Liga das Nações

Alemanha e Inglaterra proporcionaram um empate bem divertido pela Liga das Nações, com chances aos dois lados

A Alemanha foi superior na maior parte do tempo em Munique, mas também dependeu de Neuer e cedeu o empate no fim

Alemanha e Inglaterra ainda buscam a primeira vitória nesta edição da Liga das Nações. Os dois rivais se enfrentaram na Allianz Arena durante a rodada desta terça-feira e não saíram de um empate. Mesmo assim, ofereceram uma partida divertida, com o placar de 1 a 1. Os treinadores realizaram modificações em relação às estreias e até garantiram escalações mais recheadas. Proporcionaram um clássico aberto, de muitas chances de gol e oportunidades para os dois lados. A Mannschaft foi mais agressiva durante grande parte do tempo e saiu em vantagem, com chances de ampliar. Todavia, Neuer também operou seus milagres e os Three Lions evitaram a derrota em Munique já no apagar das luzes, com um pênalti convertido por Kane. Valeu pelos testes e também pelo entretenimento proporcionado em campo.

Depois da derrota para a Hungria, a Inglaterra acionou jogadores mais experientes poupados na ocasião. John Stones, Kieran Trippier, Kalvin Phillips, Raheem Sterling e Bukayo Saka estavam entre as novidades da escalação, ao lado de nomes como Harry Kane, Mason Mount e Harry Maguire. Já a Alemanha mudou até seu sistema em relação ao empate com a Itália, agora num 3-5-2. Nico Schlotterbeck, Lukas Klostermann, Jonas Hofmann, David Raum, Ilkay Gündogan, Jamal Musiala e Kai Havertz ganhavam espaço. Manuel Neuer, Antonio Rüdiger, Joshua Kimmich e Thomas Müller foram os intocáveis.

A Alemanha não esperou muito para acelerar a partida e criar as primeiras oportunidades. A Mannschaft aproveitava as jogadas de linha de fundo e assustou bastante aos três minutos, num escanteio cobrado por Joshua Kimmich. Antonio Rüdiger desviou e Kyle Walker impediu a finalização de Thomas Müller quase em cima da linha. A Inglaterra também reagiu rápido e buscava as jogadas com Harry Kane. Porém, os ingleses precisaram queimar sua primeira alteração aos 14, quando Kalvin Phillips se lesionou e deu lugar a Jude Bellingham. Neste momento, o Nationalelf até marcou um gol em cobrança de lateral rápida, que não valeu por causa do atendimento médico ao meio-campista.

A partida era intensa, mas a Alemanha demonstrava mais agressividade. Aos 23, as redes balançaram graças a Jonas Hofmann. Num lançamento longo, o camisa 18 avançou com o campo de ataque livre e definiu diante de Jordan Pickford. Porém, estava impedido. Do outro lado, Kane perdeu a melhor chance da Inglaterra na primeira etapa, ao isolar a sobra de um cruzamento que Manuel Neuer foi empurrado no alto por Harry Maguire. A partida ficava aberta, com chegadas constantes das equipes, mas seu ritmo seria um pouco quebrado pelos atendimentos médicos.

Com isso, seriam oito minutos de acréscimos. E o clássico voltou a esquentar um pouco mais nessa reta final. Na sequência de uma falta cobrada para a área, Pickford faria uma defesa segura contra Jamal Musiala. Depois, quando Bukayo Saka bateu forte no alto da meta, Neuer esticou o braço para fazer uma intervenção difícil. O garoto ainda teria mais uma batida de média distância antes do intervalo, mas sem acertar o alvo. O nível do embate era muito bom, faltando apenas um pouco mais de acerto da Alemanha no passe final.

O gol não demorou a sair no segundo tempo, aos cinco minutos. E premiou a Alemanha, que voltou em cima. A troca de passes fluía com calma, até Joshua Kimmich descolar uma excelente enfiada. Hofmann dominou sozinho na área e bateu no alto. Pickford também facilitou, com a mão mole na hora de tentar a defesa, permitindo que a bola ao seu alcance passasse. A diferença entre os goleiros, aliás, se evidenciou logo depois. Mason Mount arriscou de longe e Neuer foi ótimo para espalmar.

A Inglaterra parecia crescer em busca do empate, mas a Alemanha melhorou com as entradas de Serge Gnabry e Timo Werner. A Mannschaft voltou a encaixar os golpes Pickford se redimiria, evitando uma diferença maior. O goleiro realizou uma defesa excelente numa batida de Thomas Müller que quicou e depois também parou Timo Werner no mano a mano. Do outro lado, Jack Grealish e Jarrod Bowen foram as respostas inglesas. Aos 31, Grealish serviu Harry Kane e o gol só não saiu por um milagre de Neuer, salvando o arremate à queima-roupa graças ao movimento perfeito. Enquanto isso, Leon Goretzka viria no posto de Müller, recuando um pouco mais os alemães.

A reta final da partida pendia para a Inglaterra. Os Three Lions insistiam no empate e finalizavam bastante. Bowen teria um cruzamento fechado que levou muito perigo, até ser limpo na pequena área por Lukas Klostermann. Já aos 43, um pênalti de Nico Schlotterbeck sobre Kane deu a chance de ouro para o artilheiro. Na marca da cal, o centroavante não titubeou e só deslocou Neuer para marcar. Pouco antes, Leroy Sané entrou no lugar de Ilkay Gündogan, mas já parecia tarde para recolocar a Alemanha no ataque. Aos 45, Kane até recebeu uma bola limpa na área para buscar o segundo, mas furou. Os acréscimos ainda garantiram certa dose de suspense, mas sem nada concreto para transformar o placar.

A Alemanha soma dois pontos no Grupo A3 da Liga das Nações e ocupa a terceira colocação. A Itália lidera com quatro pontos e a Hungria vem com três. Já a Inglaterra está na última posição, com um ponto. No sábado, a Inglaterra recebe a Itália e a Alemanha visita a Hungria. Já na terça da próxima semana, acontecem Alemanha x Itália e Inglaterra x Hungria.

Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo