Eliminatórias da Eurocopa

Em ritmo de treino, Espanha goleia Chipre e segue na caça da líder Escócia

Intensa do primeiro ao último minuto, Espanha não deu chances para o Chipre e aplicou um 6 a 0 incontestável em Granada

A Espanha não tomou conhecimento do adversário, confirmou o favoritismo e goleou o Chipre por 6 a 0, nesta terça-feira (12), no Estádio Nuevo Los Cármenes (Granada), em jogo válido pela sexta rodada das Eliminatórias da Eurocopa. Os comandados de Luis de la Fuente fizeram partida sólida defensivamente, controlaram a posse de bola de maneira quase que absoluta do início ao fim e souberam aproveitar as chances claras de gol. Gavi, Mikel Merino, Ferran Torres (2x), Joselu e Álex Baena fizeram os gols do recital espanhol.

Com a vitória, a Espanha chegou aos nove pontos e se manteve na segunda colocação do Grupo A, seis pontos atrás da líder Escócia, que tem um jogo a mais. Vale destacar que escoceses e espanhóis se enfrentam na sétima rodada, dia 12 de outubro, em Sevilha. O Chipre, por sua vez, segue zerado e na lanterna da chave.

Com duas assistências, Nico Williams comanda vitória parcial da Espanha no primeiro tempo

Jogando em casa e contando com o apoio de sua torcida, a Espanha se aproveitou da fragilidade técnica do Chipre e começou a construir sua vitória já no início do primeiro tempo. Após blitz e pressão característica sobre o adversário, a Fúria abriu o placar com Gavi aos 17. Nico Williams recebeu lançamento preciso, ‘rasgou' a linha de marcação da defesa cipriota e cruzou para a área. O camisa 9 cria do Barcelona apareceu completamente livre, finalizou de primeira e estufou as redes do goleiro Joël Mall.

Nico Williams estava inspirado e foi peça crucial para o segundo gol espanhol. Após a seleção cipriota rebater chute de Rodri, o ponta direita do Athletic Bilbao ficou com a sobra na área e acertou cruzamento perfeito para Mikel Merino. O meia subiu mais alto que os marcadores, testou firme e ampliou. A dominância era tanta, que a Fúria foi as redes novamente. No entanto, o tento acabou anulado pelo VAR. Lamine Yamal chutou de fora da área e a bola explodiu no travessão. Morata, em impedimento, pegou o rebote e marcou.

A notícia triste dos 45 iniciais foi a saída de Nico Williams. O camisa 11 e principal destaque da Espanha até então na partida, sentiu desconforto muscular e pediu para ser substituído. Apesar da frustração com a lesão da jovem promessa, a seleção de Luis de la Fuente apresentou amplo domínio, sequer foi ameaçada pelos visitantes e arrancou aplausos na saída para o vestiário após o término do primeiro tempo.

Nico Williams sentiu lesão muscular e teve de deixar a partida (Foto: Icon Sport)

Espanha mantém intensidade, faz mais quatro gols e garante goleada

A etapa complementar seguiu a tônica do primeiro tempo, com a Espanha controlando as ações e o Chipre recuado, tentando anular as principais jogadas e variações dos mandantes. A Fúria seguiu rodeando a área visitante e insistindo em infiltrações e cruzamentos. Deu certo. Aos 25, Carvajal levantou na medida para Joselu, que havia entrado no lugar de Morata. O centroavante do Real Madrid se posicionou entre os defensores cipriotas e desviou para a meta: 3 a 0.

Assim como Nico Williams na etapa inicial, Carvajal concedeu duas assistências no segundo tempo. Depois de servir seu companheiro de Real Madrid (Joselu), o lateral-direito deixou Ferran Torres na boa para balançar as redes três minutos depois. Em tabelinha envolvente com o camisa 2, o ponta direita do Barcelona recebeu livre na área e fuzilou o gol de Mall. Aos 32, virou passeio. Álex Baena recebeu passe de calcanhar de Joselu e deixou o seu. O recital espanhol terminou com Torres, que aproveitou passe magistral de Rodri e fechou a conta: 6 a 0 e definitivamente jogo de um time só.

Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Apaixonado por futebol, uniu o amor pelo esporte mais popular do mundo ao jornalismo. Carioca da gema e grande entusiasta da Premier League, cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na música, vai de Post Malone a Armandinho. Eclético assim como na área técnica. Afinal, Guardiola e Mourinho são suas referências.
Botão Voltar ao topo