La Liga

Atlético confirma protagonismo e vence o Celta em sua estreia 

Com dois gols de Ángel Correa, colchoneros superaram uma partida complicada com os galegos

Se Real Madrid e Barcelona não inspiram tanta confiança assim na luta pelo título, o favoritismo recai todo nas costas do Atlético de Madrid, atual campeão de La Liga e que manteve a estrutura praticamente intocada para a nova temporada. Neste domingo, jogando no estádio de Balaídos, em Vigo, o Atleti suou, mas venceu o Celta por 2 a 1.

LEIA MAIS: Dez histórias para acompanhar de perto na nova temporada de La Liga

A temporada também será de afirmação para o Celta de Eduardo Coudet, que chegou no ano passado e tirou o time do fim da tabela. Agora, Coudet tem um elenco mais alinhado à sua visão e com um estilo bem definido. O treinador, que só deu azar de encarar logo o Atlético em sua primeira jornada.

A patada de Correa

Apesar de encarar um adversário que mordia firme na marcação, o Atlético não se abalou e fez seu jogo. Com transições rápidas, foi natural a chegada à área galega. Nessas descidas em velocidade, Thomas Lemar mostrou agilidade e visão de jogo para se livrar de dois marcadores e acionar Ángel Correa. 

O argentino recebeu, ajeitou e não deu chances de defesa. O petardo morreu no alto da meta de Matías Dituro, golaço com raiva do camisa 10 colchonero. Correa acabou centralizando as ações criativas, já que Diego Simeone deixou Luis Suárez no banco e João Félix ainda está longe da forma física ideal para ser relacionado.

Depois do susto, o Celta precisou se fechar um pouco para evitar lances parecidos. E acima de tudo isso, se preservar na bola áerea. Após um escanteio, quase no intervalo, o zagueiro Stefan Savic quase fez um gol no rebote do goleirão Dituro, que teve de defender em dois tempos para salvar. 

Osso duro de roer

Quando começou a segunda etapa, o Celta surpreendeu o Atleti se apresentando mais para o jogo, não só se defendendo. Após algum tempo de insistência, os mandantes ganharam um pênalti. Jan Oblak saiu mal pelo alto, Marcos Llorente se desesperou ao ver Iago Aspas chegando na voadora e acabou tocando com os dois braços na bola. O artilheiro Iago Aspas cumpriu e guardou, empatando o placar.

Era aquela típica partida que o Atlético de Simeone ficava confortável demais em vantagem e se distraía. O Celta chegou a acreditar que poderia complicar ainda mais o jogo, mas não contava que Correa salvaria a pele do Atleti novamente. Em um contragolpe fatal, Saúl Ñiguez levou até a esquerda e inverteu uma bola preciosa. Correa, mais uma vez desmarcado, balançou as redes.

Nervos à flor da pele

Sem mais emoções, a equipe visitante administrou até o fim, com tranquilidade. Quer dizer, mais ou menos. Aspas chegou a driblar Oblak, mas perdeu um gol feito. No finalzinho da partida, o beque Hugo Mallo exagerou em uma entrada em Suárez e provocou uma confusão.

Revoltado, Mario Hermoso foi tirar satisfação e os dois precisaram ser separados. Para que não saíssem no braço por bobagem, o árbitro optou por expulsar ambos de campo. Se alguém achou que faltavam emoções, uma briga no final cumpriu a cota das cenas lamentáveis.

Pode até ser que o Atlético seja favorito para defender o título, mas se depender de equipes coadjuvantes como o Celta, o bicampeonato não será nada fácil.

Mostrar mais

Felipe Portes

Felipe Portes é editor-chefe da Revista Relvado, zagueiro ocasional, ex-jornalista, cruyffista irremediável e desenhista em Instagram.com/draw.portes

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo