Champions League
Tendência

Chelsea retoma segurança defensiva e deixa longe o sonho europeu do Porto

Com um gol no primeiro e outro no segundo tempo, Chelsea venceu o Porto por 2 a 0 e abre vantagem no jogo de ida das quartas de final da Champions League

O Chelsea conseguiu uma boa vitória sobre o Porto no jogo de ida das oitavas de final, com dois belos gols. A vitória por 2 a 0 veio com um gol em cada tempo, em uma atuação bastante segura, mais uma vez, do time de Thomas Tuchel. O time pareceu retomar o ótimo sistema defensivo, dando poucas oportunidades ao adversário e, assim, sofrendo pouco em campo. Com essa vitória, os Blues ficam mais perto da semifinal e deixam mais distante o sonho portista de repetir o feito de 2004, quando conquistaram a Champions League no comando de José Mourinho.

No fim de semana, o Chelsea tomou uma traulitada por 5 a 2 diante do West Brom. Um resultado assustador para uma equipe que, desde a chegada do técnico alemão, se caracterizou pela segurança defensiva e a consequente baixa média de gols sofridos. Se havia o temor que o time tinha virado o fio, a partida pela Champions contra o Porto deixou a sensação do contrário, que o time conseguiu retomar a sua forma eficiente de se defender.

O jogo foi disputado no estádio Ramón Sánchez Pizjuan, em Sevilha. Isso por causa das restrições de viagem por causa da COVID-19. Tanto o jogo de ida, com o mando do Porto, quanto o jogo de volta, com o mando do Chelsea, serão disputados no estádio na cidade espanhola. O primeiro foi nesta quarta-feira, 7, e o segundo será no próximo dia 13. O que significa que o segundo jogo será no mesmo estádio, com os mandos invertidos – e neste caso, os uniformes invertidos também: o Chelsea com o seu uniforme principal e o Porto com o reserva.

O Porto tinha os desfalques de Mehdi Taremi, assim como Iván Marcano. Já o Chelsea tinha a equipe praticamente completa. Só não tinha o garoto Charly Musonda Jr. O técnico Sérgio Conceição armou o seu time em um 4-5-1, tentando explorar os lados do campo para criar jogadas para seus jogadores centralizados. O Chelsea manteve o seu esquema com três zagueiros e aproveitando bem os lados do campo.

O início do jogo teve o Chelsea um pouco melhor, mas não demorou para que o Porto igualasse o jogo. Começou a chegar com perigo, inclusive em uma cobrança de escanteio do brasileiro Otávio, que quase marcou um gol olímpico. O goleiro Edouard Mendy foi pego de surpresa com a cobrança direta, mas conseguiu mandar novamente para escanteio.

Quem abriu o placar foi o Chelsea. Aos 32 minutos, Jorginho fez o passe para Mason Mount, o meia deu um giro lindo na marcação, ficou livre e chutou cruzado para marcar 1 a 0. Belo gol do Chelsea, que saída em vantagem. Precisando do empate, o Porto pressionou até o final do primeiro tempo e terminou a primeira etapa melhor. Quase conseguiu o empate em uma cabeçada perigosa de Pepe. Parecia haver um caminho para a reação.

No segundo tempo, o Chelsea melhorou, equilibrou o jogo e dificultou para que o Porto conseguisse chegar ao empate. Teve a bola em momentos importantes e soube usar isso para controlar o jogo, reduzindo o ritmo para impedir uma pressão portista. Tuchel resolveu também mudar a equipe para colocar jogadores mais descansados em campo. Colocou Christian Pulisic e Olivier Giroud nos lugares de Timo Werner e Kai Havertz. Embora mais descansados, nem o americano, nem o francês conseguiram melhorar o setor ofensivo.

O Porto, sem conseguir atacar com eficiência, não pareceu saber como encontrar um caminho. Tuchel aproveitou para tornar o Chelsea ainda mais seguro: colocou Thiago Silva e N’Golo Kanté nos lugares de Mason Mount e Reece James. Então, foi a vez do técnicdos Dragões também se mexer. Fez três mudanças de uma só vez: Chico Conceição, Toni Martínez e Fábio Vieira nos lugares de Wilson Manafá, Moussa Marega e Otávio.

As mudanças não tiveram o efeito esperado. Ainda se ajeitando em campo, o time acabou cometendo um erro fatal. Um erro no final do jogo acabou determinando a derrota. Jesús Corona errou o domínio, perdeu a bola para Ben Chilwell, que avançou de frente para o gol, driblou o goleiro e empurrou a bola para a rede: 2 a 0. Mais um belo gol do Chelsea e um placar muito mais confortável para os ingleses.

O jogo de volta será na próxima semana e, por mais que seja no mesmo estádio, a regra do gol fora de casa segue valendo. Assim, o Porto precisa de ao menos dosi gols para ter chance de uma classificação, ou ao menos levar a partida à prorrogação. Se o Chelsea perder por um gol de diferença, ainda estará classificado. Uma missão difícil para os comandados de Sérgio Conceição.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Bloqueador detectado

A Trivela é um site independente e que precisa das receitas dos anúncios. Considere nos apoiar em https://apoia.se/trivela para ser um dos financiadores e considere desligar o seu bloqueador. Agradecemos a compreensão.