Liga das Nações

A rodada da Liga das Nações também foi um prato cheio de resultados marcantes aos nanicos da Europa

A Liga das Nações não é a disputa mais prestigiada às principais seleções da Europa. Ainda assim, oferece atalhos aos times de menor expressão do continente e até mesmo um bom nível competitivo para que eles se provem. Assim, alguns costumeiros sacos de pancadas em eliminatórias passaram a encadear resultados históricos – dentro de suas limitações. Nesta terça-feira, quatro nanicos obtiveram placares expressivos: Luxemburgo, Ilhas Faroe, Malta e San Marino.

Luxemburgo é quem vive o melhor momento e, não à toa, conquistou o acesso à terceira divisão na edição passada da Liga das Nações. A equipe continua se provando e agora é candidata ao acesso à Liga B. Os luxemburgueses assumiram a liderança do Grupo C1 nesta terça, com uma vitória de virada sobre Montenegro por 2 a 1, fora de casa. Os montenegrinos abriram a contagem em Podgorica com Igor Ivanovic, mas Edvin Muratovic empatou antes do intervalo. Já o gol decisivo saiu aos 41 do segundo tempo, num belo chute colocado de Danel Sinani – que havia determinado a vitória sobre Chipre no último sábado, com dois tentos.

 

Com o resultado, Luxemburgo iguala os nove pontos de Montenegro na liderança, mas leva a melhor no confronto direto com seu principal concorrente. Chipre e Azerbaijão, que completam a chave, empataram por 0 a 0 nesta rodada. Na próxima Data Fifa, os luxemburgueses visitam os cipriotas e depois fecham a participação em casa contra os azeris. Este foi o segundo triunfo consecutivo de Luxemburgo como visitante, uma série inédita ao país em jogos oficiais.

Na Liga D, quem está voando baixo é a equipe das Ilhas Faroe. Os nórdicos estão invictos no Grupo D1, com dez pontos conquistados após quatro rodadas. Desta vez, a vitória por 2 a 0 veio em cima de Andorra, em Tórshavn. Klaemint Olsen anotou os dois tentos de seu time. Os faroeses abrem cinco pontos de vantagem sobre Malta e ficam a dois pontos do acesso à Liga C. O país venceu três de suas últimas cinco partidas, numa série que não ocorria desde 1997.

Mesmo tão atrás, Malta não teve motivos para reclamar nesta terça. Pelo contrário, a equipe insular também conquistou uma vitória rara contra a Letônia. Aos 52 do segundo tempo, Steve Borg selou o triunfo por 1 a 0 em Riga. Os malteses não ganhavam um jogo oficial fora de casa desde 2013, quando bateram a Armênia nas Eliminatórias para a Copa de 2014. O time está invicto há quatro partidas, três delas oficiais, sequência que não vivia desde 2002.

E até mesmo San Marino teve motivos para se alegrar nesta terça de Nations. A seleção mais fraca da Europa saiu contente de Vaduz, com o empate por 0 a 0 contra Liechtenstein. Os samarineses poderiam ter vencido, já que finalizaram o quádruplo de vezes, com 17 chutes no total – um recorde da equipe nacional em uma só partida, segundo os amigos do Non Sense Football. Os visitantes chegaram a ter um gol anulado durante o primeiro tempo. Foi o primeiro ponto do país nestas duas primeiras edições de Liga das Nações; o quarto ponto somando todas as suas participações em competições oficiais; a primeira vez desde 2014 que não terminam um jogo derrotados; e também o primeiro empate fora de casa desde 2003. Gibraltar, com seis pontos, lidera o Grupo D2 da Nations.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo