La Liga

Falcao brocou de novo, Memphis perdeu um pênalti e o Rayo afundou o Barça um pouco mais em sua crise

Rayo fez um ótimo primeiro tempo em Vallecas e contou com seu goleiro para garantir a vitória

O Rayo Vallecano é uma das gratas surpresas neste início do Campeonato Espanhol. E os franjirrojos aproveitaram toda a sua motivação para ampliar um pouco mais a crise do esfacelado Barcelona. Os blaugranas tiveram outra atuação apática, em que nem mesmo a primeira aparição de Sergio Agüero como titular ajudou. O Rayo abriu o placar num ótimo primeiro tempo, graças a Radamel Falcao García. Já na segunda etapa, o goleiro Stole Dimitrievski pegou um pênalti cobrado por Memphis Depay. O Barça tinha dificuldades imensas para reagir, com pouca contundência e muitas finalizações erradas. Assim, o Rayo comemorou com méritos o triunfo por 1 a 0 em Vallecas.

O Rayo Vallecano deixou expresso desde os primeiros movimentos que não se apequenaria contra o Barcelona. Mantendo a postura vista em outros tantos jogos nesta temporada, a equipe de Andoni Iraola mordia já no campo de ataque e avançava com rapidez a partir das roubadas. O Barça passava apuros e já tomaria um susto logo aos três minutos, quando Óscar Trejo tentou surpreender do círculo central, mas Marc-André ter Stegen salvou. Os blaugranas tinham dificuldades de passar até mesmo do meio do campo, com muitos passes errados e bolas perdidas. Quando sobrou espaço para Memphis, porém, o atacante mandou para fora.

Depois de dez minutos muito intensos, o Rayo Vallecano baixou suas linhas e permitiu que o Barcelona avançasse um pouco mais em campo. Entretanto, a equipe pouco construía. Mesmo a entrada de Agüero não causava muito impacto, com o veterano indicando dificuldades para recuperar seu ritmo. O Rayo Vallecano, ainda assim, não deixava de ameaçar. Aos 20, Falcao García daria seu aviso, num tiro que desviou em Gerard Piqué e passou perto. E se a troca de passes do Barça era improdutiva, os franjirrojos mostraram como fazer, com o gol aos 30 minutos.

O avanço nasceu a partir de uma bola roubada por Trejo, de novo em cima de Sergio Busquets. O contra-ataque saiu rápido, com Falcao recebendo o passe com o campo aberto. Mesmo com Piqué na marcação, o colombiano foi muito inteligente para dar um corte seco e bater com muita categoria, no canto, em arremate que ainda beijou a trave. A situação do Barça se complicava de vez. Quando os blaugranas poderiam ter respondido, após ótimo lance de Memphis pela esquerda, Sergiño Dest isolou de forma inacreditável na pequena área. Na reta final, os blaugranas tentaram acelerar, mas o garoto Nicolás González era um dos raros a tentar algo diferente.

O segundo tempo voltou com o Barcelona de novo tomando a iniciativa e, apesar de certa letargia, criando oportunidades para empatar. Nico tentou deixar sua marca logo de cara, mas acabou errando o alvo. Já aos dez, seria a vez de Agüero arriscar com pouco ângulo e mandar perto da trave, pouco antes de ser desarmado num lance mano a mano. Quem também aparecia um pouco mais era Philippe Coutinho, mas numa noite desencontrada, com repetidos erros na hora de definir.

O Rayo Vallecano não conseguia ser tão agressivo quanto no primeiro tempo, o que chamava um pouco mais o Barcelona em seu campo. E mesmo numa atuação morna dos blaugranas, a chance de ouro para o empate surgiu aos 26 minutos, num pênalti sofrido por Memphis Depay. O próprio atacante assumiu a cobrança e parou numa grande defesa do goleiro Stole Dimitrievski, que acertou o canto e ainda segurou o rebote. Neste momento, Iraola renovou as energias dos franjirrojos com suas alterações, enquanto Coutinho finalmente deixou o campo, para a entrada de Gavi.

O pênalti perdido abalou o Barcelona, que demorou a se reencontrar. Enquanto isso, o Rayo voltou a intensificar a pressão sem a bola e retomou o controle do jogo, até com algumas chegadas na área adversária. Um raro susto veio num lance em que a zaga parou pedindo impedimento e Dimitrievski salvou a pátria no mano a mano com Agüero. O abafa do Barça só se tornou real nos longos acréscimos, com Luuk de Jong aumentando a estatura do ataque. O holandês, todavia, isolou bisonhamente um lance em saída errada de Dimitrievski. Pouco antes do apito final, Agüero emendaria um peixinho pelo lado de fora da rede e Gavi também falhou no último suspiro, sozinho no meio da área. Mais uma derrota recai sobre os blaugranas.

O Rayo Vallecano ganha mais um motivo para ser destacado nesta excelente campanha de volta à primeira divisão. Os franjirrojos chegam aos 19 pontos, rondando o G-4. Já o Barcelona ocupa o modestíssimo nono lugar, com 15 pontos. Mesmo com um jogo a menos, os blaugranas ficam a pelo menos cinco pontos da zona de classificação à Champions. A batata de Ronald Koeman assa um pouco mais.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo