AlemanhaEspanhaEuropaFrançaInglaterraItália

Dez histórias para ficar de olho na semana final do mercado

O tempo para se reforçar está se esgotando. A janela de transferências nas principais ligas nacionais da Europa se encerra na próxima segunda-feira. Mais sete dias para que os gigantes garantam seus astros, para que os acertos dos elencos aconteçam e, sobretudo, para que as sagas que se desenrolaram nos últimos meses finalmente se encerrem. Gareth Bale, Luis Suárez e Wayne Rooney continuarão a fazer bico aos seus clubes atuais ou abriram seus sorrisos em novas casas? Questões, enfim, muito próximas das respostas.

O mercado continua aquecido na Inglaterra e na Espanha. Barcelona e Real Madrid ainda tentam seus últimos lances, enquanto Manchester United, Arsenal, Liverpool, Chelsea e Tottenham acirram as quedas de braço finais. Na Itália, dentre os principais favoritos ao título, talvez o Milan seja mais ousado. Depois de quebrarem a banca, Monaco e Paris Sain-Germain ainda podem fazer um movimento inesperado na França. E, na Alemanha, preponderou o planejamento de Bayern Munique e Borussia Dortmund, fechados há algum tempo.

No que ficar de olho nos momentos finais da janela de transferências? Separamos dez histórias principais: cinco envolvendo jogadores e outras cinco abordando a necessidade de grandes clubes. Se alguém ficar de mãos abanando ou de cara fechada, que depois não diga que faltou oportunidade – o aviso era mais do que claro. Confira:

Os cinco jogadores mais visados:

– Gareth Bale, pronto para ser o mais caro da história

Bale foi um dos melhores jogadores da Premier League na temporada (Foto: AFP PHOTO/GLYN KIRK)

Bale foi eleito pelo Real Madrid e por Florentino Pérez para ser não apenas o grande nome do mercado de transferências atual, mas também quebrar o recorde de jogador mais caro da história. Mais do que um reforço de peso aos merengues, aquele que pode ser fundamental na reconquista da Liga dos Campeões, o galês também seria a resposta ideal ao Barcelona pela contratação de Neymar. Só falta combinar com o Tottenham, que continua fazendo jogo duríssimo por seu craque. O Real Madrid já teria ofertado € 99 milhões, mas, sem uma peça de reposição garantida, os londrinos esperariam por mais dinheiro. Enquanto isso, o meia segue se rebelando em uma praia paradisíaca na Espanha.

– Wayne Rooney, querendo se sentir amado

Rooney não deixou de corresponder em campo. Mas a insatisfação do camisa 10 do Manchester United é óbvia. Contra o Swansea, o astro não comemorou os dois gols marcados pelo time enquanto esteve em campo. E, ironia do destino, não poupou esforços no clássico contra o Chelsea, seu possível destino e adversário a uma semana da data decisiva. Mourinho teria aproveitado a ida a Old Trafford para assediar o craque. O fato é que, contente ou não, o atacante deverá fazer a diferença para qualquer favorito à Premier League que contar com ele.

– Luis Suárez, ambicionando o protagonismo na Europa

Dentre os principais alvos do mercado, Luis Suárez foi o mais franco em relação a sua situação. Afirmou que queria disputar Champions e que tinha um acordo com a diretoria caso o Liverpool ficasse de fora da competição continental. O problema é justamente seu destino. O Arsenal não está tão bem das pernas assim para transmitir confiança que continuará com seu lugar cativo na LC. E as especulações envolvendo o Real Madrid, outro possível interessado, diminuíram. Não à toa, o uruguaio já parece se conformar com a ideia de ficar em Anfield.

– Samuel Eto’o, a pechincha oferecida por Kerimov

Eto'o é o vice-artilheiro do Campeonato Russo, com seis gols

Depois de se entediar com a brincadeira de ser dirigente, Suleyman Kerimov se desfez de boa parte dos destaques do Anzhi. Oito jogadores já foram vendidos, rendendo € 111,4 milhões de volta aos cofres do clube. Agora, as vedetes são Lacina Traoré, Jucilei, Chris Samba e, principalmente Samuel Eto’o. O camaronês já aceitou reduzir seu salário astronômico e, pela idade, não deve custar tanto. A expectativa é sobre quem consegue finalizar o negócio, com Internazionale e Chelsea à frente na corrida.

– Mesut Özil, o meia criativo ideal para qualquer um

Se Bale fechar mesmo com o Real Madrid, a interrogação paira sobre quem perderá espaço com a chegada do galês. E talvez os merengues aproveitem esta janela para repor um pouco do rombo no caixa gerado pelo novo galáctico. A lista de saída é encabeçada por Mesut Özil e Ángel Di María. Não propriamente pela falta de qualidade da dupla, mas pelo mercado que ainda têm, considerando que Isco também chegou agora e Cristiano Ronaldo é intocável. O alemão, aliás, é quem atrai mais interesses, com Arsenal e Manchester United na cola para levá-lo à Premier League.

Os cinco clubes mais empenhados:

– Arsenal e qualquer “jogador especial” que pintar

img_10983_arsene-wenger-prorroga-vinculo-por-mais-quatro-anos-com-o-ar

Arsène Wenger conversou com muitos, mas até agora o Arsenal só fechou com Yaya Sanogo, e de graça. Os Gunners precisam urgentemente de reforços, ainda mais depois das lesões sofridas neste começo de temporada. Independentemente disso, o treinador se faz de difícil e diz que só levará ao Emirates “jogadores especiais”. A vasta lista de especulações inclui Yohan Cabaye, Luis Suárez, Ángel Di María, Paul Pogba, Ashley Williams e Karim Benzema. Se um artilheiro e um cabeça de área chegarem, Wenger já sana suas duas principais carências.

– Manchester United e o meio-campista que faça diferença

O principal objetivo do Manchester United no mercado sempre esteve claro. Os Red Devils foram atrás de um segundo volante com boa saída de jogo, para fazer parceria com Michael Carrick. Diante da recusa de Cesc Fàbregas, Marouane Fellaini aparece como principal alternativa, mas David Moyes está longe de chegar a um valor que atraia os antigos patrões do Everton – ainda mais porque quer levar também Leighton Baines. Também se discute a chegada de um novo armador em Old Trafford. Só vem se realmente tiverem desistido de Shinji Kagawa, um nome ideal para a função que esquenta o banco há tempos.

– Barcelona e o zagueiro que solucionar sua eterna carência

A paciência do Barcelona parece ter se esgotado em sua intensa procura por um zagueiro. Os blaugranas tentaram Thiago Silva, Marquinhos, David Luiz e Daniel Agger, mas nenhum de seus alvos teve uma proposta realmente vantajosa para se mudar ao Camp Nou. Carles Puyol segue com problemas físicos e os jogadores da base ainda carecem de confiança. Mesmo assim, parece que Tata Martino precisará se virar com o que tem em mãos – e quase sempre apelar às improvisações, com Javier Mascherano já cativo na função.

– Tottenham e os frutos da venda de Bale

Mata marcou quatro gols nos últimos quatro jogos

Caso quebre mesmo o recorde de venda mais cara da história, o Tottenham se transformará no freguês favorito neste restante de janela. O problema é que falta um nome forte para se candidatar como substituto de Bale no time. Willian parecia ser esse jogador, mas José Mourinho passou a perna em André Villas-Boas. Hulk também foi mencionado pela imprensa inglesa, mas o Zenit garantiu que ele não sai. Até Juan Mata, sem espaço no Chelsea, surge como hipótese. Quem está quase certo é Erik Lamela, da Roma. Uma boa promessa, mas que não deve receber tanta responsabilidade assim – e tende a vir mesmo se o Bale ficar.

– Milan e o reforço que impulsione o clube

A rodada inicial da Serie A foi pouco animadora para o Milan. A derrota para o Verona reafirmou a sensação de queda sobre os rossoneri, ainda mais quando se compara com a atuação de Juventus, Napoli e Fiorentina no mercado. Mesmo considerando que Silvio Berlusconi está fechando os cofres, o clube ainda tem mais alguns dias para tentar melhorar o elenco de Massimiliano Allegri. Keisuke Honda tem tudo certo com o clube, mas falta o aval do CSKA Moscou para o japonês se juntar antes de janeiro. Outra possibilidade é Alessandro Matri, já que a Juve está propensa a negociar um de seus atacantes.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo