Espanha

Os motivos que fizeram o Atlético de Madrid apostar em Gabriel Paulista

Na reta final da janela de inverno, Atlético de Madrid acerta com zagueiro hispano-brasileiro, que deixou o Valencia após seis temporadas e meia

Nesta quarta-feira (31), o Atlético de Madrid anunciou a contratação de Gabriel Paulista. O zagueiro hispano-brasileiro rescindiu com o Valencia, cujo contrato terminava no meio de ano, e assinou até o fim da temporada com os Colchoneros. Antes mesmo da transferência ser sacramentada, diversos torcedores questionaram o movimento de Simeone. Nas redes sociais, a maioria das opiniões são contrárias a chegada do defensor de 33 anos.

A verdade é que Gabriel Paulista nunca foi (e nem será) unanimidade. O zagueiro viveu altos e baixos durante a carreira e, de uns anos para cá, passou a ser considerado um jogador violento. Por vezes, até desleal. Desde o polêmico episódio com Vinicius Junior no Valencia x Real Madrid de maio do ano passado, no qual foi acusado de compactuar com o racismo sofrido pelo atacante no Estádio Mestalla, o defensor é bastante criticado por boa parte dos torcedores brasileiros sempre quando entra em campo.

Pode-se dizer que Gabriel Paulista é uma aposta arriscada. No entanto, afirmar que o zagueiro é um desastre e não acrescentará em nada ao Atlético soa como um discurso simplista. Dois fatos justificam a contratação do defensor hispano-brasileiro. Vamos a eles.

Experiência de Gabriel em LaLiga pesou

Revelado pelo Vitória, Gabriel Paulista passou por Villarreal (2013-2015) e Arsenal (2015-2017) antes de acertar com o Valencia em agosto de 2017. Ao todo, foram seis temporadas e meia defendendo o clube, com 220 jogos, oito gols marcados, cinco assistências e um título conquistado – a Copa do Rei de 2018/19. Em virtude do seu estilo de jogo físico, raçudo e de combate, o zagueiro rapidamente caiu nas graças da torcida valenciana e passou a ser querido pelo povo local.

Dito isso, o Atlético recebe um defensor com características que todo torcedor colchonero (e Simeone) gosta. Gabriel não tem bola perdida e se doa incessantemente por seus companheiros e pelo clube o qual defende. Outro fator que pesou para escolha do hispano-brasileiro é a experiência do mesmo em LaLiga, além da transferência gratuita, já que o zagueiro optou por rescindir contrato com o Valencia. Vale destacar que Trevoh Chalobah, do Chelsea, também fazia parte da lista de desejos do clube madrileno. Porém, o jovem de 24 anos é considerado caro.

Está certo que não se trata de um zagueiro confiável. Alto número de cartões (75 amarelos e cinco vermelhos), temperamento explosivo, falhas (seja de posicionamento ou cobertura) apresentadas ao longo da carreira… Tudo isso certamente foi levado em conta no momento da contratação de Gabriel Paulista. Simeone conhece o jogador e aprovou sua chegada ao Atlético. E no momento, é isso o que importa. Se vai dar certo ou não, só o tempo irá dizer.

Lesões e faltas de opções no setor

A verdade é que o Atlético de Madrid estava desesperado na busca por um zagueiro no mercado. Assim, juntou o útil ao agradável, já que recebe um defensor experimentado no futebol espanhol no momento em que mais precisava adicionar alguém para o setor. Na última segunda-feira (29), o clube colchonero confirmou que chegou a um acordo com o Fenerbahçe para emprestar Caglar Söyüncü até o fim da temporada. Apenas seis meses após sua chegada em Madrid vindo do Leicester, o jogador turco não encontrou seu espaço sob o comando de Simeone. Foram nove jogos disputados, sendo dois como titular, totalizando 214 minutos.

Além da saída de Söyüncü, o Atlético perdeu dois zagueiros por lesão: César Azpilicueta e José Giménez. O espanhol sofreu uma ruptura do menisco externo da perna esquerda no dia 18 de janeiro, durante o clássico contra o Real Madrid, pelas oitavas de final da Copa do Rei. Já o caso do uruguaio é mais recente. O clube anunciou na última segunda-feira (29) que o camisa 2 sofreu uma contusão muscular durante a vitória sobre o Valência (2 a 0) no sábado (27).

“José María Giménez sofre uma lesão muscular de grau I na coxa, conforme apuram os exames a que foi submetido na manhã desta segunda-feira, depois de ter sido forçado a abandonar aos 59 minutos do jogo de domingo contra o Valencia CF. O zagueiro uruguaio começará a receber sessões de fisioterapia, passará por treinamentos de readaptação e sua evolução está pendente”, diz o comunicado dos Colchoneros.

O Atlético volta a campo neste domingo (4), quando visita o arquirrival Real Madrid, no Santiago Bernabéu, em jogo válido pela 23ª rodada de LaLiga. Gabriel Paulista, que já foi relacionado para o duelo desta quarta-feira (31) contra o Rayo Vallecano (vencido pelo Atleti), tem boas chances de fazer sua primeira partida com a camisa colchonera no clássico.

Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Apaixonado por futebol, uniu o amor pelo esporte mais popular do mundo ao jornalismo. Carioca da gema e grande entusiasta da Premier League, cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na música, vai de Post Malone a Armandinho. Eclético assim como na área técnica. Afinal, Guardiola e Mourinho são suas referências.
Botão Voltar ao topo