La Liga

Pela primeira vez em sua história, Valencia emenda sete vitórias seguidas no Espanhol

Oito vitórias em 11 rodadas. O desempenho do Valencia neste início de Campeonato Espanhol é avassalador. Abrindo a rodada neste sábado, os Ches fizeram mais uma vítima. O Leganés cumpre bom papel neste início de campanha e possui a segunda defesa menos vazada. Que, ainda assim, não conseguiu parar o ataque dos anfitriões no Mestalla. Os visitantes, que haviam tomado apenas cinco gols nas primeiras dez partidas, perderam por 3 a 0. E poderia ser mais para a equipe de Marcelino Toral, que chegou a acertar a trave e a criar outras boas chances, embora também tenha contado com a segurança do goleiro Neto atrás.

O excelente triunfo começou a ser construído ainda no primeiro tempo, com Dani Parejo. À Ronaldinho, o capitão cobrou falta por baixo da barreira e marcou. Já no segundo tempo, o Valencia terminou de matar o jogo. Primeiro, Andreas Pereira cruzou para Rodrigo Moreno completar às redes. Por fim, Santi Mina fechou a conta cobrando pênalti. Resultado contundente, que mantém o Valencia na segunda colocação e deixa o time provisoriamente a um ponto do líder Barcelona, com os blaugranas entrando em campo ao final do dia, recebendo o Sevilla no Camp Nou.

Fato é que, mesmo sem a liderança, o Valencia atravessa a melhor sequência de sua história no Campeonato Espanhol. Esta é a primeira vez que o time emenda sete vitórias consecutivas em uma mesma edição do torneio. Além disso, somando também as outras competições, o time acumula oito vitórias, o que não acontecia desde 2004, nos tempos áureos sob as ordens de Rafa Benítez.

Ainda é cedo para dizer o quão longe vai este Valencia. O retorno à Liga dos Campeões, ainda assim, se sugere cada vez mais palpável. E a arrancada coloca pressão sobre o Barcelona, adversário daqui a duas rodadas, no Mestalla. Será um verdadeiro jogaço.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo