Espanha

Luuk de Jong se torna símbolo de um Barcelona que contrata mal e precisava reduzir salários

Saída de Griezmann foi reposta com a contratação do centroavante holandês, em uma tentativa dos blaugranas de reduzir custos

O mercado do Barcelona se encerrou neste dia 31, o último dia para transferências, com a chegada do centroavante Luuk De Jong, de 31 anos. Ele chega por empréstimo do Sevilla até o final da atual temporada. Foi uma operação casada com a saída de Antoine Griezmann para o Atlético de Madrid, ambas no apagar das luzes do fechamento do mercado de transferências.

De Jong chega para ser um reserva do ataque dos culés, que têm Memphis Depay como principal nome, mas também contrataram Sergio Agüero, que deve ficar fora do time, machucado, até outubro. Além deles, há Martin Braithwaite, que começou a temporada como titular, ao lado de Memphis. Todos podem atuar como centroavantes.

O holandês é um centroavante típico, que tem uma carreira de sucesso pelo PSV. Foi por lá que teve o seu auge na carreira, com 112 gols em 204 jogos e ainda terminou como artilheiro do Campeonato Holandês na temporada 2018/19. Em sua carreira, surgiu no De Grafschap, passou pelo Twente, jogou pelo Borussia Mönchengladbach, Newcastle e voltou à Holanda, quando brilhou pelo PSV.

Chegou ao Sevilla em 2019/20. Em 94 jogos pelo clube rojiblancos, foram 19 gols e cinco assistências. Na temporada 2020/21 pelo Sevilla, fez 48 jogos (25 deles como titular) e marcou nove gols. Era, basicamente, um reserva. Tanto que Julen Lopetegui sequer contava com o holandês para a temporada.

A contratação de Luuk de Jong faz pouco sentido esportivo. O único sentido é financeiro: Griezmann era o maior salário do Barcelona depois da saída de Lionel Messi. Por isso, se livrar do jogador se tornou necessário ao clube. Baixar a folha salarial era necessário, evidentemente, mas a contratação de Luuk de Jong representa a falta de criatividade e limitação do técnico Ronald Koeman e da diretoria do Barcelona.

Koeman mostra que não é um treinador com visão, nem que consegue fazer o time render bem com constância. Foi assim na temporada passada, quando chegou a pintar como favorito ao título de La Liga, mas derreteu e viu os rivais passarem na tabela. O holandês terá uma nova chance para seu trabalho ser colocado à prova. A escolha por Luuk de Jong irá pesar sobre ele. Até porque o próprio Sevilla apostou em um jogador mais promissor e interessante: Rafa Mir, de 24 anos, jogador da seleção espanhola olímpica. Esse tipo de contratação o Barcelona parece não conseguir fazer por falta de visão.

O Barcelona queria vender mais jogadores. Nomes como Samuel Umtiti, Philippe Coutinho, Miralem Pjanic e mesmo Martin Braithwaite estavam na lista de negociáveis, mas ninguém quis igualar os salários altos que eles recebem nos blaugranas. Pjanic, por exemplo, era desejado na Juventus, seu ex-clube, mas os italianos não aceitaram pagar o salário do bósnio, maior do que na época que ele defendia a Velha Senhora. Não houve negócio.

Com a chegada de Luuk de Jong, o Barcelona parece definitivamente descer de patamar. Um jogador de 31 anos para ser um reserva parece algo pouco inteligente, diante de opções que poderiam ser melhores, mais jovens, que pudessem se desenvolver nesse tempo. Até mesmo apostar em jogadores da base, algo que a torcida tanto pede.

A temporada do Barcelona promete ser muito menos atraente que em anos anteriores. O clube ainda terá que passar por correções nos rumos, especialmente com a negociação de jogadores supervalorizados em salários. Demorou, mas o Barcelona agora precisará voltar a colocar os dois pés no chão, depois de anos pagando salários exorbitantes e pagando caro por jogadores só para mostrar poder.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo