Liga Europa

Mislav Orsic puniu a lenga-lenga do Tottenham e arrancou uma classificação heroica ao Dínamo Zagreb

A situação do Tottenham era muito confortável. Havia feito 2 a 0 no jogo de ida e enfrentava um time sem treinador, após Zoran Mamic pedir demissão por ter uma sentença de prisão confirmada por fraude. Talvez um pouco confortável demais porque passou mais de uma hora em um lenga-lenga danado, apenas esperando o tempo acabar. Acontece que Mislav Orsic tinha outros planos. Marcou três vezes, dois golaços, e arrancou uma classificação histórica para o Dínamo Zagreb com vitória por 3 a 0 – e uma eliminação vexatória para os Spurs.

Após um competente trabalho de desenvolvimento com Mauricio Pochettino, o Tottenham contratou José Mourinho pensando no curto-prazo. Quer ser campeão de alguma coisa. Ainda está na final da Copa da Liga Inglesa, contra o Manchester City, mas a Liga Europa, último título de maior importância do português, era uma ótima oportunidade, principalmente porque também lhe daria vaga na Champions League. Ainda pode conquistá-la pela Premier League, embora a concorrência esteja ferrenha.

Por mais que seja impossível garantir título em um mata-mata, ser eliminado desta maneira, por um time com menos recursos, em crise institucional, com dois gols de vantagem no placar e tendo praticamente abdicado de jogar durante mais de 80 minutos pode ser um abalo sísmico ao trabalho de Mourinho.

Os números mostram bem como o o Tottenham cozinhou o primeiro tempo. Teve 70% de posse de bola e conseguiu apenas quatro finalizações, uma no alvo. Foi perigosa, exigiu boa defesa de Livakovic cara a cara com Harry Kane. Lamela também teve um chute que poderia ser perigoso bloqueado por Kevin Théophile-Catherine (guarde este nome).

Mas de resto, apenas o Dínamo Zagreb atacou. Ainda sem acreditar muito que era possível vencer, também não criou muitas oportunidades. Teve um chute perigoso de Lovro Majer da entrada da área e um corte importante de Sánchez exigiu uma defesa plástica de Hugo Lloris – mais por via das dúvidas porque a bola provavelmente sairia.

Quem colocou fogo no jogo foi Orsic – muito, muito fogo. O jogador de 28 anos, no Dínamo desde 2018 e com cinco jogos pela seleção croata, acertou um lindo chute no ângulo de Lloris para abrir o placar, aos 17 minutos do segundo tempo. Mas nem o primeiro gol dos croatas tirou o Tottenham da zona de conforto. Com tanta qualidade à disposição, é uma pena que o mantra deste time seja atacar apenas quando for necessário, o que se tornou aos 37, quando Orsic entrou na área para completar o cruzamento rasteiro de Atiemwen.

E aí, finalmente, o Tottenham foi para cima. Bale fez uma linda jogada pela direita e cruzou na medida para Kane aparecer na segunda trave. A sua cabeçada passou por Livakovic, mas não passou por Catherine, que havia sido o vilão do jogo de ida, e a partida foi para a prorrogação.

O Dínamo Zagreb quase cometeu o crime logo no começo do tempo extra. Marin Leovac recebeu em ótima posição pela direita, mas ficou em dúvida entre chutar e cruzar e acabou não fazendo nenhuma das duas coisas. Tudo bem. O roteiro previa que o grande herói seria mesmo Orsic. Ele partiu com a bola na altura do meio-campo, pela esquerda, e saiu driblando marcadores do Tottenham como se fossem cones até chegar à entrada da área e marcar o gol da classificação com um chute rasteiro no canto de Lloris.

Contra Bale e Harry Kane em sequência, Livakovic fez duas lindas defesas para garantir que o Dínamo Zagreb não virasse abóbora nos minutos finais.

.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo