Copa do Rei

Hazard, quem diria, salvou a pele do Real Madrid ao virar contra o Elche na prorrogação da Copa do Rei

O Real Madrid fez uma partida ruim e temeu a eliminação, mas conseguiu a virada no segundo tempo da prorrogação

O Real Madrid ainda aguarda Eden Hazard se apresentar como o craque que custou uma fortuna ao clube. Nesta quinta, ao menos, o belga teve sua ponta de protagonismo ao evitar um vexame na Copa do Rei. Os merengues pouparam vários titulares e sofriam contra o Elche, que fazia boa partida no Estádio Manuel Martínez Valero. Vinícius Júnior não vivia sua melhor jornada e o ataque sentia falta de Karim Benzema, que ganhou descanso e sequer ficou no banco. O placar zerado prevaleceu nos 90 minutos e, durante o primeiro tempo da prorrogação, Marcelo foi expulso num lance que resultou no gol dos anfitriões logo em seguida. A virada madridista por 2 a 1 contou com a ajuda de atletas em baixa que saíram do banco. Isco empatou num gol de sorte e Hazard garantiu a vitória, que bota o Real Madrid nas quartas de final da competição.

O Real Madrid entrou em campo com um time misto. Tinha nomes importantes como Vinícius Júnior, Toni Kroos e David Alaba, mas grande parte dos titulares foi poupada. Marcelo usava a faixa de capitão na lateral esquerda, enquanto Rodrygo e Luka Jovic eram os outros escolhidos no ataque. Durante o início do jogo, a formação alternativa dos merengues demorou a encontrar sua sintonia. Tinha a posse de bola, mas não conseguia romper as linhas de marcação do Elche. E quase uma surpresa ocorreu aos dez minutos. Num contra-ataque, Josan aproveitou o vacilo de Marcelo no corte frustrado e fez o cruzamento rasteiro. Guido Carrillo apareceu sozinho a um metro do gol, pegou mal na bola e incrivelmente acertou a trave. Um gol perdido bisonho.

Nem o susto imenso acordou o Real Madrid. O Elche se mostrava mais organizado e era mais perigoso quando subia ao ataque. Carrillo mandou uma cabeçada para fora, antes de exigir boa defesa de Andriy Lunin aos 25. Só depois disso que os merengues passaram a fluir um pouco mais. Contudo, era um time aquém de seu potencial e que, mesmo com algumas trocas de passes, não conseguia finalizar com qualidade. As oportunidades surgiram depois dos 40 e Rodrygo teve a melhor delas, mas bateu para fora.

O Real Madrid voltou para o segundo tempo disposto a resolver o jogo, mas os problemas se repetiam. Quando Marcelo conectou com Jovic, o centroavante pegou mal e ainda estava impedido. Com o passar dos minutos, a postura modorrenta dos merengues voltou a imperar e Carlo Ancelotti demorou a mexer no time. As primeiras alterações só vieram aos 27, com Casemiro e Luka Modric dando nova cara ao meio-campo. O Elche aproveitou esse momento de trocas para crescer e se aproximar da área adversária. As investidas da equipe, porém, acabariam neutralizadas pela defesa madridista.

O Real Madrid vivia de espasmos. Casemiro exigiu uma rara defesa do goleiro Axel Werner aos 32, pouco antes que Vinícius Júnior fizesse uma grande jogada que ninguém aproveitou. E sem Benzema nem no banco, Isco entrou no lugar de Jovic. Na reta final, os merengues tentaram exercer uma pressão, o que não deu resultado com a marcação sólida do Elche. Os anfitriões até buscaram os contra-ataques, mas o placar permaneceu zerado e o duelo entrou na prorrogação.

Eden Hazard e Dani Ceballos eram novidades no Real Madrid para o tempo extra. Nada que tenha melhorado o time. Pelo contrário, o Elche era superior e fez por merecer a vantagem. Um primeiro aviso surgiu aos seis minutos, quando Gerard Gumbau cobrou falta e parou em ótima defesa de Lunin. Já aos 12, Marcelo matou um ataque claro dos anfitriões fora da área e, como era o último homem, recebeu o vermelho direto. A punição seria dupla, com o gol de Gonzalo Verdú na cobrança. O defensor carimbou a barreira, mas insistiu no rebote e contou com um desvio para vencer Lunin.

O segundo tempo extra teria o desespero do Real Madrid. Os merengues foram com tudo ao ataque, em busca da salvação. Conseguiram o empate aos três minutos, num lance de sorte. Depois do passe de Casemiro, Dani Ceballos chutou e o desvio de Isco tirou o goleiro Werner da jogada. Os madridistas mantiveram a postura na sequência, mas o Elche quis adiantar a marcação para aproveitar a vantagem numérica. Assim, num ataque rápido, a virada saiu aos 11 minutos com Hazard. Numa enfiada de Alaba, o belga arrancou nas costas da marcação e driblou Werner na entrada da área, antes de mandar às redes vazias. Não que o Elche tenha deixado de lutar. No último minuto, Fidel teria o gol de empate anulado por falta. Pere Milla ainda seria expulso por reclamação. A ótima atuação do Elche seria em vão.

O Real Madrid ainda espera seu adversário nas quartas de final da Copa do Rei. O sorteio da próxima fase acontecerá nesta sexta.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo