Champions League

Di Maria tem noite mágica e Arthur Cabral se redime com gol que leva o Benfica para a Liga Europa

Di Maria só não fez chover contra o Red Bull Salzburg, mas foi Arthur Cabral quem saiu de vilão a grande herói pela classificação para a Liga Europa

Depois de não conseguir vencer nenhum de seus primeiros cinco jogos na fase de grupos da Liga dos Campeões, o Benfica bateu o Red Bull Salzburg, mesmo na Áustria, por 3 a 1, com enorme atuação de Di Maria e estrela do brasileiro Arthur Cabral. O resultado foi exatamente o que os portugueses precisavam para se classificar para a Liga Europa: vitória com dois gols de diferença. O que parecia uma grande decepção europeia foi salva nos minutos finais da partida.

Depois de cair nas quartas de final da última Champions, era esperado que o Benfica seguisse fazendo bonito nessa temporada. No entanto, uma fase de grupos desastrosa fez o time não terminar da forma como esperada no grupo D. Os Encanardos ficaram atrás de Real Sociedad e Inter de Milão, classificados para as oitavas, mas conseguiram a vaga para a Liga Europa de forma heróica, que ajuda a diminuir as feridas que o time criou recentemente. Para o Salzburg, que terminou em último no grupo, fica o gosto amargo de ter perdido uma importante vaga europeia nos minutos finais dentro de sua própria casa.

Di Maria brilha no primeiro tempo

O primeiro tempo foi bem dominado pelo Benfica, que teve as melhores chances. Quase todas elas passaram pelos pés do genial Angel Di María e do atacante Rafa Silva. Inclusive fora eles os autores dos gols benfiquistas. Rafa perdeu uma grande chance nos minutos iniciais ao invadir a área e, cara a cara com o goleiro, bater para fora, mas ele estava pressionado por três na hora da finalização.

Di Maria então entrou mais no jogo. Aos 30 minutos, fez jogada e cruzou para Tengsted, que não alcançou, mas a bola ainda tirou tinta da trave. Dois minutos depois, um lance genial do argentino, que bateu escanteio fechado e viu a bola passa por todo mundo e entrar, concluindo assim um golaço olímpico. O VAR ainda chamou o árbitro para ver uma possível falta de Otamendi no lance, mas o gol foi mantido. O Salzburg até tentou uma reação depois de levar o primeiro gol, mas sem muito sucesso e, na principal chance, parou em Trubin. Já nos acréscimos Di Maria deu excelente passe para para Rafa Silva invadir a área finalizando e ampliar para 2 a 0.

O herói improvável para o Benfica

Com o resultado desfavorável, que o levava a ficar de fora da Liga Europa, o Salzburg se impôs mais no segundo tempo. No entanto, quem teve a primeira grande chance foi o Benfica. Após um erro na saída dos austríacos, Di Maria cruzou para Rafa Silva, que bateu de primeira sozinho na pequena área, mas chutou em cima de Schlager, perdendo grande chance. Seis minutos depois, o Salzburg chegou ao seu gol com um chute de fora da área de Sucic, que ainda desviou e tirou qualquer chance de Trubin defender.

O gol animou o Salzburg, que se impôs mais. O brasileiro Fernando ,que entrou na segunda etapa, quase ampliou, mas dessa vez Trubin conseguiu defender. O Benfica conseguiu se reequilibrar após o baque, claro, com Di Maria. O argentino fez jogada individual na direita e bateu bonito da entrada da área, mas a bola caprichosamente pegou no pé da trave e foi para fora. Aos 30 minutos, os austríacos chegaram a empatar, mas Koita, que tocou por último na bola, estava impedido. Os portugueses responderam na sequência com mais uma jogada entre Rafa Silva e Di Maria, mas o português parou em grande defesa de Schlager, que cresceu pra cima dele.

O Benfica seguiu com muita pressão nos minutos finais e até tentou cavar pênalti em alguns lances, mas o árbitro não foi na dos jogadores e mandou o jogo seguir. Os Encarnados foram total ataque, com a maioria das bolas passando pelos pés do inspirado Di Maria. No entanto, quem conseguiu ser o herói da noite foi o brasileiro Arthur Cabral, que tinha se tornado o grande vilão após mostrar o dedo do meio para a torcida após o último jogo. O atacante entrou já nos acréscimos e foi o autor do gol da classificação, que teve direto a toque de letra para concluir o 3 a 1.

Arthur Cabral: de vilão a herói

Arthur Cabral, assim como o Benfica, não estão tendo uma temporada muito animadora, mas o atacante havia conseguido piorar a sua situação após o último jogo. Depois do decepcionante empate contra o Farense na última sexta-feira (8), os jogadores e o técnico benfiquistas foram muito cobrados pela torcida. Arthur Cabral, ao sair do estádio em um carro, foi flagrado fazendo o gesto de dedo do meio para alguns torcedores. Ele depois pediu desculpas e disse que fez o gesto “de cabeça quente” e afirmou que aquilo não iria se repetir.

Mas nenhum pedido de desculpas no futebol é tão bom quanto uma resposta em campo, e Arthur Cabral conseguiu dar essa resposta ao marcar o gol que diminuiu a péssima campanha que o Benfica fazia na Liga dos Campeões, levando o time para a Liga Europa.

Foto de Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick

Alecsander Heinrick se formou em Jornalismo na PUC Minas em 2021. Antes da Trivela, passou por Esporte News Mundo, EstrelaBet e Hoje em Dia.
Botão Voltar ao topo