Eliminatórias da Eurocopa

A máquina de quebrar recordes segue ligada: Haaland está próximo de derrubar marca que vem desde 1934

Erling Haaland está perto de quebrar um recordo pela seleção da Noruega que foi estipulado por Jorgen Juve, um dos maiores ícones do futebol do país escandinavo, em 1934

Erling Haaland não cansa de quebrar recordes. Além dos números impressionantes pelo Manchester City, o atacante também está próximo de alcançar mais uma marca, desta vez pela Noruega. Das 213 seleções afiliadas à Fifa, a equipe do país nórdico é a que tem o recorde de artilharia mais antigo do mundo, existente desde 1934. No entanto, Haaland está a apenas seis gols de superá-lo.

A marca histórica foi definida por Jorgen Juve, que anotou 33 gols em 45 jogos com a camisa norueguesa, incluindo cinco hat-tricks. Quase 90 anos depois, o atacante do City, que começou a balançar as redes pela seleção apenas em 2020 – ou seja, há menos de três temporadas – já pode estipular uma nova artilharia em seu país natal.

O primeiro jogo da Noruega nesta Data Fifa é um amistoso em casa contra as Ilhas Faroé, nesta quinta-feira. Já no domingo (19), a equipe enfrenta a Escócia, em Glasgow, pelas Eliminatórias a Eurocopa 2024.

Jorgen Juve: um ícone da Noruega

Por mais que a marca de 33 gols não seja tão impressionante, um fato chama a atenção na trajetória de Jorgen Juve pela Noruega: ele só jogou no ataque em menos da metade dos jogos por sua seleção. Durante a maior parte do tempo, Juve atuou na defesa, de onde liderou o grupo como capitão até a medalha de bronze nas Olimpíadas de 1936. Isso explica por que o último gol ocorreu três anos antes de sua aparição derradeira na equipe, em junho de 1934.

O ex-jogador se tornou uma figura importante na Noruega também fora das quatro linhas, após pendurar as chuteiras, em 1937. Alguns anos depois da aposentadoria, Juve se tornou um renomado jornalista esportivo. Ele morreu em 1983, mas desde então seu feito continuou intacto. Pelo menos até o surgimento do “cometa” Haaland.

Considerando a alta taxa de hat-tricks que Haaland tem em jogos pelo Manchester City, não está fora de cogitação que ele possa marcar seis gols nas duas partidas pela Data Fifa desta semana.

Haaland pode elevar o patamar da seleção norueguesa

Com apenas 23 anos, Haaland mantém uma média de quase um gol por jogo por seu país natal, o que inevitavelmente será difícil para ele sustentar ao longo de toda a carreira. Mas vale ressaltar o quão impressionante são os números do atacante.

Isso porque a Noruega é, tradicionalmente, uma equipe defensiva, que privilegia os contra-ataques e as bolas longas. No auge do comando de Egil Olsen, em meados da década de 1990, o time costumava usar um atacante fora de posição, que era o “dono” das bolas longas e diagonais. Porém, mesmo esmo no auge, os escandinavos nunca foram muito competitivos.

A Noruega só se classificou para quatro torneios importantes, em 1938, 1994, 1998 e 2000, mas só venceram três partidas nesse . Uma situação semelhantes à Itália que, por vezes, contou com atacantes de alto nível, como John Carew, Ole Gunnar Solskjaer, Tore Andre Flo, Steffen Iversen, mas em outros momento sofreu com a completa escassez de nomes de peso.

Neste momento, a Noruega ostenta o centroavante de maior sucesso da Europa, e isso pode mudar completamente o patamar do país no futebol. Se Haaland permanecer com uma média semelhante a que tem hoje, poderá encerrar a carrreira na lista de melhores artilheiros de todo o mundo por seleções.

A questão mais ampla é se, em breve, Haaland poderá marcar gols em um grande torneio de seleções. Afinal, a Noruega não se chega à Eurocopa desde 2000. Apesar da presença do atacante de City e do capitão do Arsenal, Martin Odegaard, a seleção norueguesa não conseguiu se classificar diretamente para a Euro do ano que vem.

Espanha e Escócia ocupam os dois primeiros lugares do Grupo A das Eliminatórias, enquanto a Noruega está em terceiro – cinco pontos atrás do vice-líder. É possível que os noruegueses se classifiquem, pelo menos para a repescagem semifinal, onde vão poder batalhar por vaga na principal competição do continente europeu em março.

Foto de Livia Camillo

Livia CamilloSetorista

Formada em jornalismo pelo Centro Universitário FIAM-FAAM, escreve sobre futebol há cinco anos e também fala sobre games e cultura pop por aí. Antes, passou por Terra, UOL, Riot Games Brasil e por agências de assessoria de imprensa e criação de conteúdo online.
Botão Voltar ao topo