MLS

Messi é finalista de prêmio da MLS, apesar de não ter feito quase nada

Messi apareceu em seis jogos, quatro como titular, e ainda concorre a Estreante do Ano da Major League Soccer

Havia sido ridículo colocar Lionel Messi, do Inter Miami, entre os indicados ao prêmio de Melhor Jogador da temporada regular da Major League Soccer, mas pelo menos ele não ficou entre os três finalistas. Por outro lado, concorrerá ao troféu de Estreante do Ano, apesar de não ter feito quase nada na liga americana em 2023.

Depois de brilhar na Copa da Liga da Concacaf e carregar o Inter Miami ao título, marcando em todas as partidas que disputou, Messi sentiu o peso dos 36 anos e teve problemas físicos que atrapalharam a tentativa tardia de classificação aos playoffs. Fez apenas seis jogos. Completou 90 minutos em três. Foi titular quatro vezes. Marcou um gol. Deu duas assistências. O time de David Beckham foi vice-lanterna da Conferência Leste e teve a terceira pior campanha no geral.

Os concorrentes de Messi tiveram uma produção muito maior ao longo das 34 rodadas da temporada regular da MLS. O grego Georgios Giakoumakis, atacante de 28 anos que chegou do Celtic e brilhou pelo VVV-Venlo, da Holanda, fez 17 gols em 27 partidas pelo Atlanta United. O outro finalista é Eduard Löwen, ex-Hertha Berlim e Nuremberg, que fez seis gols e deu nove assistências. Não são números assustadores, mas pelo menos jogou 29 vezes pelo St. Louis City.

Entre os indicados, e fora dos finalistas, ou seja, preterido por Messi, o zagueiro colombiano Yerson Mosquera foi titular em 25 partidas pelo Cincinnati, que conquistou o Supporter’s Shield com folgas – título dado ao time com melhor campanha na temporada regular. Mateusz Klich, ex-Leeds, participou de 32 das 34 rodadas, fez quatro gols, deu sete assistências e também foi deixado de lado.

Lionel Messi é gigante, e a sua contratação pelo Inter Miami pode ter impactos positivos ao futebol dos Estados Unidos, mas isso não acontecerá forçando a barra. A Major League Soccer tem que se dar um pouco de respeito também.

Finalistas do prêmio de melhor jogador

Messi havia feito apenas quatro partidas quando apareceu entre os 30 indicados ao prêmio de MVP – como os americanos gostam de chamar os craques das suas competições. Essa nomeação foi feita pelo próprio clube, então a responsabilidade fica com o Inter Miami, que também mandou o nome de Sergio Busquets, que fez apenas oito partidas.

Não era para tanto, mas pelo menos no mais importante ficou para trás na votação do colégio eleitoral – formado por jogadores, técnicos, diretores e jornalistas que cobrem a MLS. O troféu será disputado por Luciano Acosta, do Cincinnati, Thiago Almada, do Atlanta United, e Dénis Bouanga, do Los Angeles FC. Almada, 22 anos, também concorre à honraria de jovem do ano, ao lado de Duncan McGuire, do Orlando City, e Aidan Morris, do Columbus Crew.

Nomes conhecidos estão entre os finalistas do prêmio de melhor goleiro: Roman Bürki, ex-Borussia Dortmund e agora no St. Louis City, Roman Celentano, do Cincinnati, e Pedro Gallese, do Orlando City. O rei dos técnicos será Bradley Carnell, do St. Louis, Wilfried Nancy, do Columbus Crew, ou Pat Noonan, do Cincinnati.

Foto de Bruno Bonsanti

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.
Botão Voltar ao topo