Champions League

Histórico: pacto do Real Madrid é tão grande que Joselu elimina Bayern na Champions

Em uma semifinal de Champions League para ser lembrada para sempre, Joselu foi o herói improvável do Real Madrid contra o Bayern

Nesta quarta-feira (8), o Real Madrid venceu o Bayern de Munique por 2 a 1, no Santiago Bernabéu, pelo jogo de volta da semifinal da Champions League. Com isso, os Merengues estão na final do torneio, onde enfrentam o Borussia Dortmund, no dia 1 de junho, em Wembley. E os Bávaros sofreram um duro golpe, já que foram eliminados nos acréscimos por Joselu, o herói improvável.

Essa foi a semifinal de Champions League que para sempre será lembrada. O Real Madrid fazia de tudo para ir às redes, porém, quem inaugurou o marcador foi o Bayern, que foi extremamente eficiente no contra-ataque. Os Bávaros também contaram com uma atuação de gala de Manuel Neuer, que se tornou uma muralha. O problema é que o goleiro alemão reviveu os Blancos com um erro fatal.

E se o futebol é dos oportunistas, Joselu está no topo do mundo. O centroavante espanhol, que chegou para complementar o elenco do Real Madrid, estava lá para castigar a falha de Neuer no Bayern de Munique. Depois, no desespero dos Merengues, ele também apareceu para virar a partida de forma antológica. Os Bávaros lutaram, mas não foram páreos para o pacto espanhol na Liga dos Campeões.

Como foi Real Madrid x Bayern de Munique pela Champions League

A verdade é que o 1º tempo da decisão da Champions League só teve um dono: o Real Madrid, que castigou a defesa do Bayern de Munique. Desde o primeiro minuto, os Merengues buscaram manter a posse de bola para criar chances de gol em seu campo de ataque. Já os Bávaros ficaram restritos a fecharem sua marcação e, quando possível, tentar arriscar um contra-ataque para balançar as redes.

Entretanto, essa estratégia do Bayern foi suficiente para o Real Madrid ter as oportunidades mais claras de gol. E o placar seria aberto se não fosse por Manuel Neuer, que se tornou um verdadeiro paredão debaixo das traves. Na jogada mais perigosa, em uma cobrança lateral dos Blancos em que a bola sequer saiu de campo, Vinicius Jr e Rodrygo ficaram no quase, cara a cara com o goleiro dos Bávaros.

Justiça seja feita, o Bayern de Munique também merece elogios por sua capacidade defensiva, já que parar o ímpeto do Real Madrid, em casa, na Liga dos Campeões, é uma tarefa bem complicada. Antes do intervalo, os Bávaros tentaram segurar mais a bola, na esperança de interromper o bombardeio dos Merengues. Em uma partida animada, o árbitro apitou o fim da etapa inicial.

O que é o futebol

Para o 2º tempo, o roteiro não foi tão diferente assim. O Real Madrid continuou dominando as ações de jogo, enquanto o Bayern seguiu apostando nos contra-ataques. Os Blancos encontraram um caminho mais fácil com Vini Jr pela esquerda, com Kimmich sofrendo em segurar o brasileiro. Por outro lado, os Bávaros também geraram perigo nas escapadas com transição rápida.

E é preciso valorizar o que é Neuer para o futebol. Aos 38 anos, após se recuperar de uma grave lesão, o goleiro pode bater no peito e se dizer um dos melhores da história na posição. O alemão colecionou milagres contra o Real Madrid. E as defesaças lá atrás não serviriam de nada se o Bayern de Munique não fizesse sua parte lá na frente. E após os Merengues tanto martelarem, quem sorriu foram os Bávaros.

Em um contra-ataque rápido, Harry Kane lançou um bolão para Alphonso Davies, que cortou seu marcador e acertou um petardo no ângulo. Logo na sequência, o Real Madrid fez um gol com Nacho, mas a arbitragem anulou por falta na jogada. O Bayern então fez o óbvio: montou uma verdadeira retranca para selar a classificação. E esse convite para os Merengues teria um preço altíssimo para os Bávaros.

Herói improvável

Tuchel tirou Kane para colocar Choupo-Moting. Ancelotti tirou Valverde para apostar em Joselu. E nessa loucura, quem se deu melhor foi o Real Madrid. E que tristeza para o Bayern de Munique, que viu Neuer falhar de maneira tão bisonha em um chute tranquilo de Vinicius Júnior. No rebote, o reserva dos Blancos marcou. Não à toa, os Bávaros ficaram com o psicológico abalado, e a virada era só questão de tempo.

Dito e feito. Na base do abafa, o Real Madrid balançou as redes de novo em um lance ajustado. A bola sobrou para Rudiger dentro da área. Ele então cruzou para o meio, encontrando Joselu, que se tornou algoz do Bayern. O pacto dos Merengues na Champions League segue mais vivo do que nunca. Azar dos Bávaros, que não conseguiram quebrar a mística que paira no Santiago Bernabéu.

Foto de Matheus Cristianini

Matheus Cristianini

Formado em Jornalismo pela Unesp, é apaixonado por esportes, acima de tudo futebol. Ama escrever sobre o que acontece dentro e fora de campo. Após passar por Antenados no Futebol, Bolavip Brasil, Minha Torcida e Esportelândia, se juntou à equipe da Trivela com muita vontade de continuar crescendo.
Botão Voltar ao topo