Espanha

Gündogan no Barcelona: conexão com Xavi e sonho de infância realizado

Alemão foi apresentado nesta segunda-feira no clube espanhol e não escondeu a alegria em sua nova casa

O meio-campista Ilkay Gündogan foi apresentado como jogador do Barcelona nesta segunda-feira (17). Ainda sem número definido, o jogador recebeu a camisa do clube das mãos do presidente Joan Laporta e cedeu entrevista coletiva no Centro de Treinamento Joan Gamper. O contrato assinado pelo alemão de 32 anos é válido até o fim de junho de 2025, com opção de renovação por mais um ano.

Principal reforço do Barcelona para a próxima temporada, Gündogan não escondeu sua felicidade e revelou o antigo desejo em vestir a camisa do time catalão. O ex-capitão do Manchester City também falou da semelhança de estilo de sua nova equipe com a antiga, treinada por Pep Guardiola, e disse ter tido uma “conexão muito boa” ao conversar com Xavi Hernández, seu atual comandante.

“É um dia cheio de alegria e de orgulho para mim e para minha família. Eu também posso falar pela minha família que assistir ao Barça nas últimas duas décadas foi uma alegria e um privilégio. Ser um membro desse clube incrível é algo que enche todos nós de muito orgulho. Desde criança é um sonho para mim usar essa camisa um dia. Preciso ser honesto, estive algumas vezes perto de vir antes, mas não era o destino. Estava destinado a ser hoje. Eu estou inacreditavelmente orgulhoso e feliz de estar aqui agora”, destacou Gündogan.

“Ele (Xavi) deixou bem claro suas ideias, a maneira que quer jogar. É bem semelhante com o que estávamos jogando nos últimos dois anos, no Manchester City. É uma escola parecida: Guardiola, Xavi e a forma que jogaram temporada passada. Isso foi bem claro, para ser honesto, desde o primeiro momento. Mas a forma que ele teve as conversas comigo, a honestidade, a franqueza… eu vi um pouco de mim nele. O jeito que ele jogava futebol também acho que é parecido com o meu. Nós tivemos uma conexão muito boa desde o primeiro momento. Não foi muito o que ele falou, mas sim o jeito que ele falou, que às vezes é mais importante e passa uma mensagem mais forte. Agora estou aqui e estou incrivelmente feliz”, continuou o meio-campista.

As conversas de Xavi com Gündogan iniciaram em fevereiro. Homem de confiança de Guardiola no Manchester City, o alemão chegou sem custos de transferência depois de uma longa negociação. O clube inglês queria renovar com o jogador, mas o desejo de jogar pelo Barcelona e o poder de persuasão do novo treinador falaram mais alto.

Conversas com Ter Stegen e Lewandowski

Dois jogadores do Barcelona também tentaram convencer Gündogan a assinar com o clube. O goleiro Ter Stegen, companheiro de seleção alemã, e o atacante Robert Lewandowski, com quem jogou durante três temporadas no Borussia Dortmund, foram outros que falaram com o meio-campista antes da contratação ser oficializada. O novo reforço, no entanto, disse que essas conversas não impactaram sua decisão, por mais fortes que tenham sido.

“Quando eles me falaram sobre o Barça e a cidade, eu podia ver o brilho nos olhos deles. Foi uma mensagem muito poderosa, mas não afetou minha decisão. Eu sempre quis vir para cá”, garantiu.

Com Lewandowski, Gündogan conquistou o Campeonato Alemão e a Copa da Alemanha na temporada 2011/2012 e a Supercopa da Alemanha em 2013. O atacante polonês, inclusive, esteve em situação parecida a do amigo no ano passado, quando também foi a principal contratação do Barcelona na janela de verão. Na última temporada, o camisa 9 marcou 33 gols e deu oito assistências em 46 jogos pelo clube, faturando a Supercopa da Espanha e o Campeonato Espanhol, sendo o artilheiro da última competição com 23 tentos.

Já Ter Stegen é companheiro de Gündogan na seleção alemã desde 2012. Juntos, os dois estiveram nas Copas do Mundo de 2018 e 2022 e disputaram 15 partidas com a camisa tetracampeã mundial.

Manchester City e Barcelona - Gundogan e Lewandowski
Gündogan e Lewandowski já se encontraram em um City x Barcelona (Icon sport)

Adaptação ao novo clube e expectativa de títulos

Por fim, Ilkay Gündogan falou sobre sua adaptação ao Barcelona. O meia vai viver sua primeira experiência na Espanha depois de ter atuado profissionalmente por Nürnberg e Borussia Dortmund, da Alemanha, e Manchester City, da Inglaterra.

“Eu estou vindo para um novo país, para uma nova liga que eu só conheço assistindo. A gente nunca tem muito para se adaptar, então é algo que tem que acontecer o mais rápido possível. Eu acredito que tenho todas as qualidades para me adaptar o mais rápido possível, mas é um processo. Tenho que aprender muitas coisas. Tenho que conhecer meus companheiros, eles têm que me conhecer, mas tenho certeza que com a qualidade que temos no time e com as minhas qualidades, seremos capazes de criar uma boa conexão rapidamente”, disse o alemão.

Como principal reforço da temporada, Gündogan terá como objetivo o título do Campeonato Espanhol e ir longe com o Barcelona na Liga dos Campeões. Nas últimas duas temporadas, o clube catalão foi eliminado na fase de grupos do torneio continental.

“Coletivamente, o time ganhou a liga na última temporada, então acho que qualquer coisa que não seja ganhar de novo está fora de discussão. Nós temos muito potencial na Europa, na Liga dos Campeões, e queremos ir o mais longe possível. Acho que podemos estar confiantes de que seremos capazes de fazer isso, mesmo que seja difícil. O desafio é sempre bom, especialmente se você tem a responsabilidade de ser um jogador do Barça. Precisamos estar pronto para isso e tenho certeza de que estaremos”, concluiu.

Além dos títulos conquistados ao lado de Lewandowski pelo Borussia Dortmund, Gündogan também tem no currículo cinco Campeonatos Ingleses, duas Copas da Inglaterra (FA Cup), duas Supercopas da Inglaterra, quatro Copas da Liga Inglesa e a última edição da Liga dos Campeões pelo Manchester City. Na temporada 2022/2023, foi peça chave na equipe de Pep Guardiola que venceu a tríplice coroa, marcando 11 gols e dando cinco assistências em 51 partidas.

Foto de Felipe Novis

Felipe Novis

Felipe Novis nasceu em São Paulo (SP) e cursa jornalismo na Faculdade Cásper Líbero. Antes de escrever para a Trivela, passou pela Gazeta Esportiva.
Botão Voltar ao topo