La Liga

Após temporada de desgaste interno, Zidane deixa o comando do Real Madrid

Segundo o clube, decisão pelo divórcio partiu do próprio treinador. Rumores apontam para Raúl e Antonio Conte como possíveis sucessores

Os rumores que circulavam na imprensa espanhola nos últimos dias se confirmaram nesta quinta-feira (27). O Real Madrid anunciou oficialmente a saída do técnico Zinédine Zidane do comando do clube, a pedido do próprio francês. Zidane tinha mais um ano de contrato com os blancos, mas escolheu encurtar sua segunda passagem como treinador da equipe após uma temporada atribulada.

No comunicado oficial publicado pelo Real Madrid, fica claro que o divórcio acontece de maneira pacífica, mantendo-se a boa relação entre técnico e clube. Segundo a emissora francesa RMC Sport, Zidane se encontrou com o presidente Florentino Pérez para comunicar sua escolha.

“O Real Madrid comunica que Zinédine Zidane decidiu dar por finalizada sua etapa atual como técnico do nosso clube. O momento agora é de respeitar sua decisão e lhe demonstrar nosso agradecimento por seu profissionalismo, sua dedicação e sua paixão em todos esses anos e por o que sua figura representa para o Real Madrid”, diz trecho do comunicado.

Zidane teve uma primeira passagem de grande sucesso como técnico do Real Madrid entre 2016 e 2018, conquistando o tricampeonato da Champions League no período, além de dois Mundiais de Clubes da Fifa, um Campeonato Espanhol, uma Supercopa da Espanha e duas Supercopas da Uefa.

Julen Lopetegui o sucedeu em agosto de 2018, mas foi demitido apenas dois meses depois, com Santiago Solari assumindo o comando interino da equipe. Em março de 2019, Zidane retornou ao cargo. Desde então, não conseguiu repetir o sucesso da primeira passagem, mas ainda assim marcou o novo período com duas conquistas: La Liga e Supercopa da Espanha em 2019/20. Na temporada atual, em meio a um ano difícil, terminou em segundo lugar na liga espanhola e alcançou as semifinais da Champions League.

O jornal espanhol Marca informa que Zidane não teria gostado das inúmeras vezes em que foi questionado internamente ao longo da campanha 2020/21, com o momento mais difícil vindo por volta de janeiro, quando o clube foi eliminado da Copa do Rei contra o Alcoyano, recém-promovido à terceira divisão, antes mesmo das oitavas de final do torneio.

O Marca apontou ainda que a decisão de Zidane não é impulsiva, mas que vinha sendo pensada há meses. O jornal indica também que a ligação do treinador com alguns dos jogadores mais experientes do elenco era um problema, que o grupo precisará de uma renovação e que há a percepção de que os jovens do clube precisam ter um caminho mais livre para se firmarem na equipe.

Entre os mais cotados para substituir Zidane no comando do Real Madrid estão Raúl, ídolo do clube e treinador do Castilla, equipe B do Real, e Antonio Conte, que acaba de deixar a Internazionale após a conquista da Serie A.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo