Champions LeagueInglaterra

Thiago Silva mostrou por que foi contratado pelo Chelsea com grande desempenho contra o Porto

Zagueiro foi um dos destaques de um Chelsea que se defendeu contra o Porto e foi seguro na defesa, como tem sido característico com o técnico Tuchel

Quando o Chelsea anunciou a contratação de Thiago Silva, prestes a completar 36 anos, houve quem torcesse o nariz. O brasileiro não teve o seu contrato renovado no PSG, onde era o capitão, e ficou livre no mercado. O Chelsea, então comandado por Frank Lampard e apostando em vários jovens, decidiu dar um contrato a ele. A aposta era que o jogador, muito conhecido por ser técnico, tem um ótimo posicionamento e ser líder, pudesse ajudar o time. A atuação diante do Porto, nas quartas de final da Champions League, foi um desses jogos que provaram que a aposta valeu a pena.

Desde que chegou ao Chelsea, Thiago Silva é um jogador importante no time titular. O bom posicionamento, a técnica e a liderança não são novidades. A capacidade de comunicação também não. O jogador fala francês fluente pelos temos de PSG e consegue se comunicar basicamente no inglês. Até por isso, é titular com frequência: dos 24 jogos realizados na temporada, só em um deles veio do banco de reservas – justamente na partida de ida das quartas de final contra o Porto, na semana passada, quando voltava de lesão.

A saída de Frank Lampard poderia ser prejudicial ao jogador, mas como quem chegou foi Thomas Tuchel, que o conhecia muito bem dos tempos de PSG, isso até facilitou o trabalho do brasileiro. Ele conhece o técnico, sabe das preferências do alemão e, mesmo em um esquema tático diferente, com três zagueiros, ele tem ido muito bem.

No jogo contra o Porto, Thiago Silva foi o zagueiro no centro da defesa, com Antonio Rüdiger pela esquerda e César Azpilicueta pela direita. Bloqueou dois chutes, fez um desarme e venceu os quatro duelos que teve contra adversários, um pelo chão e quatro pelo alto. Teve um índice de acerto de passes de 90% e afastou quatro bolas da defesa. Como é sua característica, se destacou pelo posicionamento. Foi o dono da grande área do Chelsea.

O centroavante Moussa Marega, do Porto, pouco conseguiu fazerem campo, sempre bem marcado por um dos defensores do Chelsea e com Thiago e Rüdiger sempre atentos ao seu posicionamento para impedir uma imposição física, em velocidade, ou pelo alto. Isso fica ainda mais claro quando olhamos para os toques na bola. Thiago tocou 46 vezes ao longo do jogo, enquanto Marega só tocou na bola 21.

As estatísticas nos ajudam a entender melhor o que vimos em campo, mas algumas coisas não são quantificáveis, como a liderança. Thiago é um jogador importante e desde que chegou ao Chelsea pareceu apostar em si mesmo. Aceitou contrato de apenas uma temporada, com opção do clube em renovar por mais um ano, se assim quiser, confiando no que pode fazer. E tem feito muito bem. Jogadores como Kourt Zouma, 26 anos, e Andreas Christensen, com 25, têm qualidade, mas veem como Thiago Silva é dominante no setor e podem aprender um pouco com ele para assumir o posto quando o brasileiro pendurar as chuteiras – e, ao que tudo indica, pode ser que isso demore ainda mais uma temporada, ao menos no Chelsea.

Até por isso, Thiago mostra que pode atuar na liga mais badalada do mundo, considerada a mais forte, mesmo sendo um veterano, e ter grandes atuações no principal torneio da Europa, a Champions League. Segue como um dos melhores zagueiros do mundo e, até por isso, continua justificando a confiança que têm também para seguir na seleção brasileira. Parecia muito improvável que o jogador tivesse condições de chegar à Copa do Mundo de 2022, que ainda será no fim do ano, mas vendo o desempenho do jogador, vale mesmo ficar de olho. Quando são veteranos, as coisas podem mudar muito em um ano, mas é um jogador que definitivamente está na briga por um lugar no elenco da seleção visando a Copa – e antes disso, a Copa América e as Eliminatórias da Copa.

Independente da Seleção, Thiago Silva mostra que pode ser um jogador muito importante ao Chelsea nesta temporada e talvez também na próxima. É um jogador de qualidade que pode seguir a sua carreira, mantido o nível, por até mais tempo do que isso, talvez até com um retorno ao Fluminense, clube que ele tem um grande carinho. Seja como for, tem sido muito bom ver um jogador como Thiago Silva em campo.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo