Champions League

Apesar de derrota na ida, Kimmich acredita em classificação contra o PSG: “Somos o melhor time”

Meio-campista prega maior eficácia no ataque para concretizar superioridade que viu no primeiro jogo

Demonstração sadia de confiança ou convite desnecessário ao azar? Independentemente de como você veja a declaração de Joshua Kimmich, do Bayern de Munique, afirmando que sua equipe é melhor do que a do PSG, adversário desta terça-feira (13) pela volta das quartas de final da Champions League, ela definitivamente coloca mais fogo no encontro em Paris que definirá um dos semifinalistas na principal competição de clubes do mundo.

Em entrevista ao site oficial do Bayern de Munique, Kimmich demonstrou plena confiança na capacidade de seu time de reverter a derrota por 3 a 2 em casa na ida para avançar na Liga dos  Campeões. Para o meio-campista, a atuação dos bávaros na semana anterior, apesar do revés, é um argumento para acreditar na virada.

“Como somos o melhor time, acredito que iremos avançar. Fomos melhores no jogo de ida, mas infelizmente o resultado não correspondeu à atuação. Independentemente disso, estou confiante de que ainda podemos reverter no jogo de volta”, disse o alemão.

Kimmich destacou o baixo número de chances criadas pelo PSG na partida de ida para reforçar a superioridade do Bayern, mas reconheceu que sua equipe precisará ser mais eficaz na frente do gol se quiser eliminar os parisienses.

“Muito se resumirá à mentalidade, mas também à eficiência. Já mostramos uma boa mentalidade no primeiro jogo, mas não fomos eficientes o bastante. Desta vez, precisamos fazer os dois. No jogo de ida, eles ameaçaram três vezes e marcaram três vezes. Exceto isso, não lembro do PSG tendo tantas chances. No geral, nosso ataque teve mais a bola e mais chances. Agora, precisamos aproveitar nossas chances.”

Apesar da ausência de torcedores diminuir a vantagem teórica que o PSG teria ao jogar em casa, Kimmich acredita que as equipes anfitriãs ainda têm um fator a mais quando atuam em casa, pela familiaridade com as instalações. Por outro lado, julga que atuar como visitante já não carrega mais o mesmo peso.

“Geralmente, você prefere jogar em casa porque conhece tudo: o campo, o estádio, o vestiário. Você está familiarizado com o ambiente. Será assim também para o PSG em Paris. Obviamente, é uma vantagem para os times visitantes o fato de que não há torcedores – ou pelo menos não é mais uma desvantagem a eles, como era quando havia torcedores”, avaliou.

Multicampeão pelo Bayern de Munique e mencionado frequentemente como um dos melhores do mundo em sua posição, não é estranho ver o nível de confiança demonstrado por Kimmich. Esta crença é ela também o que faz a força dos jogadores e das equipes de elite. Entretanto, o futebol ensinou inúmeras vezes que declarações como a do alemão podem ser um incentivo ao adversário e o prelúdio de tombos marcantes.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo