Champions LeagueFrança

Emery e presidente do PSG tiveram a cara de pau de reclamar da arbitragem na derrota para o Real Madrid

Culpar a arbitragem é uma desculpa muito comum para treinadores que saem de campo derrotados. Às vezes com razão, na maioria das vezes sem. Na quarta, depois de ver o Paris Saint-Germain perder do Real Madrid na Espanha por 3 a 1 de virada, o técnico Unai Emery e o presidente do clube, Nasser Al-Khelaifi, reclamaram sobre a atuação da arbitragem. E o dirigente pegou pesado na crítica.

LEIA TAMBÉM: Rabiot super sincero: “É fácil fazer oito no Dijon, é nessas partidas que você precisa ser decisivo”

“Nós podemos falar sobre o árbitro”, afirmou Al-Khelaifi à rede de TV beIN Sports, que, aliás, é do Catar, como ele, e atua em muitos países europeus, como na Espanha. “Dois cartões amarelos, que não eram para cartão, um impedimento de Kylian [Mbappé] que também estava incorreto”, reclamou ainda o dirigente catariano.

“As pequenas coisas, como essas, também podem fazer a diferença contra os times grandes como o Real Madrid. Não foi apenas por isso, mas isso ajudou o Real Madrid, é claro. No ano passado, em Barcelona, o árbitro. Hoje [quarta], novamente, o árbitro. Eu acho que a Uefa deveria fazer alguma coisa”, reclamou ainda Al-Khelaifi. “Eu não falei com os jogadores. Todo mundo está decepcionado com o resultado. Nós fomos realmente bem no segundo tempo, os jogadores deram tudo”.

Al-Khelaifi tem razão quando reclama da arbitragem na temporada passada, no jogo da eliminação do PSG diante do Barcelona, no estádio Camp Nou. Apesar da atuação terrível do seu time em campo, o árbitro foi realmente muito mal e acabou tomando decisões muito questionáveis, para dizer o mínimo, em favor do time catalão. Neymar, naquele dia, acabou com o jogo. E os jornais franceses já começaram a lembrar que o time precisará de uma atuação desse tipo para reverter o resultado contra o Real Madrid em Paris.

O técnico Unai Emery foi na mesma linha do presidente do seu clube e também reclamou da arbitragem. “Sobre os dois gols marcados pelo Real Madrid no segundo tempo, eles tiveram suas chances durante o jogo”, disse Emery.  “Contudo, eu não gostei do modo como o árbitro apitou o jogo. Pequenas coisas, que podem se tornar grandes coisas, foram todas a favor deles”.

“Houve um pênalti contra nós, o pênalti que deveria ter acontecido pela mão de Sergio Ramos, os cartões amarelos que foram mostrados… Também parece que houve uma falta em Kimpembe na construção de um dos gols”, descreveu o treinador. “Eu estou feliz pelo modo como jogamos, mas infeliz com o resultado. Eu acho que o árbitro esteve mais perto do Real do que de nós”.

Pelo que vimos do jogo, soa mais como conversa de perdedor, querendo tirar o foco dos problemas do time. O que Unai Emery deveria mesmo se preocupar era em ter um jogo coletivo melhor e estar preparado para enfrentar a arma de Zidane quando levou Lucas Vázquez e Marco Asensio a campo, uma formação que jogou no fim de semana e foi absolutamente letal.

A Al-Khelaifi, o dirigente que parece que gosta tanto de aparecer, deveria estar mais preocupado em como vai fechar a conta do Fair Play Financeiro da temporada. Será preciso vender mais jogadores, porque as receitas devem aumentar com Neymar, mas o custo foi bem alto para gerar tanto dinheiro de uma vez só. São € 222 milhões, afinal, não é?

LEIA MAIS:
– Pelas mãos de Zidane, Real Madrid ressurge nos minutos finais e recobra sua grandeza contra o PSG
– Podcast Trivela #160: Ronaldo 1 x 0 Neymar
– “Não acabou”: jornais franceses acreditam em virada, mas criticam PSG

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo