Liga das Nações
Tendência

Depois de três anos ausente, Jesús Navas é novidade da Espanha para o Final Four da Liga das Nações

Jesús Navas foi convocado mesmo aos 37 anos, pelo bom trabalho no Sevilla, enquanto Le Normand é o único novato

A federação espanhola não indica convicção total sobre a escolha de Luis de la Fuente como treinador da seleção. O comandante, porém, terá a sua primeira chance de título à frente da Roja na Data Fifa de julho. A Espanha está entre os finalistas da Liga das Nações, onde encara a Itália nas semifinais, com a chance de pegar Croácia ou Países Baixos / Holanda na decisão. De la Fuente realizou uma convocação cheia de novidades para o Final Four. Robin Le Normand é o novato da lista, após mudar sua elegibilidade por ter nascido na França. Já outra surpresa positiva é a volta de Jesús Navas, três anos após sua última aparição pela seleção.

Navas é o mais velho da convocação da Espanha, aos 37 anos. O capitão do Sevilla faz parte da seleção adulta desde 2009 e esteve presente em grandes momentos da equipe, sobretudo nas conquistas da Copa de 2010 e da Eurocopa de 2012. Antes um ponta incisivo, Navas tinha chegado a ficar cinco anos longe da Roja, de 2014 a 2019, até retornar como lateral direito. Fez parte do ciclo das eliminatórias para a Euro 2020, mas não disputou o torneio e deixou as listas de Luis Enrique em 2020. Depois de quase três anos, faz outro retorno. A fase com a camisa sevillista, campeão da Liga Europa, o referenda.

Vários trintões ganharam espaço na convocação da Espanha. Jordi Alba, mesmo de saída do Barcelona, aparece na esquerda. Sergio Canales volta a ser chamado para o meio-campo depois de dois anos longe, mesmo tempo de ausência de Rodrigo Moreno, relacionado para o ataque. Novidade na lista anterior, Joselu continua presente, mesmo com o rebaixamento do Espanyol em La Liga.

Já a convocação inédita de Le Normand não é tão surpreendente, diante do noticiário dos últimos meses. O zagueiro já tinha declarado que passaria a defender a seleção principal da Espanha, após sete anos vivendo no país. O jogador da Real Sociedad nasceu na França, mas nunca ganhou chances sequer nas seleções de base dos Bleus. Virou uma alternativa para os espanhóis aos 26 anos, após campanhas de destaque em La Liga. Pode até ser titular no Final Four da Liga das Nações, já que apenas outros dois zagueiros foram chamados – Aymeric Laporte e David García, capitão do Osasuna que estreou na Data Fifa de março. Rodri também pode ser improvisado no setor, como na Copa do Mundo.

Entre os nomes ausentes na nova lista de Luis de la Fuente estão Alejandro Balde, Pau Torres, Pedri, Thiago Alcântara, Dani Ceballos, Mikel Oyarzabal e Ferrán Torres. Nem todos estão em condições físicas, o que gera os desfalques. Mesmo assim, é uma seleção espanhola que não conta com sua melhor geração e também não está com sua melhor convocação possível.

Goleiros: Kepa Arrizabalaga (Chelsea), Unai Simón (Athletic Bilbao) e David Raya (Brentford).

Defensores: Dani Carvajal (Real Madrid), Jesús Navas (Sevilla), Aymeric Laporte (Manchester City), Robin Le Normand (Real Sociedad), David García (Osasuna), Jordi Alba (Barcelona) e Juan Bernat (PSG).

Meio-campistas: Rodri (Manchester City), Martín Zubimendi (Real Sociedad), Gavi (Barcelona), Mikel Merino (Real Sociedad), Fabián Ruiz (PSG) e Sergio Canales (Betis).

Atacantes: Dani Olmo (RB Leipzig), Álvaro Morata (Atlético de Madrid), Joselu (Espanyol), Rodrigo Moreno (Leeds United), Marco Asensio (Real Madrid), Nico Williams (Athletic Bilbao) e Yeremy Pino (Villarreal).

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo