La Liga

Benzema comanda o Real Madrid em boa estreia contra o Alavés 

Retorno de Ancelotti ficou marcado pela atuação decisiva do camisa 9 madridista

Karim Benzema. Quando não há luz, não há esperança, não há quem coloque a bola na rede, o atacante francês surge para salvar o dia. Capaz de transformar jogos horrorosos em espetáculos, o camisa 9 trabalhou duro para garantir mais uma vitória do Real Madrid. 

Nesta nova fase de Carlo Ancelotti, os merengues capricharam e fizeram 4 a 1 no Alavés no estádio Mendizorroza. Fora de casa, o Real começou devagar, mas mostrou suas armas e sua face mais agressiva na segunda metade. 

LEIA MAIS: Dez histórias para se acompanhar na nova temporada de La Liga

Um artilheiro confiável

Consideremos apenas o segundo tempo como algo digno de relato. Dessa forma, fica mais fácil explicar como os madridistas tiveram uma grande atuação, na base da paciência. Quando realmente buscou o placar, a equipe de Ancelotti não teve muita dificuldade para marcar e ampliar sua vantagem.

Aos dois minutos da segunda etapa, Benzema abriu caminho para o triunfo. Alinhado juntamente com Eden Hazard e Gareth Bale, este que retorna após empréstimo ao Tottenham, o camisa 9 mostrou porque é, ano após ano, o nome mais confiável no comando de ataque. 

Alterado o placar, o Alavés foi apenas espectador em campo. Quando notou que precisaria competir, não só assistir ao Real Madrid jogar, era tarde demais. Nacho Fernandez ampliou e Benzema, oportunista, sacramentou os três pontos. Nem mesmo um pênalti a favor dos bascos, convertido por Joselu, tirou o prumo dos visitantes. 

Possibilidades para Carletto

Ancelotti vem tentando potencializar Bale e Hazard, que ao menos no Real, não vinham agradando. Se quiser obter êxito nessa missão, precisa primeiro encontrar algo que motive a dupla de estrelas, um tanto acomodadas. Algo que Zinedine Zidane, em muitos anos, falhou em conseguir. Gerenciar tantos egos é uma tarefa ingrata, mas o técnico italiano carrega essa qualidade como uma marca de seu trabalho.

E aí precisamos olhar não só para os senadores, mas também para o banco. Quem vem de lá, quer mostrar serviço. É o caso de Vinicius Jr, que ganhou minutos na segunda etapa e, nos acréscimos, matou o jogo de cabeça após bela assistência de David Alaba, em processo de adaptação. Carlo ainda conta com Rodrygo, Marco Asensio, Isco e Luka Jovic, para tentar causar impacto ao longo das partidas. Jovic, aliás, terá nova chance para mostrar seu futebol. A cara promessa que veio do Eintracht Frankfurt, até o momento, é um grande flop.

Desejos gigantescos

Muito se fala em um desejo mútuo de relação entre Real e Kylian Mbappé, em uma cartada interessante. A questão é que algum peixe grande teria de sair ou perder um espaço considerável para que isso se encaixe da melhor maneira. Será que Ancelotti está disposto a deixar alguém insatisfeito em nome de um fato novo como Mbappé?

Talvez, a resposta para que os merengues retomem o caminho das glórias não esteja em novos reforços estrondosos. Mas sim no próprio elenco, que mesmo com as saídas de Raphael Varane e Sergio Ramos, segue sendo bem respeitável. O que obriga um grande a constantemente buscar contratações estelares? Além da megalomania, poucas razões explicam. Aguardemos os próximos capítulos. 

Mostrar mais

Felipe Portes

Felipe Portes é editor-chefe da Revista Relvado, zagueiro ocasional, ex-jornalista, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo