La Liga

O Real Madrid ganhou de Natal antecipado (e nos acréscimos) a liderança de La Liga

Com gol de cabeça de Lucas Vázquez quase no último lance, o Real Madrid derrotou o Alavés fora de casa e terminou o ano de 2023 como líder de La Liga

O Real Madrid poderá comemorar as festas de fim de ano com tranquilidade na liderança de La Liga. Nesta quinta-feira (21), a equipe comandada por Carlo Ancelotti não teve um bom desempenho, criou pouquíssimas oportunidades de gol e ainda teve Nacho Fernández expulso no início do segundo tempo, mas mesmo assim venceu o Alavés por 1 a 0 no Estádio de Mendizorroza naquela que foi sua última partida em 2023.

O gol da vitória foi marcado nos acréscimos por Lucas Vázquez, que mesmo tendo 1,73m subiu para área e marcou de cabeça nos acréscimos. Com o resultado e o empate do Girona com o Real Betis, o clube merengue assumiu a primeira posição do Campeonato Espanhol.

Real Madrid e Girona têm 45 pontos conquistados após 18 partidas, mas os rojiblancos venceram o time de Míchel na oitava rodada e levam vantagem no confronto direto, que é o primeiro critério de desempate de La Liga. O Alavés, por outro lado, não vence há quatro jogos pela competição e termina 2023 na 16ª posição com 16 pontos, três a mais que o 18º colocado Celta de Vigo, que abre a zona de rebaixamento.

Primeiro tempo equilibrado e de poucas oportunidades

Alavés e Real Madrid fizeram um primeiro tempo equilibrado e de poucas oportunidades claras de gol. Os merengues até tiveram mais a bola e criaram as melhores chances, mas não conseguiram ter o domínio esperado contra uma equipe que briga na parte de baixo da tabela de La Liga.

A primeira chegada da partida foi do Real Madrid, logo no primeiro minuto. Brahim Díaz puxou contra-ataque por dentro e acionou Federico Valverde dentro da área pelo lado direito, mas o uruguaio se desequilibrou ao finalizar de primeira e não conseguiu tirar do alcance do goleiro Antonio Sivera.

O Alavés precisou de seis minutos para responder, com Luis Rioja ficando com a sobra dentro da área após cruzamento rasteiro pelo lado esquerdo de Jon Guridi e arriscando um chute de primeira que só não deu trabalho para Kepa porque explodiu em Fran García. A a segunda e última boa oportunidade do Alavés na primeira etapa, no entanto, só apareceu aos 32 minutos, quando Samuel Omorodion venceu a disputa pelo alto com Nacho Fernández e cabeceou fraco no centro do gol.

Com dificuldade para furar a retranca dos donos da casa, o Real Madrid recorreu a chutes de longa distância de Valverde, mas sem êxito. O melhor dos arremates foi aos 38 minutos, mas Sivera espalmou a forte finalização.

Segundo tempo fraco é salvo por Lucas Vásquez

O segundo tempo teve ainda menos emoções, com nenhuma oportunidade perigosa de nenhum dos lados até os 30 minutos. O baixo número de chances e finalizações passa muito pela expulsão de Nacho Fernández. Aos seis minutos, o zagueiro pisou no calcanhar de Omorodion e recebeu o cartão amarelo, mas o árbitro mudou de decisão após ser chamado pelo VAR e apresentou o cartão vermelho. Com um a menos, o Real Madrid abaixou suas linhas de marcação e cedeu poucos espaços para o Alavés.

Os merengues talvez tenham se comportado até melhor depois da expulsão. Não pela saída de Nacho Fernández ou pela entrada de Aurélien Tchouaméni no lugar de Luka Modrić, mas sim porque sofreu menos defensivamente e ainda encontrou mais brechas no ataque com o adversário saindo mais para o jogo. E os visitantes tiveram a primeira boa chegada de toda a segunda etapa, já aos 30 minutos, com Rodrygo aproveitando o espaço dado pelo Alavés para receber pela esquerda grande lançamento de Toni Kroos, cortar dois marcadores dentro da área e chutar colocado para fora, tirando tinta da trave esquerda de Sivera.

Parecia que a oportunidade criada pelo brasileiro seria a última da partida, até pelo ritmo extremamente lento da reta final, mas não se pode vacilar contra o Real Madrid antes do apito final. Já nos acréscimos, Kroos cobrou escanteio pela esquerda, Antonio Rüdiger puxou a marcação e Lucas Vásquez, de 1,73m, cabeceou sozinho do meio da área para baixo. A bola quicou e morreu no ângulo direito de Antonio Sivera para dar a vitória e a liderança para o time de Carlo Ancelotti.

Foto de Felipe Novis

Felipe Novis

Felipe Novis nasceu em São Paulo (SP) e cursa jornalismo na Faculdade Cásper Líbero. Antes de escrever para a Trivela, passou pela Gazeta Esportiva.
Botão Voltar ao topo