EspanhaEurocopa

Morata: “Pedri me deixa alucinado. Joga como se tivesse 40 anos”

O atacante da Espanha também falou sobre como está lidando com as críticas e as ameaças que sua família recebeu

Pedri tem apenas 18 anos, mas joga como se tivesse 40, na opinião do atacante Álvaro Morata, que tem certeza que a jovem revelação do Barcelona será um dos maiores jogadores da história da seleção espanhola.

A amostragem ainda é pequena para basear a declaração ousada do centroavante da Espanha, mas em pouco tempo de carreira, Pedri já foi o jogador que mais partidas disputou pelo Barcelona na última temporada, a sua primeira no time principal, e sétimo em minutos.

Pela seleção espanhola, estreou em março deste ano e foi utilizado em todos os jogos desde então, menos um amistoso contra a Lituânia. Esteve também em campo durante todos os minutos da Espanha na Eurocopa, e tem impressionado.

“Pedri me deixa alucinado. Tanto Pedri quanto Eric García. Teve um ano complicado e olha para ele, em um nível altíssimo na seleção. E o Pedri, sabe, ele joga como se tivesse 40 anos. Algumas pessoas e jogadores precisam de muito tempo para administrar emoções, pressão e se tornarem fortes em algumas coisas e há outros que tomam isso como padrão”, afirmou, em entrevista à rádio Cadena Ser.

“Isso não se compra. Pode ser melhorado com o tempo. A personalidade e a atitude que ele tem… poucos têm. Espero que tenha sorte com as lesões porque será sem dúvida um dos melhores jogadores da história da Espanha”, acrescentou Morata.

Apesar de ter marcado dois gols na Eurocopa, Morata tem sido criticado pelo excesso de chances perdidas e, para variar, alguns idiotas exageraram e chegaram a ameaçar o jogador e sua família de morte. Causou ainda mais incômodo a Morata em meio a uma pandemia que mostrou como todos somos frágeis.

“Todas as pessoas que perderam parentes, perderam pessoas… e em um jogo de futebol”, disse. “Se a pessoa que fez aquilo estiver me ouvindo, não sei se tem filhos ou se planeja tê-los, mas espero que isso nunca aconteça. Acho que as crianças têm que ser educadas e, acima de tudo, temos que tentar ser pessoas melhores. Passamos por momentos ruins como sociedade, como população mundial, e acho que coisas muito bonitas podem ser alcançadas. Há uma linha em que nosso trabalho tem que ser nosso trabalho. Eu trabalho e desejar que alguém morra não está certo”.

Morata disse que tenta se manter focado e sereno diante das críticas, sem se abalar demais e contou o quanto foi importante para sua confiança a declaração de Luis Enrique de que a seleção espanhola é “Morata e mais dez”.

“Garanto que quero aproveitar todas as chances que tenho. Quero vencer todas as partidas e voltar para casa no dia 12 de julho (dia seguinte à final)”, disse. “Para o técnico, teria sido fácil me tirar e colocar outra pessoa. Ele valorizou o que eu fazia, coisas que não tinham nada a ver com o gol. Estou totalmente grato. E, como eu, toda a equipe está com ele até a morte”.

Após empatar as duas primeiras rodadas, a Espanha goleou a Eslováquia por 5 a 0 e passou pela Croácias nas oitavas de final. Enfrentará a Suíça na próxima fase por vaga na semifinal.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo