Copa do Mundo FemininaEspanha

Rubiales coagiu funcionária da federação espanhola para obter declarações falsas, diz jornal

Ex-presidente da entidade teria pressionado chefe de imprensa para que um comunicado em nome de Jenni Hermoso fosse divulgado

O ex-presidente da Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF), Luis Rubiales, pressionou a chefe de comunicação da entidade, Patrícia Pérez, para confirmar por escrito que Jenni Hermoso a divulgação das declarações que o exoneraram. As informações foram divulgadas pelo jornal El Confidencial, da Espanha.

O depoimento da funcionária está sendo aproveitado pela Diretoria de Integridade da RFEF para encerrar o processo do escândalo do beijo, com um parecer favorável ao cartola. A área de compliance da instituição investiga as supostas novas coações.

Comunicado emitido pela RFEF após o beijo continha declarações falsas

No dia 20 de agosto, um comunicado elaborado pela equipe de imprensa da federação indicava que Jenni Hermoso considerava o beijo forçado de Rubiales um gesto mútuo. 

– O presidente e eu temos um ótimo relacionamento, o comportamento dele com todas nós tem sido 10 e foi um gesto natural de carinho e gratidão. Um gesto de amizade e gratidão não pode ser pensado, ganhamos uma Copa do Mundo e não vamos nos desviar do que é importante – dizia a nota. 

Tal afirmação já foi desmentida pela jogadora, inclusive com denúncia formal, de agressão sexual, apresentada por ela ao Ministério Público da Espanha.

Seleção espanhola passa por nova crise

Enquanto a alta cúpula da federação espanhola enfrenta novos escândalos envolvendo o ex-presidente, a seleção feminina também passa por mais uma crise. Nesta quarta-feira (20), duas jogadoras abandonaram a concentração da equipe após negociarem com dirigentes para que não fossem punidas.

Mapi León e Patri Guijarro, ambas jogadoras do Barcelona, desistiram da convocação. Elas não haviam disputado a Copa do Mundo por divergências com a então comissão técnica de Jorge Vilda, demitido após os desdobramentos do caso Rubiales. 

– Não era essa a forma de voltar (à seleção). Isso é um processo. Estamos contentes porque estão acontecendo mudanças, chegamos em um outro ponto. Apoiamos nossas companheiras como temos feito durante todo esse tempo – disse Mapi León.

Entre as motivações para a desistência das atletas está o fato de Jenni Hermoso ter ficado de fora da lista de Montse Tomé para a Liga das Nações. A nova treinadora da seleção espanhola convocou o grupo para a partida contra a Suécia, que acontecerá na próxima sexta-feira (22), sem a presença da camisa 10, campeã da Copa do Mundo. 

– Estamos com nossas companheiras, mas é uma situação diferente e é bastante duro. Pessoalmente, estar aqui, da maneira como as coisas aconteceram… Mentalmente você não está presente – completou Patri Guijarro.

Foto de Livia Camillo

Livia CamilloSetorista

Formada em jornalismo pelo Centro Universitário FIAM-FAAM, escreve sobre futebol há cinco anos e também fala sobre games e cultura pop por aí. Antes, passou por Terra, UOL, Riot Games Brasil e por agências de assessoria de imprensa e criação de conteúdo online.
Botão Voltar ao topo