La Liga

Girona sucumbe ao Athletic com falhas individuais e perde chance de se aproximar do Real

Athletic Bilbao se aproveita de falhas do Girona e vence por 3 a 2

Com o tropeço do Real Madrid, o Girona poderia mandar um recado de ainda acreditar no título de La Liga contra o Athletic Club nesta segunda-feira (19). No entanto, nos gramados do Estádio San Mamés, o time de Míchel não demonstrou muita concentração e, pelas falhas individuais, sucumbiu ao bom Bilbao de Ernesto Valverde, que terminou com a vitória por 3 a 2.

Sem somar pontos, a desvantagem do clube catalão para o Real aumentou para seis. Enquanto isso, sonhando com vaga na próxima Champions League, o Athletic soma 59 de pontuação, dois a menos que o Atlético de Madrid.

Athletic precisa de um minuto para abrir o placar

Taticamente, os times não apresentaram novidades. O Girona, sem Yan Couto suspenso (substituído por Arnau Martínez), ainda fazia sua saída de três, com outros três à frente (ou dois, a depender do movimento de Miguel Gutiérrez para frente), além do quarteto ofensivo que tinha o brasileiro Savinho bem aberto pela esquerda e o ucraniano Viktor Tsygankov pela direita.

Já o Athletic Bilbao de Ernesto Valverde estava no 4-2-3-1 sem a bola e com a posse era bem ofensivo em um 4-1-4-1, liberando o volante Beñat Prados para subir e se alinhar ao meia Unai Gómez.

Os Leões mostraram um apetite enorme para pressionar o adversário com um minuto e meio e já abrir o placar. O Girona cobrou lateral no campo de defesa, Aleix García recebeu na esquerda e tentou inverter a bola, mas Álex Berenguer antecipou, cortou Martínez e mandou no canto de Paulo Gazzaniga, direto para as redes. O time de fora sentiu o gol, e o Athletic Bilbao vinha para mais. Em escapada por dentro, Iñaki Williams tabelou com Gorka Guruzeta e pegou mal na bola já na marca do pênalti.

Aos oito minutos, finalmente, a equipe catalã encaixou uma boa saída de bola, fugindo da pressão rival. Savinho pela esquerda tocou para Dovbyk por dentro, que acionou o compatriota Tsygankov para chutar a primeira contra Unai Simón. Os Blanquivermells até melhoraram após essa chance, mas o mandante era mais perigoso quando ia ao ataque. Williams, muito bem pela direita, carregou da ponta até a área e finalizou no pé da trave.

Athletic se aproveitou de falha para abrir o placar (Foto: Athletic Club)

Pouco antes dos 30 minutos, o lateral-direito Íñigo Lekue sentiu, aparentemente, alguma lesão muscular e pediu para sair. O experiente Óscar de Marcos entrou na partida e pegou a braçadeira de capitão de Iñaki.

O Girona, que não emplacava um bom ataque há um tempo, criou uma jogada ao seu estilo. De pé em pé, jogada rápida pela ponta direita terminou em cruzamento para Dovbyk, que fez o pivô e Angel Herrerra chegou batendo para fora.

No Athletic, Williams não era alvo apenas de ataques em velocidade pela ponta, mas também na bola aérea. Por duas vezes, foi acionado no alto. Na primeira não conseguiu tocar e na sequência, após boa jogada de Yuri Berchiche, cabeceou nas mãos de Gazzaniga. Em mais dois minutos de acréscimos, o clube basco ainda era melhor e só não ampliou porque a defesa adversária foi bem para cortar um cruzamento rasteiro de Iñaki.

Girona vacila de novo e entrega mais dois para o Bilbao, que se segura no fim

Míchel, hoje comandando o Girona das tribunas por suspensão, deve ter dado uma dura no time no vestiário, que voltou com outra postura nos minutos iniciais. Com apenas 3′, Savinho carregou pela ponta e bateu cruzado para defesa de Unai. Na sequência da jogada, Herrera cruzou pelo mesmo lado, a defesa bloqueou e sobrou para Iván Martín. O meia mandou rasteiro para pequena área e Tsugankov apareceu para igualar o placar.

No entanto, apesar de melhor, as falhas individuais pesaram de novo para o clube catalão. Em saída no campo de defesa, Gutiérrez se enrolou com a bola e tentou dar uma letra, que virou um toque para o adversário Guruzeta. O centroavante viu Berenguer na área e o acionou para cravar o segundo.

Foi um baque grande aos Blaquivermells. Quatro minutos depois, o zagueiro Yeray Álvarez teve todo espaço do mundo no campo de defesa e lançou para o ataque. O quique da bola enganou Miguel, Williams ganhou no corpo e bateu cruzado para marcar o terceiro. Berenguer queria mais e por pouco não fez o hat-trick ao concluir um cruzamento rasteiro na pequena área, mas Gazzaniga pegou. O goleiro argentino foi outro a quase entregar um gol para o Athletic Bilbao, quando recebeu de Herrera, furou a bola e dividiu com Williams quase na linha da meta. Por sorte, conseguiu afastar.

O Girona precisava de um novo gás e mudou duas antes de meia hora no relógio. Entraram Portu e Valery Fernández, enquanto o adversário também trocou ao colocar Oihan Sancet e Nico Williams. No minuto seguinte às substituições, mais um gol, agora do visitante. Inteligente cobrança de Aleix na primeira trave, Herrera tentou de letra – não tocou na bola – e Eric García empurrou para as redes de cabeça.

A partida foi paralisada por volta dos 33 minutos, quando um torcedor passou mal nas arquibancadas e os médicos dos times foram atendê-lo. Aparentemente, tudo ficou bem com o fã pelos aplausos em San Mamés.

Aos 40′, Mikel Vesga e Aitor Paredes entraram para dar mais consistência defensiva ao Athletic. Na sequência, para ter mais um homem na área para atacar, o centroavante Cristhian Stuani ganhou uma chance em campo ao lado de Dovbyk.

A pressão do Girona foi sufocante no fim. Dovbyk quase marcou ao receber na pequena área e mandou na rede pelo lado de fora. Depois, Savinho saiu cara a cara e Unai defendeu com o pé. Na sobra, sem goleiro, Jhon Solis, que saiu do banco com Stuani, ia marcar se Daniel Vivian não tivesse tirado em cima da linha. Mas não deu certo, e o Bilbao saiu com a suada vitória por 3 a 2.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de eSports no The Clutch. Além disso, atuou como assessor de imprensa no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo