Liga das Nações

A Áustria também complicou a vida da França, que só empatou e ficou com a lanterna de seu grupo na Liga das Nações

A França conseguiu buscar o empate graças à entrada de Mbappé, mas o goleiro Pentz foi decisivo para a Áustria

Este início de Liga das Nações não permite muitas previsões. No combo entre jogadores em fim de temporada e equipes com a cabeça na Copa do Mundo, muitas são as surpresas. E mais uma viria no Estádio Ernst Happel, onde a Áustria segurou o empate por 1 a 1 contra a França – sem sua escalação principal, mas com algumas das estrelas presentes. O time de Ralf Rangnick mais uma vez teve boa postura e conteve o ímpeto dos franceses, até abrir o placar. Já no segundo tempo, a pressão dos Bleus aumentou e Kylian Mbappé, voltando de lesão, possibilitou a igualdade. Também merece os créditos o goleiro Patrick Pentz, fundamental para evitar a virada. O placar final, de qualquer maneira, não ajuda tanto os atuais campeões do mundo. A França termina a rodada na lanterna do Grupo A1.

A França novamente rodava o time em relação aos jogos anteriores. A defesa tinha Ibrahima Konaté e William Saliba no meio da zaga, além de Benjamin Pavard e Theo Hernández nas laterais. Aurélien Tchouaméni seguia na cabeça de área, com a companhia de Boubacar Kamara. Antoine Griezmann, Moussa Diaby e Kingsley Coman formavam a trinca de meias. Já na frente, estava Karim Benzema. Já a Áustria confiava na espinha dorsal formada por David Alaba (na zaga), Xaver Schlager, Marcel Sabitzer e Marko Arnautovic, num 4-4-2 sem muitas invenções de Ralf Rangnick.

A França partiu para cima, como esperado, mas sem encontrar muitos espaços. A Áustria marcava firme e pressionava os adversários sem a bola. Apesar das dificuldades, os Bleus se aproximaram do primeiro gol especialmente aos 18, numa falta cobrada por Antoine Griezmann. O goleiro Patrick Pentz espalmou e, no rebote, Karim Benzema cabeceou para um milagre do arqueiro. Os anfitriões estavam muito ligados na defesa e conseguiam afastar o perigo com frequência.

A Áustria tinha seu escape nos contra-ataques. A marcação por vezes subia e isso permitia aos anfitriões ameaçarem. Foi a chave para que o gol surgisse, aos 37. Xaver Schlager foi o responsável por recuperar a bola e acelerar na intermediária. Já dentro da área, Marko Arnautovic penteou a bola e esperou a passagem de Konrad Laimer. Então, o cruzamento rasteiro chegou na medida para Andreas Weimann só escorar. Arnautovic ainda poderia ampliar na sequência, mas a reta final do primeiro tempo teria a França mais acesa. Benzema carregava o time e, num tiro cruzado, parou no goleiro Pentz.

A França retornou para o segundo tempo sem alterações, mas com outra atitude. A pressão era toda dos Bleus, que finalizavam sem medo. Benzema era quem mais martelava, enquanto Benjamin Pavard exigiu ótima defesa de Pentz. Coman também bateu com muito perigo por cima, aos dez. Logo Didier Deschamps faria as primeiras alterações, com as entradas de Kylian Mbappé e Matteo Guéndouzi. Já a Áustria botou Karim Onisiwo, Michael Gregoritsch e Kevin Danso – apesar das saídas de Arnautovic e David Alaba, ambos lesionados.

As alterações quebraram o ritmo da França. A Áustria voltou a se impor no setor defensivo e evitava os riscos. Também gastava o tempo com os ataques rápidos, que ajudavam os austríacos a segurarem a bola no campo de ataque. Aos 34, Deschamps voltou a mexer, com Christian Nkunku na vaga de Coman. E o empate não demorou, aos 38, num raro contra-ataque. Foi a prova de que Mbappé estava inteiro. Nkunku deu a enfiada por dentro e Mbappé acelerou, sem que ninguém pegasse, até mandar um foguete no alto da meta.

A França se mostrava mais inteira para buscar a virada e provocou uma blitz no final. Mbappé era quem mais atormentava. O atacante voltou a disparar aos 42 e bateu à queima roupa diante do goleiro. Pentz realizou outra defesa inacreditável, em leve desvio que botou o míssil na rota do travessão. Os franceses também tiveram uma sequência de bolas paradas. Nos acréscimos, Pentz seria mais uma vez providencial, ao desviar quase em cima da linha uma cabeçada de Guéndouzi. O goleiro fez toda a diferença no placar. No último minuto, a Áustria teve a oportunidade de encaixar seu último contragolpe, mas o passe de Onisiwo saiu muito forte. Prevaleceu o empate.

A França fecha a terceira rodada da Liga das Nações com apenas dois pontos e corre o risco de rebaixamento. A liderança no Grupo A1 é da Dinamarca, com seis pontos, enquanto Áustria e Croácia ficam com quatro pontos. A última rodada desta Data Fifa, na próxima segunda, terá França x Croácia e Dinamarca x Áustria.

Standings provided by SofaScore LiveScore
Foto de Leandro Stein

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreveu na Trivela de abril de 2010 a novembro de 2023.
Botão Voltar ao topo