La Liga

O Levante vence seu primeiro dérbi desde 2016 e, algo inédito, vislumbra terminar La Liga à frente do Valencia

Nesta temporada, o Levante reverte a hegemonia histórica na Comunidade Valenciana. Enquanto o Valencia atravessa um momento muito aquém de sua tradição, os Granotas realizam um excelente trabalho sob as ordens de Paco López. A equipe já tinha vencido em Madri o Real e o Atlético, feito que outro time além do Barcelona não conseguia por La Liga desde o Sevilla em 2008/09. Além disso, outras equipes de peso estão na lista de vítimas durante os últimos meses – Real Sociedad, Betis, Villarreal. Faltava vencer o dérbi. E como não acontecia desde 2016, o Levante se impôs sobre os rivais, com o placar de 1 a 0 no Estádio Ciutat de Valencia.

O Levante, hoje, é um time mais confiável que o Valencia. Possui um plano de jogo bem mais claro e protagonistas afiados. Não à toa, agride os adversários com velocidade e arranca os resultados. Foi o que se ressaltou nos duelos recentes com o líder Atlético de Madrid, por exemplo. Já o Valencia vê diversos jogadores caírem de produção e se perdeu desde a saída de Marcelino García Toral. Os investimentos cessaram em meio à crise e a torcida reza para o dia em que o dono Peter Lim deixará de tratar os Ches como seu brinquedinho. A proposta de um príncipe malaio pode mudar isso em breve.

Enquanto o Valencia não se recupera, o Levante entrou como favorito no dérbi desta sexta. Os dois times estavam próximos na tabela e uma vitória permitiria ao Valencia ultrapassar os rivais. Não foi isso que aconteceu. Os Ches criaram as primeiras chances da partida, mas logo o Levante se tornou mais contundente. A partir dos 10 minutos, foram várias oportunidades para os Granotas. Os anfitriões tiveram um gol anulado, um tiro na trave e uma bola que passou muito perto do gol. Um prenúncio do que viria aos 18, com o tento da vitória.

Depois de uma saída errada de Mouctar Diakhaby, Ruben Rochina roubou a bola no meio e conectou rapidamente com Roger Martí. O artilheiro tinha espaço e engatilhou o chute cruzado, no canto de Jasper Cillessen. O Valencia encontrava dificuldades para furar o bloqueio e o Levante continuou levando mais perigo. A melhor oportunidade de empate veio aos 28 do segundo tempo, quando Manu Vallejo saiu de frente para o gol e Aitor Fernández defendeu com o pé. Pouco para um jogo tão importante. Os Ches ainda tentaram o milagre no fim, como o ocorrido contra o Villarreal na rodada passada, mas os Granotas permaneceram muito seguros e poderiam ter feito o segundo nos contragolpes.

Com a vitória, o Levante se garante por mais uma rodada à frente do Valencia. Serão 13 jornadas desta temporada acima dos rivais, um novo recorde dos Granotas. Segundo o jornalista Pedro Marin, em toda a história, o Levante nunca tinha passado mais de 12 rodadas melhor classificado que o Valencia numa mesma temporada do Espanhol – recorde anterior este conseguido em 2012/13. Os Granotas fizeram a melhor campanha de sua história em 2011/12, mas a sexta posição ainda foi inferior ao quarto lugar alcançado pelos Ches. Nunca o Levante conseguiu terminar uma temporada à frente do Valencia, o que parece bem possível desta vez.

Com 35 pontos, o Levante inicia a rodada na oitava colocação. Está a sete pontos da zona de classificação às copas europeias. Já o Valencia fica com 30 pontos, no 12° lugar. Apesar do desempenho ruim no geral, o momento dos Ches era pior até algumas semanas atrás. Recentemente, abriram oito pontos em relação à zona de rebaixamento. Mas não dá para se descuidar dos fantasmas.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo