Liga das Nações

Com o futebol que apresentou contra a Suíça, a Alemanha precisa se preocupar

A Alemanha empatou pela segunda vez na Liga das Nações. Depois do 1 a 1 contra a Espanha na estreia, desta vez novo empate, pelo mesmo placar, contra a Suíça, agora fora de casa, na St. Jakob-Arena, em Basel. O time de Joachim Löw teve um desempenho fraco, sem conseguir impor o seu jogo na segunda etapa, quando levou o empate depois de marcar no primeiro tempo.

[foo_related_posts]

Löw apostou novamente no esquema com três zagueiros e teve três atacantes. A Suíça, por sua vez, montou uma linha de cinco na defesa, outra linha de quatro no meio-campo e só manteve um atacante, o isolado Haris Seferovic. Tentou se defender como pôde. Isso, ao menos no primeiro tempo.

O primeiro gol saiu aos 14 minutos. Em uma boa jogada pela direita, o zagueiro Matthias Ginter tocou para trás e o meio-campista Ilkay Gündogan chutou colocado, no cantinho: 1 a 0. Uma tacada de bilhar do jogador do Manchester City, com uma imensa precisão na finalização.

A Suíça também tinha chances e Breel Embolo foi quem criou a melhor delas, em um passe para Renato Steffen finalizar, dentro da área. O goleiro Bernd Leno defendeu com segurança. Aos 30 minutos, a Alemanha chegou em uma ótima descida pela esquerda com Timo Werner, que cruzou rasteiro para a área, Julian Draxler finalizou de primeira no meio do gol, para defesa do goleiro YannSommer. No rebote, Leroy Sané também chutou e o goleiro defendeu de novo. Werner teria mais uma chance no fim do primeiro tempo, mas chutou por cima. Seferovic, por sua vez, respondeu em uma bola na trave.

No segundo tempo, Draxler perdeu uma boa chance no começo do segundo tempo em um chute de dentro da área. A Suíça não desperdiçaria a sua próxima chance. Aos 11 minutos, Embolo recebeu pela esquerda, fez a jogada e cruzou rasteiro para Silvan Widmer chutar forte e empatar: 1 a 1.

No final do jogo, a Alemanha parecia estar no lucro pelo empate, porque a Suíça era quem buscava mais o gol. Foram vários ataques seguidos e a pressão era dos suíços, que buscaram o gol até os minutos finais, sem sucesso.

Para a Alemanha, como para grande parte dos times, a Liga das Nações serve mais como teste, mesmo sendo jogos oficiais. O desempenho dos alemães ficou abaixo do esperado e o técnico acredita que uma parte disso se explica pelo físico. É possível, mas não pode ser a única explicação para o rendimento tão abaixo.

“Assim como foi no jogo contra a Espanha, nós merecemos marcar o segundo gol, o que nos daria mais segurança. Nós os deixamos voltarem ao jogo, perdemos muitas bolas e não fomos suficientemente decisivos. Então o resultado é uma representação justa do jogo”, afirmou o técnico Joachim Löw depois da partida.

“Estar à frente do placar duas vezes e não vencer [no jogo contra a Espanha e agora contra a Suíça] é irritante. Nós iremos atacar de novo nos jogos de outubro. Claramente, nem todos os jogadores estão na melhor condição física. Atualmente é um problema nosso que nós não somos capazes de decidir os jogos em nosso favor. Nós tivemos duas, três grandes chances no primeiro tempo e se nós aproveitássemos, a Suíça certamente não voltaria para o jogo”, disse ainda o treinador da Alemanha.

“Eu acho que nós começamos realmente bem o jogo e tivemos chances no primeiro tempo. É claro, nós sofremos um gol com um erro. Nós não estamos felizes com o resultado, mas estamos felizes com o nosso jogo. Eu acho que fizemos um bom jogo contra a Ucrânia no primeiro tempo. Hoje, na minha opinião, fomos o melhor time. Nós estamos em um grupo difícil, mas vamos esperar pelo melhor nas próximas três partidas.

“Não foi o nosso melhor jogo hoje, especialmente depois do intervalo. Nós perdemos as bolas muito facilmente. Foi um jogo similar ao que fizemos contra a Espanha, nós tivemos um desempenho pior à medida que o tempo passou. Nós não estamos 100% satisfeitos com a forma como estamos jogando. Jogar os 90 minutos duas vezes foi muito importante para mim pessoalmente, ainda que eu estivesse sem forças no final”, afirmou Julian Draxler.

“Infelizmente, foi um pouco parecido com o que aconteceu contra a Espanha. Nós precisamos de soluções melhores quando nós estamos sendo pressionados agressivamente. Nós precisamos trabalhar nisso, precisamos de jogadores que queiram a bola, mesmo que sob pressão. Nós perdemos muitas bolas no ataque, como pudemos ver no gol deles. Se você ganhar seis pontos e só ganha dois, é um pouco decepcionante”, disse Toni Kroos, capitão da Alemanha na partida.

A Liga das Nações é a competição menos importante entre todas que são disputadas. A preocupação de Joachim Löw deve ser com o time visando a Eurocopa em 2021. Por enquanto, há muitos atenuantes para o desempenho ruim, como a grande paralisação por causa da pandemia, que causou problemas físicos aos jogadores e os desfalques. Será importante retomar bons desempenhos para que a equipe volte a ser competitiva quando realmente for importante.

Os dois times voltam a campo em outubro, nos dias 7 e 10. A Suíça enfrenta a Croácia, em amistoso, e depois visita a Espanha. A Alemanha recebe a Turquia, em amistoso, e depois enfrenta a Ucrânia fora de casa.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo