Champions League

Pedrada no próprio ônibus: desastre do Barcelona foi além do campo na Champions

O desastre do Barcelona não ficou restrito aos gramados, já que até a própria torcida protagonizou um papelão na Champions

O Barcelona foi do céu ao inferno em um piscar de olho nas quartas de final da Champions League. Após vencer o PSG por 3 a 2 na ida, no Parc des Princes, Xavi Hernández e companhia tinha uma boa vantagem para administrar em casa. E tudo parecia que daria certo para o Barça, tanto que Raphinha abriu o placar no Estádio Olímpico Lluís Companys aos 15 minutos.

Entretanto, tudo mudou após a expulsão de Araujo ainda no 1º tempo. Isso contribuiu para a remontada dos parisienses sobre o Barça, cujo placar final foi um 4 a 1. Só que a tragédia do Barcelona foi além do campo na competição, já que a torcida arremessou pedras no próprio ônibus da equipe antes da bola rolar. A informação é do jornal espanhol Marca.

Na chegada ao estádio, a delegação foi surpreendida com torcedores dos Culés atirando objetos e sinalizadores, pensando que estavam atacando o ônibus do Paris Saint-Germain. O que ajuda a explicar essa confusão foi a fumaça dos próprios sinalizadores, que dificultou a identificação do transporte do Barcelona. Fato é que a equipe de Xavi foi recebida de forma criminosa e hostil para o tamanho de uma decisão de Champions.

Os jogadores dos Blaugranas ficaram surpresos com a recepção negativa da própria torcida. Quando desceu do ônibus, Marc Guiu e Iñaki Peña conversaram sobre o ocorrido. O atacante argumentou que os torcedores “pensaram que era do PSG”, e o goleiro acabou concordando: “eles atiraram pedras”. Mesmo assim, isso foi só mais uma prova da tragédia que aguardava o Barcelona diante dos parisienses.

Clima no Barcelona ficou estremecido

Pedrada no próprio ônibus à parte, o clima no Barcelona ficou estremecido após a eliminação para o PSG na Champions League. Em entrevista, Gundogan não escondeu sua decepção com o resultado, principalmente da forma que foi. O meia chegou a dizer que o Barça estava com a partida “nas mãos” antes do cartão vermelho para o zagueiro uruguaio. O alemão ainda disse que o time “entregou” a classificação para os parisienses.

Gundogan ainda argumentou que Araujo não deveria ter feito o pênalti àquela altura do jogo, mas sim dar a oportunidade de Ter Stegen tentar defender. O meia foi crítico ao declarar que “ficar com um jogador a menos tão cedo mata a partida”. Por fim, o alemão ainda criticou o Barcelona como um todo no gol marcado por Vitinha, que selou a virada do Paris Saint-Germain.

Por outro lado, Xavi Hernández culpou a arbitragem pela expulsão do defensor, o que, para ele, foi injusto. Expulsão polêmica ou não, o treinador também reforçou que não vai permanecer no Barça após o término desta temporada. O Barcelona, por sua vez, não pode jogar a toalha em 2023/24, já que tem uma decisão pela frente em La Liga.

El Clásico pode aliviar ou piorar a crise

No próximo domingo (21), o Barcelona enfrenta o Real Madrid, no Santiago Bernabéu, pela 32ª rodada de La Liga. El Clásico pode aliviar ou piorar de vez a crise nos Culés, que ainda sonham com um título na temporada. Para isso, é preciso vencer o arquirrival e torcer para uma recuperação histórica, já que a diferença para os merengues, líderes do campeonato, é de oito pontos. A ver cenas dos próximos capítulos.

Foto de Matheus Cristianini

Matheus Cristianini

Formado em Jornalismo pela Unesp, é apaixonado por esportes, acima de tudo futebol. Ama escrever sobre o que acontece dentro e fora de campo. Após passar por Antenados no Futebol, Bolavip Brasil, Minha Torcida e Esportelândia, se juntou à equipe da Trivela com muita vontade de continuar crescendo.
Botão Voltar ao topo