Champions LeagueEspanhaEuropaItália

Barcelona terá que lutar contra retrospecto para eliminar Milan

Barcelona e Milan farão um jogo muito aguardado na próxima terça-feira no Camp Nou, depois dos italianos arrancarem uma boa vitória por 2 a 0 em casa. E no retrospecto recente entre as duas equipes, o Barcelona não conseguiu fazer um resultado com o tamanho que precisa para conseguir a classificação desta vez.

Nos últimos cinco confrontos entre os dois times no Camp Nou, a maior vitória foi a da temporada passada. Pelas quartas de final, o Barcelona venceu por 3 a 1 em casa e garantiu a passagem à próxima fase. Esse mesmo resultado seria insuficiente desta vez, porque o Milan ficaria com a vaga graças ao gol fora de casa.

Em 2011/12, Barcelona e Milan abriram a fase de grupos com um empate por 2 a 2 no Camp Nou. Em 2005/06, ano que o Barcelona foi campeão europeu, o resultado foi 0 a 0 na semifinal. Em 2004/05, o Barcelona venceu por 2 a 1, graças a um golaço de Ronaldinho. Em 2000/01, o Milan venceu por 2 a 0 jogando fora de casa.

Jogando em casa, o Barcelona venceu dois de seus três jogos feitos na Liga dos Campeões até aqui. Estreou vencendo, no sufoco, o Spartak Moscou por 3 a 2, venceu o Celtic por 2 a 1 nos acréscimos e empatou por 0 a 0 com o Benfica.

O confronto era tido como um dos mais desequilibrados da fase, mas os rossoneri fizeram uma grande partida, contaram com uma atuação ruim dos blaugrana e levaram um resultado difícil de ser revertido.

Allegri: “Jogaremos contra o melhor time do mundo”

A tarefa no Camp Nou foi assunto do técnico Massimiliano Allegri na entrevista coletiva após o jogo contra o Genoa.  “Na terça enfrentaremos o melhor time do mundo. Nós estamos à frente, mas ainda estamos nas oitavas de final. Se jogarmos tão bem quanto fizemos em San Siro e tivermos um pouco de sorte, nós podemos nos classificar”, analisou o treinador.

O meio-campista Riccardo Montolivo disse que Milan precisa repetir a atuação da primeira partida contra o Barcelona para garantir a classificação no Camp Nou. As duas equipes irão se enfrentar na terça-feira com os espanhóis precisando reverter os 2 a 0 que o Milan fez em San Siro. Para o jogador da seleção italiana, os italianos precisarão se sacrificar.

“Nós temos que lembrar como nós jogamos a primeira partida contra o Barcelona”, afirmou o jogador. “Nó stemos que fazer sacrifícios e mostrar a mentalidade certa. Eles estão convencidos que podem vencer e nós temos que jogar o nosso próprio jogo”, explicou o meia.

Pazzini tem bom retrospecto na Liga dos Campeões, mas é dúvida

A vitória do Milan por 2 a 0 sobre o Genoa pelo Italiano, nesta sexta, foi tranquila, mas deixou o time com duas preocupações: Pazzini e Mexès, que saíram de campo machucados. Há suspeitas que o atacante tenha uma microfratura. “Não estamos preocupados com Pazzini e Mexès, nós veremos o que os médicos dizem”, declarou Allegri. O bom retrospecto de Pazzini em 2013 é motivo para que o técnico se preocupe se ele não estiver em campo.

Nos jogos que Pazzini foi titular em 2013, o Milan venceu todas as partidas, seja no Campeonato Italiano, seja na Liga dos Campeões. No dia 6 de janeiro, o jogador marcou um dos gols na vitória do Milan sobre o Siena por 2 a 1. No dia 20, ele marcou duas vezes no jogo contra o Bologna, vitória por 2 a 1. No dia 27, ele não marcou, mas o time venceu por 1 a 0. Contra o Barcelona, no dia 20 de fevereiro, não fez gol, mas o time venceu por 2 a 0. Contra a Lazio, no dia 2 de março, fez dois gols na vitória sobre a Lazio por 3 a 0. E nesta sexta, dia 8, fez um dos gols da vitória por 2 a 0 sobre o Genoa.

Se Pazzini não puder jogar, Massimiliano Allegri terá que colocar em campo um jogador com características diferentes. Isso porque Mario Balotelli não pode jogar, já que ele já entrou em campo pelo Manchester City nesta competição na temporada. Os outros atacantes do elenco são Bojan Krkic, que pode voltar a atuar no Camp Nou, mas desta vez como adversário, Robinho, e Niang, que costumam atuar mais pelos lados do campo.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo