La Liga

Com direito até a golaço do círculo central, o Villarreal 2×2 Atlético ofereceu 90 minutos alucinantes

Ángel Correa fez um gol sensacional do meio do campo, numa partida repleta de oportunidades e reviravoltas

Durante o primeiro turno, Atlético de Madrid e Villarreal fizeram um dos jogos mais eletrizantes de La Liga. E o empate por 2 a 2 vivido no Wanda Metropolitano se repetiu no placar do Estádio de La Cerámica neste domingo, com novos ares de insanidade. A partida começou com um golaço do círculo central anotado por Ángel Correa. As chances se sucediam e o Villarreal jogava bem, mas não conseguia o empate. Teve bola na trave, pênalti perdido e gol anulado, até as redes realmente balançarem. O Submarino Amarelo viraria no início da segunda etapa, mas o Atleti reagiu e buscou de novo a igualdade graças às substituições. A indefinição prevaleceu até o fim, sem que ninguém se desse melhor no 2 a 2 final. A situação dos time segue aberta, ambos na luta pelo G-4.

O Villarreal começou o jogo melhor. Tinha o controle da bola e forçava erros do Atlético de Madrid, que precisava se segurar na contenção. No entanto, Ángel Correa providenciou a vantagem aos colchoneros graças a um gol espetacular. Aos dez minutos, o argentino interceptou um passe de Dani Parejo no meio do campo e tentou o chute direto do círculo central. Com Géronimo Rulli no meio do caminho, o camisa 10 assinalou uma pintura por cobertura, sem chances de defesa.

O gol não abalou o Villarreal. O Submarino Amarelo seguiu em sua estratégia e quase conseguiu o empate aos 16, quando Alberto Moreno carimbou a trave. O jogo ficava aberto e, na sequência, Rulli seria também decisivo para crescer diante de Matheus Cunha no mano a mano. Correa também balançaria as redes mais uma vez, de calcanhar, em tento anulado por impedimento. E, em meio a essa loucura, o Villarreal ganhou um pênalti aos 23, por toque de mão de Thomas Lemar. Jan Oblak defendeu a batida ruim de Gerard Moreno, mas o rebote sobrou na área e Parejo completou para dentro. A arbitragem anulou após revisar no VAR, em decisão que gerou revolta em Unai Emery, por considerar um toque no braço do meio-campista em sua conclusão – o que não pareceu muito claro pelas imagens.

Pelo menos a frustração do Villarreal não durou tanto. Aos 29, o empate realmente veio. Dani Parejo cobrou falta em direção à área e Oblak vacilou, ao rebater a bola para o meio da pequena área. Pau Torres estava atento e não precisou de muito esforço para marcar. Quase Manu Trigueros ainda arranjou a virada, num tiro que saiu muito perto da meta colchonera. O Atlético sobrevivia neste momento. Porém, na reta final do primeiro tempo, o Submarino Amarelo ameaçou menos. O time chegou a 70% de posse de bola e Pau Torres algumas vezes até se juntou ao ataque, mas a defesa colchonera pelo menos diminuiu a sangria.

Os dois times voltaram para o segundo tempo sem mudanças e o Villarreal permaneceu com a posse de bola. Ainda prevalecia certa indefinição, até o Submarino Amarelo virar aos 13. Alberto Moreno recebeu em profundidade de Gerard Moreno e, diante de Oblak, definiu por baixo. A bola ainda resvalou no goleiro antes de entrar. A situação do Atleti era complicada e Diego Simeone logo realizou três mudanças, com as entradas de Koke, João Félix e Sime Vrsaljko – trocando, por tabela, o desenho tático. O gol de empate viria logo na sequência, aos 22. Ángel Correa chutou para ótima defesa de Rulli, mas o rebote ficou limpo na meia-lua e Geoffroy Kondogbia bateu de primeira, em bola que passou por baixo do goleiro.

O Atlético de Madrid melhorou no jogo e passou a atuar mais no campo de ataque. Lemar ensaiou uma nova virada aos 33, frustrado por um corte providencial de Pau Torres. As trocas do Villarreal demoraram a surtir efeito e somente nos minutos finais que a equipe da casa voltou a procurar a vitória. O Submarino Amarelo teve uma sequência de escanteios, sem tanto resultado. No fim, Kondogbia ainda seria expulso com o segundo amarelo, mas nada que afetasse o empate num jogo tão maluco.

O Atlético de Madrid continua no limite do G-4 de La Liga. Os colchoneros somam 33 pontos, na quarta colocação. A Real Sociedad volta a colar nos colchoneros, com Barcelona e Rayo Vallecano também no encalço. Já o Villarreal, mesmo perdendo sua sequência de vitórias recente, está nessa briga. O Submarino Amarelo é o oitavo, com 29 pontos.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo