com clubes dos grandes centros europeus. Mesmo devendo em Londres, voltam com um valoroso empate na bagagem.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Bloqueador detectado

A Trivela é um site independente e que precisa das receitas dos anúncios. Considere nos apoiar em https://apoia.se/trivela para ser um dos financiadores e considere desligar o seu bloqueador. Agradecemos a compreensão.