La Liga

Contratado sem custos, Depay chega bem cotado ao Barcelona e pronto para cumprir as expectativas

Após o fim de seu contrato com o Lyon, Depay se tornou o quarto reforço do Barça para a próxima temporada

Memphis Depay e o Barcelona vinham num longo namoro, desde a temporada passada, quando Ronald Koeman assumiu o comando do clube. O negócio não aconteceu de imediato, mas, neste sábado, foi confirmado. Ao final de seu contrato com o Lyon, o atacante ficou livre para assinar com quem bem entendesse. Chega sem custos aos blaugranas e com vínculo até junho de 2023, garantindo mais poder de fogo à linha ofensiva. E, aos 27 anos, depois de ótimas temporadas no time francês, Depay parece ter capacidade para se firmar com uma das principais camisas da Europa – algo que não conseguiu nos tempos de Manchester United.

A passagem de Depay pelo Lyon seria redentora. Revelado como uma grande promessa no PSV, o atacante chegou muito bem cotado no Manchester United em 2015. Custou €34 milhões e tinha inclusive se destacado na Copa do Mundo de 2014. Porém, aos 22 anos, decepcionou em Old Trafford. Não rendeu na primeira temporada e seria deixado de lado na segunda. O Lyon abria as portas para que o holandês se recuperasse. E o desempenho do camisa 10 com os Gones foi excelente. Se não deu para conquistar um título, claramente ele conseguiu elevar o potencial da equipe, especialmente pela campanha até as semifinais da Champions. Em quatro temporadas e meia, acumulou 76 gols e 55 assistências em 178 partidas. Protagonizou momentos inesquecíveis e deixou claro como tinha bola para ambições maiores.

A seleção dos Países Baixos / Holanda também valorizou Depay, especialmente no ciclo com Ronald Koeman. O atacante virou uma das referências da equipe nacional e passou a render bastante. Seu desempenho seria chave na campanha até a decisão da Liga das Nações, bem como para que a Oranje conquistasse a classificação à Eurocopa. A relação com Ronald Koeman se tornou bastante forte, a ponto do treinador torná-lo uma prioridade em sua chegada ao Barcelona. Se não foi possível fechar o negócio com o Lyon no primeiro ano, mesmo na janela de inverno, a espera valeu a pena. O Barça não precisou desembolsar um centavo sequer pela transação, ganhando um jogador que pode atuar em diferentes posições e com lenha para queimar.

Um detalhe interessante é que o próprio Depay conduziu as negociações, depois de romper com seu empresário. O atacante tinha outras ofertas e o interesse do Barcelona ficou em xeque ao final da temporada, quando a permanência de Koeman no clube era incerta. No entanto, o acerto do treinador com Joan Laporta para seguir em frente seu trabalho também se tornaria uma tranquilidade a mais para o atacante. Abriu caminho para que as duas partes fechassem contrato. Prevaleceu ainda a vontade do jogador por um vínculo de dois anos, quando a diretoria preferia três.

A montagem do ataque do Barcelona será uma questão para a próxima temporada. Ronald Koeman precisará pensar na melhor maneira para acomodar Depay, Sergio Agüero, Ousmane Dembélé, Antoine Griezmann, Lionel Messi e Ansu Fati no setor. Obviamente, nem todos poderão jogar. Mais importante é a maneira como o Barça poderá variar sua linha de frente e encaixá-la de diferentes maneiras. Não dá mais para pensar que Messi estará sobrecarregado, diante das opções. O papel do treinador, de qualquer maneira, será garantir o máximo de seus atletas – o que nem sempre foi possível no clube durante os últimos anos.

Depay, ainda assim, parece mais do que pronto para emplacar no Camp Nou. É um jogador com características distintas do resto do elenco, considerando sua explosão e a potência nas finalizações. Conseguirá entrar como um segundo atacante, um ponta ou mesmo como um homem de referência. Além disso, certamente o holandês sabe que esta é sua última chance num clube desse porte. E a maturidade adquirida desde o fracasso no Manchester United pode ser chave para escrever uma nova história na Catalunha. Para justificar a confiança depositada por Koeman.

O Barcelona segue com uma janela de transferências muito boa para o dinheiro investido. Foram gastos apenas €9 milhões no lateral Emerson Royal, enquanto Depay, Agüero e Eric García vieram sem custos ao fim de seus contratos. A situação financeira não é boa e os blaugranas precisam encontrar oportunidades, para reforçar um time que claramente esteve aquém das expectativas no último ano. A contratação de Depay é aquela que se sugere com um maior valor agregado em si, considerando o tempo em que o atacante poderá seguir brilhando e também suas provas de qualidade em alto nível.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo