Eliminatórias da Eurocopa

Grécia destrói Cazaquistão e mantém acesa a chama do bi da Eurocopa

A Grécia precisou apenas de um tempo para acabar com o sonho do Cazaquistão de disputar a Eurocopa de 2024

A Grécia segue viva na briga por uma vaga na Eurocopa de 2024 após golear o Cazaquistão, por 5 a 0, em partida (ou massacre) disputada nesta quinta-feira (21), na OPAP Arena, em Atenas, capital grega. O jogo valeu pela repescagem para a principal competição de seleções da Europa, que será disputada a partir de junho, na Alemanha. Os gols do jogo foram marcados por Bakasetas, Pelkas, Ioannidis e Kourbelis, todos no primeiro tempo, e Marochkin, contra, na etapa final.

Com a vitória, a Grécia se classificou para enfrentar a Geórgia, do craque Khvicha Kvaratskhelia, do Napoli, da Itália, que eliminou a Seleção de Luxemburgo. A seleção vencedora do confronto estará classificada para a Eurocopa. O jogo decisivo será disputado em solo georgiano.

Caso consiga a qualificação, a Grécia retornará a uma Euro após 12 anos, já que foi em um longínquo 2012 que o selecionado grego disputou a competição pela última vez. Uma eventual qualificação manteria vivo o sonho do bicampeonato para a Seleção Grega, que conquistou o troféu em 2004, numa das maiores zebras da história do esporte. Bem, a possibilidade pode parecer um mero devaneio, assim como parecia há 20 anos.

Grécia atropela na primeira etapa

Os gregos entraram em campo com: Odysseas Vlachodimos; George Baldock, Mavropanos, Hatzidiakos e Tsimikas; Kourbelis, Bakasetas e Mantalos; Masouras, Pelkas e Ioannidis. A equipe responde às ordens do treinador uruguaio Gus Poyet.

Já o Cazaquistão foi escalado pelo russo Magomed Adiev da seguinte forma: Shatskiy; Kairov, Bystrov, Marochkin, Erlanov e Vorogovskiy; Chesnokov, Beysebekov, Zaynutdinov e Astanov; Samorodov.

Visando o sonho de voltar à Eurocopa, a Grécia começou a partida com tudo e logo aos 7 minutos criou uma grande chance com o meia Dimitrios Pelkas, do Istanbul Basaksehir, da Turquia. O camisa 10 finalizou bem, de dentro da área, obrigando Shatskiy a fazer grande defesa. A bola ainda bateu na trave. No rebote, o próprio Pelkas ficou com a bola e foi derrubado na área. Pênalti. Bakasetas foi para a bola e mandou uma bomba, aos 8, para abrir o placar.

Seis minutos depois, aos 14, foi a vez de Pelkas anotar o seu gol. Mesmo não sendo tão alto, com 1,75 m, o camisa 10 antecipou a defesa cazaque e completou de cabeça um belo cruzamento de Masouras, feito após bonita troca de passes, marcando o segundo da Grécia no jogo.

Perdendo por 2 a 0, o Cazaquistão até tentou avançar, mas sem muito sucesso. Ainda assim, os cazaques criaram uma chance clara de gol quando Chesnokov arriscou de longe, a bola desviou e acertou a trave de Odysseas, hoje goleiro reserva do Nottingham Forest, da Inglaterra.

O terceiro gol grego, marcado aos 36 minutos, foi um golaço. O garçom Masouras, ponta do Olympiacos, voltou a fazer o papel de garçom e após receber livre pela direita, invadiu a área e fez um lindo cruzamento de trivela para Ioannidis, do Panathinaikos, que finalizou com estilo e ampliou.

Ainda havia tempo para mais um. Jogador mais badalado do time, o lateral-esquerdo Konstantinos Tsimikas, do Liverpool, aproveitou jogada em cobrança de escanteio curto e cruzou a bola na cabeça de Kourbelis, que guardou, ajudando sua seleção a levar um sonoro 4 a 0 para o intervalo.

Grécia diminui ritmo e Cazaquistão esbarra na própria falta de talento

Já com o placar definido, a Grécia voltou para o segundo tempo com o pé no freio e o Cazaquistão se aproveitou disso para se manter mais presente no campo de ataque. Apesar de até conseguir criar volume de jogo, os cazaques acabavam tropeçando nas próprias limitações técnicas e, por isso, não conseguiam finalizar bem as jogadas criadas.

Conforme os minutos foram passando, Gus Poyet passou a mexer em sua equipe, tirando seus principais jogadores de campo, numa forma de poupá-los para a decisão contra a Geórgia. E o que poderia diminuir ainda mais o ímpeto grego, acabou tendo efeito contrário. Os suplentes entraram em campo tentando mostrar serviço e voltaram a pressionar os adversários, criando boas chances de gols, não convertidas no detalhe.

Com se não bastasse o resultado já muito ruim, aos 40 minutos, após cobrança de escanteio da Grécia, o zagueiro Marochkin tentou cortar e mandou de cabeça para seu próprio gol, ampliando a goleada para 5 a 0. Os gregos ainda tiveram novas oportunidades de gol, mas o placar acabou com um já sonoro 5 a 0, muito festejado pela torcida.

Foto de Maic Costa

Maic Costa

Maic Costa é mineiro, formado em Jornalismo na UFOP, em 2019. Passou por Estado de Minas, Superesportes, Esporte News Mundo, Food Service News e Mais Minas, antes de se tornar setorista do Cruzeiro na Trivela.
Botão Voltar ao topo