Liga das Nações

A expulsão de Maguire abriu o caminho e, com Schmeichel decisivo, a Dinamarca triunfou em Wembley

A Inglaterra vinha de uma vitória essencial no final de semana, ao derrotar a Bélgica e despontar na liderança de sua chave na Liga das Nações. Tudo por água abaixo nesta quarta, com uma derrota sentida em Wembley. Os Three Lions tiveram dificuldades contra a Dinamarca e precisaram engolir o revés por 1 a 0. Por mais que se questione o pênalti que determinou o resultado, faltou autocontrole aos ingleses, sobretudo pela expulsão infantil de Harry Maguire no primeiro tempo. A equipe ainda lutou com um a menos, mas parou em Kasper Schmeichel e viu sua situação na competição se complicar.

Gareth Southgate preferiu rodar algumas peças em relação à vitória sobre a Bélgica. Nada que diminuísse tanto a qualidade do time. Conor Coady, Reece James, Kalvin Phillips, Ainsley Maitland-Niles e Harry Kane apareceram no 3-4-3 utilizado pelo treinador. Já a Dinamarca repetiu o time que bateu a Islândia no fim de semana, com destaque ao quarteto de frente formado por Yussuf Poulsen, Christian Eriksen, Martin Braithwaite e Kasper Dolberg.

A partida se mostrou dura à Inglaterra desde as primeiras ações. A Dinamarca levaria muito perigo aos dez minutos, em chute de Dolberg que passou rente a trave, embora a partida se concentrasse do outro lado do campo. O problema dos Three Lions era passar pela resiliente defesa nórdica, que mal concedia espaços. Quando Kasper Schmeichel precisou intervir, foi num chute tranquilo de Marcus Rashford. Os ingleses insistiam principalmente pelo lado direito do ataque, com Reece James e Mason Mount, mas sem tanta precisão.

O drama se tornaria real aos 31. Harry Maguire tinha recebido um amarelo logo no primeiro minuto, num carrinho atrasado, e cometeu o mesmo erro numa disputa com Dolberg no meio-campo. Terminou expulso. Quatro minutos depois, a Dinamarca já aproveitaria sua vantagem para decretar a vitória. Numa marcação discutível (sem o uso do VAR na Liga das Nações), Kyle Walker acertou a perna de Thomas Delaney. A arbitragem marcou a penalidade e, na cobrança, Christian Eriksen superou Jordan Pickford. Apesar da situação, os ingleses melhoraram na reta final do primeiro tempo, ainda que sem buscar o empate.

Durante o segundo tempo, a Dinamarca administrava mais o jogo e tentava fazer o relógio correr, sem agressividade. A Inglaterra tinha bem mais pressa e tentou crescer a partir dos 20 minutos. Foi quando esbarrou num gigantesco Schmeichel. O goleiro fez uma defesa monumental em cabeçada à queima-roupa de Mount, espalmando para fora.

Os dinamarqueses acordariam depois disso e pressionaram um pouco mais, mas o risco de empate existia. Schmeichel voltou a trabalhar numa cobrança de falta venenosa de Reece James. Os ingleses paravam na defesa sólida dos visitantes e, nos minutos finais, viram suas esperanças limitadas às bolas paradas. Nos acréscimos, Simon Kjaer salvaria em cima da linha a cabeçada de Conor Coady e confirmaria o triunfo. Ainda sobraria tempo para Reece James receber o vermelho direto por reclamação ao apito final.

A Inglaterra fica em uma situação delicada na Liga das Nações. Soma sete pontos, na terceira colocação de seu grupo. A Dinamarca também tem sete, em vantagem no confronto direto. Já a Bélgica lidera com nove. Para não serem eliminados precocemente, os Three Lions terão que buscar ao menos o empate na visita aos belgas na próxima rodada.

Classificação fornecida por
Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo