EspanhaInglaterra

Fàbregas quer ficar no Barcelona e tem razão para isso

O retorno de Cesc Fàbregas ao Barcelona na temporada 2011/12 foi um conto de fadas. Aquelas histórias de amor que depois de anos de dificuldades, obstáculos e capítulos tristes acaba em casamento, tipo final de novela. Bom, a novela teria acabado quando ele voltou ao Barcelona, mas o que os contos de fada nunca mostram é a vida depois do último capítulo, depois do casamento dos dois protagonistas. E as dificuldades do “casamento” apareceram para o jogador de Arenys. Já são duas temporadas vivendo o sonho de jogar pelo Barcelona, time que sempre defendeu nas categorias de base e pelo qual torce. E, até agora, tem sido uma montanha russa. Até por isso, se especula que o jogador pode deixar o clube e voltar à Inglaterra. Mas não é isso que ele quer.

“Me custou muito para vir para onde estou e eu não estou pensando em jogar tudo isso fora por nada”, disse o jogador à rádio Onda Cero, na Espanha. “Se o Barcelona dissesse que não me quer, seria outra coisa, mas o que eu realmente quero é triunfar em Barcelona. Esse tem sido meu sonho desde que eu era uma criança”, contou. “O modo como as pessoas inventam coisas é fascinante”, ironizou o camisa 4 dos blaugranes. Alguns setores da torcida chegaram a vaiar o jogador, mas ele não se abala com isso. “Se as pessoas me vaiarem, então terei que vencer passando por isso”.

Fàbregas tem sido muito criticado por suas atuações não serem tão decisivas quanto nos tempos de Arsenal. Algo que, em parte, é um tanto injusto. Afinal, no Arsenal Fàbregas era o dono do time, um equivalente ao Messi dos Gunners. Nada parecido com o que vive em Barcelona, onde é um jogador que não é titular absoluto e não tem uma posição fixa – joga às vezes substituindo Messi, outras vezes substituindo Xavi ou Iniesta e até mesmo jogando pelos lados do campo.

É verdade que um jogador como ele se encaixaria no que o Manchester United precisa. É um meio-campista central, posição que Paul Scholes ocupou por anos e onde não há um substituto. Poderia formar uma boa dupla com Michael Carrick. No Barcelona, sua adaptação é mais difícil nesse esquema mais fixo de Tito Vilanova, um 4-3-3 com dois pontas abertos e um meio-campo já fechado. Cabe a ele aproveitar as chances que tem e ao técnico saber como usar um jogador assim – ou manter os diversos pontas se revezando sem se fixar, como na temporada que acabou.

Os números de Fàbregas são bons, próximos aos seus últimos dois anos de Arsenal. Falta a Fàbregas um encaixe melhor em um time que já tem jogadores da sua posição e que precisa de outro tipo de jogador. Tem faltado a Fàbregas ser o jogador que se espera que ele seja, muitas das críticas são justas também. Mas é preciso saber aproveitar o que Fàbregas pode oferecer de melhor. Seu entrosamento com Messi, seu companheiro de categorias de base, é ótimo. Talvez ele precise se adaptar a jogar de forma diferente e dar ao time o que ele precisa. Os números do meia mostram que ele passou longe de fazer temporadas ruins pelo clube. Faltou aquele passo acima para brilhar.

Fàbregas por temporada

Barcelona

2012/13
Jogos: 48
Gols: 14
Assistências: 15

2011/12
Jogos: 48 jogos
Gols: 15
Assistências: 20

Fàbregas no Arsenal

2010/11
Jogos: 36
Gols: 9
Assistências: 16

2009/10
Jogos: 36
Gols: 19 gols
Assistências: 20

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Bloqueador detectado

A Trivela é um site independente e que precisa das receitas dos anúncios. Considere nos apoiar em https://apoia.se/trivela para ser um dos financiadores e considere desligar o seu bloqueador. Agradecemos a compreensão.