Champions League

Por que o Bayern pode ser adversário melhor para o Arsenal do que o Porto?

Porto impôs maior dificuldade ao Arsenal, que se sai melhor contra times como o Bayern

Internamente no Arsenal, poucos devem ter ficado felizes em enfrentar o gigante Bayern de Munique nas quartas de final da Champions League 2023/24. Além do tamanho e sempre estar brigando pelo título, o histórico de freguesia inglesa e a sequência de três goleadas de 5 a 1 para os Bávaros pesa muito a favor do lado alemão, que visita nesta terça-feira (9) o Emirates Stadium pela partida de ida. No entanto, pode parecer inusitado, mas talvez alguns membros da comissão técnica não devem ter ficado tão assustados com o rival e a Trivela explica o porquê que o Bayern pode ser um adversário “mais acessível” que o Porto, o rival do clube londrino na fase anterior da Liga dos Campeões.

Motivos que fazem acreditar que o Bayern pode ser mais fácil para o Arsenal do que o Porto

Apenas o torcedor do Arsenal mais desavisado comemorou quando o sorteio da Champions definiu que o Porto seria o adversário nas oitavas. As duas eliminatórias mostraram como o clube português é “encardido” e vende caro qualquer resultado. A ida, em Portugal, terminou com 1 a 0 que poderia ter sido mais para os Dragões. Em Londres, os Gunners conseguiram um gol a partir de passe genial de Martin Odegaard e só avançaram graças aos pênaltis.

O que se destacou em ambos os jogos foi a dedicação defensiva dos portistas. O 4-1-4-1 era muito bem compacto, impedindo qualquer movimento no espaço entre meio-campo e defesa, local onde Odegaard costuma brilhar. Não era necessariamente uma linha baixa, e o time português também pressionava o rival no campo adversário.

Outro mérito do Porto, talvez o principal no primeiro jogo, foi dobrar a marcação nos pontas Bukayo Saka e Gabriel Martinelli. Sempre que eles dominavam, tinham dois adversários e não conseguiram partir para o mano a mano, uma das principais características da dupla. Saka, inclusive, em certos momentos teve que dar passos para dentro e deixar o corredor com Ben White tamanha a dificuldade. Na volta, Martinelli estava machucado e Leandro Trossard, autor do único gol gunner, foi quem jogou pela esquerda.

A realidade dessa partida é algo que o Arsenal mostra dificuldade na temporada. Quando há dobra na marcação dos pontas e adversários tiram o espaço entrelinhas, o time de Londres costuma ter problemas para criar chances claras.

E o encaixe no jogo com o Bayern deve ser exatamente o contrário. Os alemães, definitivamente, não devem adotar uma postura de ter posse baixa, como fez o Porto, até por características de um elenco extremamente técnico. A equipe alemã vai querer, como de praxe, dominar a bola e as ações ofensivas. O clube de Munique, extremamente irregular na temporada, tem problemas na defesa e foi vazado em 11 dos 12 últimos jogos. A única vez que teve um clean sheet? Justamente quando venceu a Lazio por 3 a 0 e avançou às quartas.

O Arsenal provavelmente não só contra-atacará, até por não ser a forma favorita deles jogarem, mas eles têm alternativas para atuar assim, especialmente com a velocidade de Saka e Martinelli — este, ainda recuperando a forma física após lesão. Os Gunners também contam com uma fortaleza defensiva, vazada apenas cinco vezes em toda Champions, e têm uma das melhores pressões no campo adversário de toda Europa.

Mas há contras: Kane e experiência do Bayern em Champions podem pesar

O favoritismo do Arsenal não é absoluto, talvez seja por volta de 55{62c8655f4c639e3fda489f5d8fe68d7c075824c49f0ccb35bdb79e0b9bb418db} a 60{62c8655f4c639e3fda489f5d8fe68d7c075824c49f0ccb35bdb79e0b9bb418db}, e isso principalmente por Harry Kane. Mesmo com a má fase do time, que pode terminar uma temporada inteira sem títulos após 12 anos, o centroavante inglês é quem mais marcou gols nas cinco grandes ligas (32 em 28 jogos pela Bundesliga) e lidera a artilheira da Champions junto de outros três jogadores, todos com seis. Há também o tempero a mais de ser o primeiro encontro do ídolo do Tottenham contra o maior rival após a saída da Inglaterra. Em North London Derbys, ninguém marcou mais gols que Kane, autor de 14 tentos frente aos Gunners.

Mais um fator que pode pesar ao lado alemão é a experiência em competições europeias. Com exceção de Kane e alguns outros, boa parte desse elenco já venceu a Champions e sabe bem como lidar com essa pressão. Ponto contrário do Arsenal, de volta ao torneio após seis anos, e que mostrou certo nervosismo contra o Porto. Do elenco londrino, antes das oitavas, apenas Kai Havertz, Jorginho, Gabriel Jesus e Oleksandr Zinchenko tinham jogado mata-mata de Liga dos Campeões.

Há muita coisa em jogo, aspectos táticos interessantes e será apenas o capítulo da eliminatória. A partida de volta acontece já na próxima semana, no dia 17, na Allianz Arena.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de eSports no The Clutch. Além disso, atuou como assessor de imprensa no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo