Champions LeagueEspanha

Ancelotti admite superioridade do PSG: “Não conseguimos ficar com a bola”

Técnico do Real Madrid admitiu a superioridade do PSG, mas ressalta que a eliminatória está aberta para o jogo de volta

O Real Madrid foi superado pelo PSG no jogo de ida das oitavas de final da Champions League e o técnico Carlo Ancelotti admitiu a superioridade do rival, mas lembrou que ainda há muito futebol a ser jogado no jogo de volta. Os blancos tiveram uma partida em que foram dominados, mas não por uma questão estratégica: os parisienses empurraram o time espanhol para o seu campo.

VEJA TAMBÉM: Expresso Trivela #29: Mbappé brilhante decide para o PSG

“Não conseguimos ficar com a bola e erramos muitos passes por causa da pressão alta deles. Eles fizeram isso bem e nos colocaram em dificuldade nesse sentido. Precisamos pressionar mais na segunda partida. Estamos atrás no placar e precisamos fazer melhor com a bola, o que não fizemos bem hoje”, afirmou o técnico do Real Madrid. “No jogo de volta, teremos 11 jogadores e mais o Bernabéu”.

O Real Madrid terá dois desfalques de peso no jogo de volta: o volante Casemiro e o lateral esquerdo Ferland Mendy, ambos suspensos por cartões amarelos. “Sabíamos que estávamos a um cartão de perder os jogadores para o jogo e os dois receberam cartões, mas iremos substituí-los com bons jogadores”, continuou Ancelotti. “Ainda temos o jogo de volta e há muito futebol a ser jogado”.

VEJA TAMBÉM: Mbappé: “Nos preparamos para essas grandes noites porque sonhamos com esse tipo de partida”

Courtois: “Nosso plano de jogo não muda tanto assim”

Um dos destaques da partida foi o goleiro Thibaut Courtois, que defendeu um pênalti de Lionel Messi e fez outras boas defesas contra um PSG que o testou. Apesar dos esforços, o gol no final saiu com Mbappé, em um lance que Courtois não conseguiu defender.

“Começamos bem o bastante, mas talvez não tivemos calma o suficiente com a bola e sofremos por causa disso, não contra-atacando o bastante. Perdemos uma bola estúpida, Mbappé passa por dois e consegue colocar a bola embaixo de mim. É difícil aceitar, mas não jogamos bem. Nosso plano de jogo não muda tanto assim estando um gol atrás. Precisamos vencer para avançar. Espero que, com o apoio dos torcedores, possamos fazer exatamente isso”, afirmou o goleiro.

“Nesse tipo de jogo você sabe, como goleiro, que você terá muita coisa para fazer. Estudei muito os pênaltis de Messi e tentei brincar com ele quando estava na linha. É preciso ter um pouco de sorte também”, afirmou o arqueiro belga.

Os dois times fazem o segundo jogo no dia 9 de março, no Estádio Santiago Bernabéu, e os merengues precisam vencer por ao menos um gol de diferença para levar para a prorrogação, ou dois gols ou mais para avançar no tempo normal.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo